Brasil

Torcedor do São Bento copiou vídeo motivacional épico do Ituano, mas não adiantou: Bentão foi eliminado

Você se lembra daquele vídeo épico que o Ituano produziu para motivar seus jogadores antes da final do Paulistão? Funcionou tão bem na época que o time acabou levando o título contra o Santos e ainda ganhou uma grande repercussão por sua peculiaridade, para dizer o mínimo. Foi tão inspirador que, meses depois, foi reutilizado por um torcedor do São Bento antes do jogo decisivo contra o Botafogo de Ribeirão Preto, pela Copa Paulista. Não adiantou muito, porque o time acabou eliminado pelo Botafogo, em Ribeirão Preto, mesmo vencendo o jogo. E pior: o clube de Itu não gostou nada do que considerou um plágio.

VEJA TAMBÉM: James Rodríguez marca golaço em goleada do Real Madrid sobre o Granada

O “Quem sou eu?”, narrado com uma voz esganiçada, exaltando a superação dos atletas, foi adaptado com imagens do São Bento em sua campanha na Copa Paulista, pela qual disputa neste sábado o jogo de volta das quartas de final contra o Botafogo, após ter perdido a ida por 1 a 0. Com melhor desempenho no torneio, o time de Ribeirão Preto perdeu por 1 a 0 e acabou ficando fora da competição. Mas o épico instantâneo como é o vídeo já está na eternidade.

Apesar de ter sido feito por um torcedor e ter tido poucas visualizações, o plágio irritou tanto o Ituano que o clube publicou uma pequena nota em sua página oficial no Facebook, alegando que o usuário que subiu o vídeo no Youtube não lhe pediu permissão para utilizar “a voz e o texto com direito intelectual do Ituano FC”.

O rapaz responsável pela adaptação foi alvo da reclamação do Ituano e o pior é que seu sacrifício não adiantou muito. Se funcionou para o time de Itu na fantástica conquista contra o Santos, desta vez o Bentão não conseguiu superar a melhor campanha do time de Ribeirão Preto. Será que foi maldição do Ituano, que não gostou do plágio?

Confira a versão do São Bento para o épico “Quem sou eu?”:

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo