EspanhaLa Liga

A primeira marca de Ganso em La Liga não poderia ter sido deixada de forma melhor

Um dos clubes europeus que mais contrataram reforços interessantes para 2016/17 é o Sevilla. Um destes novos jogadores se trata de Paulo Henrique Ganso, que foi escolhido a dedo por Jorge Sampaoli para compor o elenco nervionense. Com isso, uma das maiores expectativas em relação à esta temporada europeia se tornou o meia brasileiro. E, bem, todo entusiasmo para ver como o ex-camisa 10 do São Paulo se sairía na Espanha levou um tempo para render boas respostas. Mas quando uma delas chegou, veio em forma de um passe espetacular, no melhor estilo Ganso.

VEJA TAMBÉM: A lacuna que Ganso deixa no São Paulo não é de títulos, mas de uma qualidade rara

Pela sétima rodada de La Liga, o Sevilla recebeu, neste sábado, o Alavés em La Bombonera de Nervión. Os andaluzes sabiam que não teriam vida fácil, ainda que fosse uma partida em casa e diante de um oponente que acaba de voltar à primeira divisão do campeonato espanhol. Os babazorros têm sido uma verdadeira pedra no sapato neste início de competição. Arrancaram um empate do Atlético de Madrid em pleno Calderón, ganharam do Barcelona na Catalunha, e conseguiram ficar invictos até a quinta rodada, quando foram derrotados pelo Valencia, até então sem vitórias, lá no Mestalla.

Tanto sabiam quanto não foi fácil vencer o time basco por 2 a 1. Inclusive, a bruxa parecia estar solta em na quarta maior cidade da Espanha e as coisas pareciam não estar fáceis para ninguém, nem mesmo para o árbitro da partida, que teve que ser substituído depois de se lesionar. Além dele, Samir Nasri, aos 12 minutos do segundo tempo, e Luciano Vietto, aos 15, tiveram que abandonar o gramado por conta de complicações físicas. A parte positiva na saída do argentino foi que ela deu lugar a Ganso, que não precisou de muito tempo para mostrar ao que veio (tanto à campo, quanto ao Sevilla).

Cercado por dois marcados, o meia deu um passe magnífico de calcanhar para Ben Yedder receber sozinho dentro da área e colocar a equipe da casa em vantagem no placar. Primeiro gol dos nervionenses no confronto, primeira marca que Ganso, com toda genialidade que ainda não tinha tido oportunidade de mostrar, deixa com a camisa do clube espanhol. E esse primeiro rastro não poderia ter tido um efeito melhor e agradado mais Sampaoli. “Ganso é diferente e ainda vai nos dar muitas alegrias”, disse o técnico na coletiva de imprensa após a partida.

Talvez o chileno não tinha pretensão de colocar o agora camisa 19 em campo, mas depois do lance genial que originou o primeiro gol e o restante dos minutos gastos em campo, ele com certeza vai repensar sua posição no time. É notável que é perto da área que o meia resgata suas particularidades e se sente mais à vontade. Não que a forma como Sampaoli o vê melhor rendendo (fazendo algo semelhante ao que um segundo volante faz) seja péssima. Isso ainda não tem como ser dito, já que o brasileiro ainda não teve uma sequência atuando mais recuado para que sua função “perfeita” possa ser definida. Mas é como armador que ele faz coisas deste tipo:

.

Ben Yedder, em tarde inspirada, ainda fez mais um a favor do Sevilla para virar o jogo nos últimos suspiros, que havia sido empatado por Victor Laguardia cinco minutos antes. Diante da vitória por 2 a 1, os andaluzos ascendem na tabela e assumem, pelo menos por enquanto, a vice-liderança de La Liga, com o mesmo número de pontos que o líder Real Madrid. Porém, ainda faltam seis partidas para que a rodada se encerre, sendo três delas da dupla hegemônica na Espanha e dos colchoneros, que não deixam de ser candidatos ao título desta temporada. A pergunta que fica é: será que mais lances extraordinários vindos de Ganso serão vistos em breve?

Mostrar mais

Nathalia Perez

Jornalista em formação trabalhando a favor de um meio esportivo mais humano. Meus heróis sempre foram jogadores de futebol, mas hoje em dia são muito mais heroínas.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo