Copa do Mundo

A Copa do Mundo tem mais uma baixa imensurável, com o corte de Benzema da seleção francesa

Benzema lesionou a coxa durante treino da França e os exames indicaram uma recuperação de três semanas, com a opção pelo corte

A França toma baque atrás de baque nesta preparação à Copa do Mundo. A lista de desfalques por lesão inclui N’Golo Kanté, Paul Pogba, Christopher Nkunku, Mike Maignan, Presnel Kimpembe e Boubacar Kamara. Já a adição mais recente e lamentada a este grupo é a de Karim Benzema. O atual dono da Bola de Ouro está fora do Mundial do Catar. Num início de temporada marcado pelos problemas físicos, o atacante tentava ficar em forma para seu retorno ao torneio após oito anos. Todavia, o L’Équipe antecipou sua ausência na estreia e também os riscos para os jogos seguintes. Não demorou para que a federação francesa anunciasse o corte do veterano na noite deste sábado, por uma contusão no quadríceps.

Segundo a nota da FFF, Benzema sentiu dores na coxa esquerda após o treino com a seleção francesa – um problema diferente dos que vinha lidando recentemente. O atacante passou por exames posteriores em Doha, que confirmaram uma lesão que demandará três semanas de recuperação. Diante do prognóstico, Didier Deschamps se viu forçado a cortar o centroavante dos Bleus. O substituto ainda não foi anunciado. “Estou extremamente triste por Karim, que fazia dessa Copa o seu maior objetivo. Apesar desse novo baque à seleção francesa, tenho total confiança em meu grupo. Faremos de tudo para superar esse imenso desafio que nos espera”, afirmou Deschamps.

Aos 34 anos, Benzema permanece com apenas uma Copa do Mundo no currículo. Em 2010, o jovem centroavante foi ignorado de maneira controversa na lista final dos Bleus. Sua chance veio em 2014, quando se colocou como um dos líderes do elenco, mas sucumbiu nas quartas de final diante da Alemanha. Já em 2018, após ser afastado da seleção por conta do caso de chantagem sobre Mathieu Valbuena, o artilheiro viu de longe seus companheiros comemorarem o título na Rússia. Até por isso, ele se mostrava disposto a dar a volta por cima no Catar, depois de disputar a Eurocopa e conquistar a Liga das Nações.

Benzema vem de uma temporada exuberante pelo Real Madrid, mas seu rendimento nos últimos meses realmente caiu. Os problemas físicos se tornaram comuns e existiam inclusive suposições de que o veterano “estaria se poupando no clube” para disputar a Copa do Mundo. De fato, ele sabia que este poderia ser o seu grande momento nos Mundiais. Todavia, a lesão no quadríceps mostra que nem tudo era intencional e que as limitações verdadeiramente travavam o artilheiro. É uma perda imensa não apenas para a França, dentro de perspectivas cada vez mais limitadas pelas importantes contusões, mas para a própria Copa do Mundo, sem o atual Bola de Ouro.

Sem Benzema, quem deve ganhar a posição no ataque da França é Olivier Giroud. O centroavante continua entregando gols no Milan, mas oferece um estilo de jogo diferente e tem qualidades menores que Benzema. Marcus Thuram e Randal Kolo Muani são outras alternativas no elenco atual. Fato é que, cada vez mais, Kylian Mbappé parece sobrecarregado em seu papel de protagonista. Permanece ao lado de Antoine Griezmann, mas este não atravessa temporadas tão confiáveis. Quanto ao suplente na convocação, Wissam Ben Yedder tende a ser o favorito, por ser da mesma posição que Benzema. Ainda assim, não surpreenderá se Deschamps resolver suprir outro setor, especialmente quando o miolo do ataque já possui outros nomes no grupo.

Sem Benzema, a Copa do Mundo não contará com os dois primeiros colocados da Bola de Ouro por lesão – incluindo Sadio Mané. O Top 20 também não teve as classificações de Mohamed Salah, Erling Braut Haaland, Riyad Mahrez, Luis Díaz e Sébastien Haller. É uma Copa que perde bastante brilho por essas ausências, considerando ainda outros contundidos como Marco Reus, Georginio Wijnaldum e Giovani Lo Celso. A França, de qualquer forma, é de longe a mais prejudicada por tantos cortes. E a missão de defender o título, que parecia difícil, se torna mais dura sem o “reforço” recente de Benzema. É ver como esse golpe será digerido pelos Bleus.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo