Brasil

Uma semana depois da morte de Maradona, Pelé escreve: “Eu te amo, Diego”

No dia que a morte de Diego Maradona completou uma semana, nesta quarta-feira, dia 2, Pelé se manifestou no seu Facebook para homenagear mais uma vez o craque argentino. Pelé falou sobre as comparações tantas vezes feitas entre os dois, sobre a forma sempre aberta de Diego falar sobre suas paixões e o chamou de lenda, “um mágico com a bola nos pés”.

LEIA MAIS: Como a infância do menino-craque de Villa Fiorito moldou o talento e a personalidade do gênio Maradona

Pelé, assim como Maradona, fez aniversário em outubro. O brasileiro completou 80 anos no dia 23 de outubro. Foi o craque da geração anterior a Diego. O argentino fez 60 anos em 30 de outubro. Ambos foram e merecem ser homenageados por tudo que fizeram em campo, jogadores que não só fizeram a alegria dos torcedores que tiveram a chance de vê-los com a camisa dos seus times, ou do seu país, mas também a todos aqueles que gostam de futebol e admiram os craques que moldam o esporte.

Dois camisas 10, muito diferentes entre si, mas ambos alcançaram o status de lenda. Craques dos seus clubes, de Copas do Mundo, que brilharam nos maiores palcos das suas épocas. Criaram histórias incríveis que merecem ser repassadas a todos. Quem não se emociona vendo o que esses dois faziam em campo?

Leia a carta de Pelé ao craque:

Já se passaram sete dias desde que você partiu. Muitas pessoas adoravam nos comparar durante toda a vida. Você foi um gênio que encantou o mundo.  Um mágico com a bola nos pés. Uma verdadeira lenda. Mas acima disso tudo, para mim, você sempre será um grande amigo, com um coração maior ainda.

Hoje, eu sei que o mundo seria muito melhor se pudéssemos comparar menos uns aos outros e passássemos a admirar mais uns aos outros. Por isso, quero dizer que você é incomparável.

A sua trajetória foi marcada pela honestidade. Você sempre declarou seus amores e desamores aos quatro ventos. E com esse seu jeito particular, ensina que temos que amar e dizer “eu te amo” muito mais vezes.  Sua partida rápida não me deixou dizer, então apenas escrevo: Eu te amo, Diego.

Meu grande amigo, muito obrigado por toda a nossa jornada. Um dia, lá no céu, vamos jogar juntos no mesmo time. E vai ser a primeira vez que eu vou dar socos no ar sem estar comemorando um gol, mas sim, por poder te dar mais um abraço.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo