Eliminatórias da CopaLeste Europeu

Mais pressão: Suécia se une à Polônia e se recusa a enfrentar Rússia na repescagem da Copa

Seleção sueca poderia enfrentar a Rússia, caso russos vencessem a Polônia, mas suecos se recusam a realizar o jogo em qualquer local

A pressão sobre a Rússia no futebol aumenta. Após a Polônia declarar que se recusa a enfrentar a Rússia, em jogo que está marcado entre as duas seleções para o dia 24 de março pela repescagem das Eliminatórias da Copa, agora é a Suécia que também se pronuncia e diz que não jogará contra os russos. O comunicado foi feito pela Associação de Futebol Sueca, SvFF, e divulgado em redes sociais.

VEJA MAIS: Quando Salenko inaugurou a história da seleção da Ucrânia, antes de virar recordista pela Rússia, e outros jogadores que cruzaram as fronteiras das duas equipes nacionais

“A diretoria da Associação Sueca de Futebol decidiu que a seleção sueca masculina não irá jogar um possível jogo de repescagem contra a Rússia, independentemente de onde a partida for jogada. A diretoria ainda implora à Fifa que cancele os jogos da repescagem envolvendo a Rússia”, diz nota da SvFF.

A SvFF ainda elencou os motivos que levaram à decisão. “A invasão ilegal e profundamente injusta da Ucrânia atualmente torna qualquer interação de futebol com a Rússia. Por isso, pedimos urgentemente que a Fifa decida que os jogos de repescagem de março que envolvam a Rússia sejam cancelados. Mas, independentemente do que a Fifa escolher, não jogaremos contra a Rússia em março”, diz o presidente da SvFF, Karl-Erik Nilsson. “Temos dificuldade em acreditar que a Fifa não seguirá nossa decisão. A Rússia não pode participar da competição enquanto essa loucura continuar”.

A Suécia enfrenta a Tchéquia pela repescagem no dia 24 de março, enquanto a Rússia enfrenta a Polônia no mesmo dia, segundo está marcado. Os vencedores dos dois jogos se enfrentam no dia 29 de março, com mando dos segundos. Ou seja: a Rússia jogaria os dois potenciais jogos que tem para fazer em Moscou. As seleções envolvidas nesta chave fizeram manifesto conjunto dizendo que não jogariam em Moscou.

“Além das razões morais, que em si já são mais do que suficientes, é possível também questionar se os jogos com a Rússia envolvida podem ter garantia em termos de segurança na atual situação, mesmo que os jogos sejam levados a um local neutro”, diz ainda a nota da SvFF.

O Ministro do Esporte da Suécia, Anders Ygeman, deu uma posição clara em relação ao que ele acredita ser o correto em termos de boicote aos russos. “Enquanto a agressão da Rússia continua, quero que a União Europeia tome uma decisão que não participará de qualquer evento russo e irá excluir participantes profissionais russos de participarem em eventos em outros países”, disse o político, citado pela própria SvFF.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo