Copa do Mundo

O acaso ajudou a Argentina, mas sua defesa foi frágil demais para a velocidade da França

Se o primeiro jogo das oitavas de final for um indicativo do que vem pela frente, prepare-se. França e Argentina protagonizaram um thriller para a história das Copas, com uma atuação marcante de Kylian Mbappé na vitória francesa por 4 a 3. Os europeus abriram o placar com Griezmann, após uma arrancada veloz do jovem, mas a Argentina conseguiu a virada. Com uma certa ajuda do acaso: Di María tirou um coelho da cartola e empatou, com um chute de fora da área, e Mercado virou, desviando finalização de Messi.

Mas bastou à França acelerar um pouco para aproveitar a fragilidade defensiva da Argentina. Duas bolas lançadas na ponta esquerda encontraram Lucas Hernández livre, e os franceses viraram. Em outra transição veloz, Mbappé matou a partida. Agüero descontou nos minutos finais, e os argentinos esboçaram uma pressão. Mas não deu tempo. 

Começo previsível

A França chegou melhor às oitavas de final, com uma campanha sem sustos e até devagar demais, ao contrário da Argentina, que suou sangue para se classificar. E o começo do jogo mostrou esse contraste. Griezmann acertou o travessão, em cobrança de falta. Em seguida, Mbappé aproveitou a indecisão do meio-campo argentino e arrancou. Muito, muito rápido. Adiantou a bola e estava circundando Rojo para preparar o cruzamento quando foi derrubado pelo herói da vitória sul-americana sobre a Nigéria. Griezmann bateu o pênalti e fez 1 a 0 para os franceses.

Marcha lenta

A França não forçou para ampliar. Por algum tempo, esperou para ver como a Argentina reagia a estar mais uma vez atrás no placar neste Mundial. Teve duas boas chegadas pela direita, com Mbappé e Griezmann, sempre em cima de Tagliafico, mas não criou muito perigo. No outro lado, os sul-americanos também não ameaçaram Lloris. Aos 41 minutos, Di María, que fazia um jogo ruim e faz uma péssima Copa do Mundo, achou um chutaço de fora da área, sem chances para o goleiro francês. E, de repente, meio do nada, o jogo estava empatado. 

Argentina não pode reclamar da sorte

Logo no começo do segundo tempo, a Argentina conseguiu a virada. Falta cobrada pela direita sobrou para Messi, na ponta da área. A Pulga dominou, girou e buscou a perna esquerda. Bateu fraco, e Lloris fazia a defesa. Mas, no meio do caminho, Mercado tentou tirar o pé para não atrapalhar a trajetória da bola e desviou para o fundo das redes: 2 a 1.

O meio-campo aponta o caminho

Grande parte da qualidade do time francês está no meio-campo. E foi de lá que surgiram as jogadas da virada francesa. Mercado estava mais para o meio da defesa, e Pavón cobria a lateral direita, em vez de pressionar Matuidi, que avançava pela esquerda. O passe do volante da Juventus foi preciso no espaço entre os dois argentinos. Lucas Hernández apareceu na esquerda e conseguiu o cruzamento antes do bloqueio de Mercado. De lateral para lateral: no outro lado do campo, Pavard apareceu para cortar a bola e marcar um golaço.

O terceiro gol foi parecido: Pogba abriu com Lucas Hernández, sozinho. Quem aparece para pressionar é Pavón. O cruzamento chega na área, onde Matuidi tenta chutar e é bloqueado. Mbappé pega a sobra, dribla para a perna esquerda e bate cruzado. Armani tenta a defesa, mas a bola passa por baixo do goleiro argentino. 

Defesa vazada

A fragilidade da defesa argentina foi ainda mais evidente no quarto gol. A jogada começou com Hugo Lloris, com passes rápidos, mas curtos. Mesmo assim, a França pegou a adversária desmontada na retaguarda. Tudo porque Otamendi saiu da linha defensiva para dar bote em Griezmann no meio-campo. Matuidi passou para Giroud, que deu um toque muito esperto para Mbappé, voando livre pela direita: 4 a 2. 

Sufoco no fim

Messi colocou a bola na cabeça de Agüero, já aos 47 minutos do segundo tempo. A Argentina conseguiu descontar e tentar um sufoco no fim. Mas uma falta sul-americana no meio-campo esfriou a partida e gastou os dois minutos finais. A equipe ainda conseguiu chegar ao ataque e teve um cruzamento perigoso. Bola para fora. Argentina, também. 

Ficha técnica

França 4 x 3 Argentina

Local: Arena Kazan, em Kazan
Árbitro: Alireza Faghani (IRA)
Gols: Griezmann, Benjamin Pavard e Mbappé, duas vezes (FRA); Di María, Mercado e Agüeiro (ARG)
Cartões amarelos: Matuidi, Pavard e Giroud (FRA); Rojo, Tagliafico, Mascherano, Banega e Otamendi (ARG)

França: Hugo Lloris; Benjamin Pavard, Raphaël Varane, Samuel Umtiti e Lucas Hernández; N’Golo Kanté, Paul Pogba, Blaise Matuidi (Corentin Tolisso), Antoine Griezmann (Nabil Fekir) e Kylian Mbappé (Florian Thauvin); Olivier Giroud. Técnico: Didier Deschamps

Argentina: Franco Armani; Gabriel Mercado, Federico Fazio (Marcos Rojo), Nicolás Otamendi e Nicolás Tagliafico; Javier Mascherano, Enzo Pérez (Sergio Agüero) e Éver Banega; Angel Di María, Cristian Pavón (Maximiliano Meza) e Lionel Messi. Técnico: Jorge Sampaoli

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo