Eliminatórias da CopaLeste Europeu

Polônia se recusa a enfrentar a Rússia pela repescagem das Eliminatórias da Copa

Presidente da Federação Polonesa ainda quer convencer os outros países a adotarem a mesma postura diante da Fifa

A Polônia se recusa a jogar contra a Rússia na repescagem das Eliminatórias da Copa do Mundo, em confronto marcado para o dia 24 de março, mas o presidente da Federação Polonesa de Futebol, Cezary Kulesza afirmou neste sábado declarou que pretende impedir que o jogo aconteça após a invasão russa na Ucrânia.

VEJA MAIS:
Sai São Petersburgo, entra Paris: Uefa tira final da Champions 2022 da Rússia
Federações de Polônia, Tchéquia e Suécia pedem que a repescagem da Copa não seja realizada em território russo
“Acordamos com o barulho das explosões”, diz técnico do Shakthar Donetsk

O confronto entre Polônia e Rússia, inicialmente marcado para o dia 24 de março em Moscou, já foi alterado de local. A Uefa anunciou que clubes e seleções de Rússia e Ucrânia terão que mandar seus jogos em países neutros. O vencedor de Rússia e Polônia enfrenta o vencedor de Suécia e Tchéquia por uma vaga na Copa do Mundo 2022, no caminho B das Eliminatórias.

No Twitter, Kulesza fez um anúncio no Twitter, citou a invasão russa e indicou que a Polônia está em conversas com outras federações para apresentar uma posição unificada à Fifa a respeito do assunto. “Sem mais palavras, é o momento de agir! Devido à escalada da agressão da Federação Russa contra a Ucrânia, a seleção polonesa não pretende disputar o playoff contra a Rússia. Esta é a decisão certa. Estamos conversando com as federações da Suécia e Tchéquia para apresentar uma posição comum à Fifa”, escreveu Kulesza.

O atacante Robert Lewandowski, principal jogador polonês e capitão da seleção, compartilhou a publicação do dirigente da federação e apoiou. “É a decisão certa! Não posso imaginar jogar uma partida com a seleção russa em uma situação quando uma agressão armada na Ucrânia continua. Os jogadores e torcedores russos não são responsáveis por isso, mas não podemos fingir que nada está acontecendo”.

Na quinta-feira, a Fifa se manifestou a respeito da situação. “A violência nunca é uma solução e a Fifa pede que todos os envolvidos restaurem a paz através de um diálogo construtivo. A Fifa também expressa sua solidariedade às pessoas afetadas por este conflito”, diz o comunicado da Fifa.

“Em relação a questões de futebol tanto na Ucrânia quanto na Rússia, a Fifa continuará a monitorar a situação e atualizações em relação às Eliminatórias da Copa 2022 serão comunicadas no devido tempo”.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo