Brasil

Reação da torcida do Corinthians após a derrota para a Ponte Preta é sinal de pacto com António Oliveira

Mesmo com bons números e volume de jogo, Corinthians perdeu para Ponte Preta; António Oliveira agradece postura da torcida e cobra assertividade do seu elenco

O torcedor não aguenta mais ouvir esta frase em 2024: ‘o Corinthians foi derrotado’. E neste domingo (25), ela voltou a ser usada depois que a Ponte Preta deixou a Neo Química Arena com a vitória por 1 a 0. O resultado não era esperado, já o time vinha de uma retomada, estava há quatro jogos sem perder e em uma evolução clara no padrão de jogo.

Nos jogos da temporada passada e no início desta, o time foi alvo de protestos, críticas e vaias ao fim das partidas, com gritos de ordem pedindo mais raça e força de vontade dentro de campo, uma tentativa de que o time, de alguma forma, voltasse a andar nos trilhos.

Mas a postura dos mais de 41 mil torcedores que lotaram as arquibancadas da NeoQuímica Arena após a partida chamou atenção. Mesmo saindo derrotados, os jogadores do Timão deixaram o campo aplaudidos. Para o volante alvinegro Raniele, o motivo é simples: a torcida tem reconhecido o esforço do time e a mudança promovida pelo recém-chegado treinador, António Oliveira.

— Mostra que eles [a torcida] entendem que a gente está se entregando. A gente sabia que a Ponte viria para bola parada ou transição. Transição conseguimos controlar, mas a bola parada levamos o gol. Agradecer a torcida que até o último lance estava apoiando. Apesar dos aplausos, a gente está devendo – afirmou o jogador.

António Oliveira também falou sobre o apoio do torcedor durante e depois da partida, mesmo diante ao revés em casa:

— Sobre a torcida, já me sobram palavras para classificar a forma como essa gente nos apoia. Quero agradecer a eles pelo apoio enérgico do início ao fim e é o que digo sempre… durante os 90 minutos apoiem, porque vai valer a pena, e no final fazem o juízo final. Nós queríamos os três pontos, queremos nos classificar, posso dizer que fazemos as contas, mas queremos classificar, o Corinthians quer estar nas decisões. – disse o treinador

Os motivos para a mudança de postura do torcida corintiana

Faltam duas rodadas para o fim da primeira fase do Campeonato Paulista, e as chances do Corinthians se classificar para a fase do mata-mata do estadual são baixas – mesmo que ainda existente. Para isso, é preciso vencer os dois jogos e torcer para uma combinação de resultados. Apesar desta complicação, a torcida demonstrou apoio ao elenco, mesmo diante a possibilidade de uma eliminação precoce.

O motivo para essa mudança é o desempenho do Corinthians nos últimos jogos. Dentro do campo, os jogadores que antes pareciam desmotivados voltaram a entregar, a competir no tempo de jogo e, principalmente, demonstrar as características que o torcedor espera dos profissionais que defendem o clube. O treinador também elogiou que a entrega do elenco, apontando que esse é o ingrediente principal para alcançar os objetivos na temporada.

— Apesar de eu já ter dito aos meus jogadores, dei os parabéns não pelo resultado, mas pela entrega. Eu pedi a eles para dar tudo e eles entregaram-se de corpo e alma a esta causa. Fizeram tudo e mais alguma coisa em uma sequência de jogos que tem sido dura. – pontou António Oliveira.

Corinthians tem volume, mas António Oliveira quer assertividade

A derrota para a Ponte Preta foi de certa maneira injusta, já que o Timão produziu mais que a Macaca, teve mais volume de jogo, deixando o Corinthians muito perto de empatar a partida. O alvinegro terminou o duelo com mais de 80% da posse de bola, e acumulou 29 finalizações em direção ao gol adversário. O treinador deixou bem claro sua opinião, mesmo com os números.

– Quando falamos em finalizações, é preciso analisar para onde elas foram. Se fossem 29 finalizações e 29 ao gol, eu diria com certeza que o goleiro deles amanhã estava contratado por um clube qualquer. Nessa perspectiva, temos que ser assertivos principalmente nos últimos 30 metros, ter um bocadinho mais de critério, que isso pode eventualmente ter pesado, principalmente em jogadores que tenham uma carga nos últimos jogos. Pode ter pesado e, se calhar, o rendimento hoje foi um bocadinho abaixo – disse António.

Foto de Jade Gimenez

Jade Gimenez

Jornalista, fascinada por esporte desde a infância e transformou a paixão em profissão. Além do futebol, se mantem por dentro de outras modalidades desde Fórmula 1 até NFL. Trabalhou como repórter em TV e rádio cobrindo partidas de futebol, futsal e basquete.
Botão Voltar ao topo