Brasil

Tite vive início de semana com polêmicas, mesmo em excelente início de ano do Flamengo

Entre Daniel Alves e declarações de ex-presidente do Corinthians, Tite vive início de semana conturbado nos bastidores

O início de ano do Flamengo dentro das quatro linhas é muito interessante. A equipe comandada por Tite está invicta em 2024, tendo o melhor ataque do Campeonato Carioca, e a melhor defesa do futebol brasileiro, com apenas um gol sofrido em dez partidas. Os números expressivos, no entanto, não impedem que o treinador tenha um começo de semana turbulento.

As polêmicas envolvendo Tite não tem nada a ver com o Flamengo, e sim com declarações recuperadas fora das quatro linhas. Depois de vencer o Fla-Flu, no último domingo (25), o treinador foi perguntado sobre a situação de Daniel Alves e sua resposta pegou mal. Um dia depois, na segunda-feira (26), um ex-presidente do Corinthians atacou o comandante em entrevista. O silêncio, por enquanto, paira no ar.

A declaração sobre Daniel Alves

Quando perguntado sobre a situação de Daniel Alves, condenado a mais de quatro anos de prisão por estupro na Espanha, Tite teve mais cautela do que o esperado. Além de preferir um lado sem julgamentos, o comandante tentou relacionar o caso do ex-lateral com o de Neymar, em que foi configurado uma tentativa de golpe ao meia-atacante da Seleção Brasileira.

— Eu entendo a tua pergunta. Eu não posso fazer julgamento sem ter todos os fatos e as informações verdadeiras a respeito. Posso falar conceitualmente. Conceitualmente, todo erro deve ser punido. Mas não sou julgador e não tenho todos os fatos. Fora que há uma etapa de um profissional que trabalhou comigo e existem outras etapas profissionais e pessoais que ele também exerce. Essas eu não conheço e não posso julgar, tenho que ter muito cuidado. Vou dizer mais: quando fui numa coletiva que houve um problema com Neymar, foram 24 perguntas, tive que responder 18 a respeito de um suposto (estupro). E eu disse a mesma coisa, que eu não tinha conhecimento aprofundado. Mas quem erra deve ser punido. Foi assim que eu fui educado. Primeiro te ensino, segundo tu é punido para que aprenda.

É natural que Tite prefira esse caminho com Daniel Alves, afinal, os dois se conhecem há anos e trabalharam juntos em dois ciclos de Copa do Mundo. O ex-jogador do Barcelona, inclusive, foi o capitão da Seleção Brasileira no Mundial de 2022, o último de Adenor Bachi em contrato com a CBF. O comandante até foi bem no “todo erro deve ser punido”, mas, de resto, a declaração pegou muito mal.

Tite errou ao tentar comparar os casos de Daniel Alves e Neymar, pois um foi condenado e outro absolvido. A declaração surpreendeu ainda mais por conta da postura do treinador, de valorização ao lado humano e pensamentos mais sociais. O “corporativismo” ou a falta de informações do comandante deixaram um clima de indignação por boa parte da imprensa, mesmo que não interfira em nada no Flamengo.

Tite e Daniel Alves trabalharam juntos na Seleção Brasileira por seis anos (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Ex-dirigente do Corinthians detona Tite

Depois da gafe na coletiva, Tite ainda precisou ouvir de um ex-presidente do Corinthians que seu trabalho no Parque São Jorge não foi aquela beleza que todos pintam. Mário Gobbi, mandatário do Timão durante as conquitas inéditas da Libertadores e do Mundial de Clubes, detonou a postura do treinador com relação a uma possível reformulação na equipe paulista.

— Acho que o Tite não voltou para o Corinthians porque ele é bom para remar para a frente. Quando ele precisa fazer uma reformulação, não sabe fazer. Tite é 100% coração e ia ter lá 8 jogadores do tempo que ele treinou em 2012. E ele não é 100% profissional. É 80% profissional e 20% coração. Ele ganhou, é muito bom, mas tem um outro lado dele que vocês não conhecem, entendeu? Ele não ia vir para cá agora porque não ia fazer isso com o Cássio, com o Fábio Santos, com o Gil, com o Fagner, com o Paulinho.

Gobbi ainda abriu o jogo sobre a situação de Marquinhos, zagueiro do PSG e da Seleção Brasileira, que subiu para os profissionais do Corinthians quando Adenor estava no comando. Segundo o ex-presidente, Tite não via o defensor como uma grande promessa e pagou caro por isso.

— Chegou uma proposta para o Marquinhos por 5,5 milhões de euros da Roma. Falei: não vendo. E pressão, facada, toma, vai e vem. Eu não queria vender, ele era a joia da coroa. Tanto que falei: eu só vendo o Marquinhos se o Tite sair do CT e vier aqui na minha sala e disser para mim que ele não tem futuro. Na semana seguinte, o Tite saiu do CT, no carro do Roberto (de Andrade), foi na minha sala e disse: ‘Presidente, o Marquinhos não vai dar zagueiro, ele é franzino, é baixo, não ganha bola no alto, não tem impulsão. O máximo que o Marquinhos vai ser é um lateralzinho, talvez um volante. Então, não quero e não vou mais relacionar o Marquinhos — disse, antes de concluir:

— Ele me falou que queria um segundo volante para preparar para o lugar do Paulinho, que ia para o Tottenham. Perguntei quem ele queria. Ele disse que queria o Gabriel, da Portuguesa. Eu falei: você tem certeza do que tá me falando? Tem três pessoas aqui presenciando essa conversa. Então, como ele disse que não ia relacionar, eu falei: então vende o Marquinhos e compra o Gabriel da Portuguesa. Ele ficou seis meses no Corinthians e não jogou mais. Eu falei: Tite, você vai pagar caro por isso. E quem errou o pênalti na última Copa do Mundo? Marquinhos — finalizou, em entrevista à ESPN.
Tite e Mário Gobbi se cumprimentam durante coletiva no Corinthians (Foto: Divulgação/SCCP)
Tite e Gobbi já haviam se desentendido em outro momento, justamente durante a segunda passagem do treinador pelo Corinthians. Briga interna de bastidores, totalmente normal de quem estava tomando as decisões no clube à época. Eles ficaram sem se falar entre 2013 e 2017, mas fizeram as pazes e estavam bem desde então. Depois das declarações desta semana, o clima pode voltar a esquentar.

Momento é de silêncio e foco no trabalho

De volta ao Ninho nesta terça-feira (27), Tite terá a semana livre para trabalhar e esse deve ser o principal foco, não declarações vindas de fora. O trabalho do comandante neste início de ano é excelente, como mencionado, e o Flamengo quer se manter entre os melhores times do país neste início de temporada. Para isso, a comissão técnica adota cautela e silêncio. A Trivela tentou contato com o treinador, sem sucesso.
É possível, contudo, que Tite venha a falar sobre o assunto na próxima oportunidade de falar com a imprensa, que será neste sábado (02), após o jogo contra o Madureira. O compromisso vale a confirmação do título da Taça Guanabara ao Flamengo e será disputado a partir das 16h (de Brasília), no Maracanã.
Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

É repórter na cobertura do Flamengo há três anos, com passagens por Lance! e Coluna do Fla. Fã de Charlie Brown Jr e enxadrista. Viver pra ser melhor também é um jeito de levar a vida!
Botão Voltar ao topo