Copa do Mundo

México sucumbiu ao nervosismo e à imposição da Suécia, mas avança na bacia das almas

A Suécia mostrou força no seu último jogo da fase de grupos. Diante do México, que venceu os dois primeiros jogos, venceu com autoridade, aproveitou as falhas do time latino-americano, fez 3 a 0 e mais do que se classificar para as oitavas de final, se garantiu como primeiro do grupo. O México correu muitos riscos, mas a vitória da Coreia do Sul contra a Alemanha acabou beneficiando os mexicanos, que avançam como segundos colocados. Os suecos conquistam um primeiro lugar crescendo na competição, terminando a fase de grupos em um grande momento e no seu melhor jogo. O México, ao contrário, começou da melhor forma possível vencendo a Alemanha, mas termina no fio da navalha e só se classificou pelo improvável resultado sul-coreano contra os alemães. Precisará rever os erros para a próxima fase.

Nervosismo

Vencer os dois primeiros jogos do grupo e ainda chegar ameaçado de não se classificar é algo que realmente o México não esperava passar. Na verdade, ninguém espera. Por isso, o início de jogo mexicano carregava um componente emocional intenso. Assim, a Suécia aproveitou para ter uma postura mais ofensiva do que em relação aos outros jogos.

Troca de chances

Aos 16 minutos, a Suécia errou a saída de bola, Lozanno tocou para Vela, que teve liberdade, dominou e chutou por cima do gol. A bola passou perto, mas não entrou e o camisa 11 lamentou. Uma grande chance mexicana para abrir o placar.

Um minuto depois, aos 17, foi a vez da Suécia. Em uma especialidade da casa, um cruzamento para a área, a bola passou por todo mundo e sobrou para Forsberg finalizar, meio no susto, e mandar por cima. A bola veio muito rápida e o principal jogador da Suécia não conseguiu bater bem nela.

VAR acionado e recusado

Aos 28 minutos, em um lance na área do México, Chicharito dominou uma bola com o braço para sair jogando. Os suecos reclamaram muito, pediram o VAR e o árbitro acabou indo revisar o lance na TV o possível pênalti. Voltou convicto que ele acertou, não marcou o pênalti e apontou o escanteio.

Defesaça de Ochoa

Depois de cobrança de escanteio, a bola sobrou na área e Berg deu uma solada na bola, já na pequena área. Ochoa fez uma grande defesa, jogou para escanteio e impediu o primeiro gol da Suécia.

México sem controle, Suécia perigosa

O México passou longe de controlar o jogo, algo que também teve dificuldades nos jogos anteriores. Com a diferença que contra a Alemanha não era a proposta e, contra a Coreia do Sul, o time conseguiu ser agressivo no ataque. Nesta partida, o time tem sofrido e parece mais ansioso pelo gol do que a Suécia, que chegou com perigo em um contra-ataque.

Gol da Suécia

A Suécia trocou bons passes no início do segundo tempo, trabalhou a bola pelo meio com Larsson, que abriu no lado direito. No cruzamento, Claesson furou, mas a bola sobrou para Augustinsson, que chutou cruzado e venceu Ochoa: 1 a 0 para a Suécia.

Pênalti sem VAR e sem revisão

Aos 15 minutos do segundo tempo, um grande contra-ataque da Suécia, que pegou o México desarrumado atrás. Berg foi lançado, Moreno deu o carrinho e o árbitro Nestor Pitana apontou a marca da cal. Pênalti marcado e sem revisão do VAR, apesar das muitas reclamações dos mexicanos. Sem revisão, Granqvist, o capitão sueco, pegou a bola e cobrou com uma precisão incrível: chute no ângulo, sem defesa: 2 a 0 para os escandinavos.

Suécia aproveita abalo

Enquanto o México se desesperava com os gols que tomou, a Suécia aproveitou para aumentar o placar aos 29 minutos. Em cruzamento da direita, Thelin desviou para trás e Toivonen disputou a bola, mas quem tocou para o gol, marcando gol contra, foi Edson Álvarez. Àquela altura, o jogo parecia já decidido em termos de resultado.

Festa mexicana… Nas arquibancadas

Com o time tomando uma sova em campo, a torcida mexicana, que fez muita festa em Ecaterimburgo, teve um grande momento de comemoração: o gol da Coreia do Sul contra a Alemanha, que garantiu os mexicanos na próxima fase. Havia uma tensão enquanto o outro jogo do grupo estava 0 a 0, porque um gol alemão eliminaria o México. O primeiro, e depois o segundo gol, fizeram oe mexicanos explodirem em alegria, algo que a própria seleção mexicana não proporcionou contra a Suécia.

FICHA TÉCNICA

México 0x3 Suécia

Local: Arena Ecaterimburgo, em Ecaterimburgo (Rússia)
Árbitro: Nestor Pitana (Argentina)
Gols: Augustinsson aos 5’/2T, Granqvist aos 17’/2T, Edson Álvarez, contra, aos 29’/2T (Suécia)
Cartões amarelos:
Gallardo, Moreno, Layún (México), Larsson, Lustig (Suécia)

México

Guillermo Ochoa; Edson Álvarez, Carlos Salcedo, Héctor Moreno e Jesús Gallardo (Marco Fabián aos 20’/2T); Héctor Herrera e Andrés Guardado (Jesús Corona aos 30’/2T); Miguel Layún, Carlos Vela e Hirving Lozano; Javier Chicharito Hernández. Técnico: Juan Carlos Osorio

Suécia

Robin Olsen; Mikael Lustig; Victor Lindelof, Andreas Granqvist e Ludwig Augustinsson; Viktor Claesson, Sebastian Larsson (Gustav Svensson aos 11’/2T), Albin Ekdal (Oscar Hiljemark aos 35’/2T) e Emil Forsberg; Marcus Berg (Isaac Thelin aos 23’/2T) e Ola Toivonen. Técnico: Janne Andersson

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Bloqueador detectado

A Trivela é um site independente e que precisa das receitas dos anúncios. Considere nos apoiar em https://apoia.se/trivela para ser um dos financiadores e considere desligar o seu bloqueador. Agradecemos a compreensão.