Brasil

Pergunta sobre Daniel Alves rouba a cena em coletiva ‘protocolar’ de Tite, pós Flamengo x Fluminense

Coletiva de Tite após a vitória do Flamengo sobre o Fluminense seria "mais do mesmo" se não fosse pergunta polêmica sobre Daniel Alves

A coletiva de Tite depois da vitória contra o Fluminense, por 2 a 0, foi bastante protocolar. O treinador voltou a elogiar o empenho do time, falar sobre a possível chegada de Léo Ortiz e analisar a busca do Flamengo pelo equilíbrio. A única exceção foi a resposta para uma pergunta sobre a situação de Daniel Alves, em que, convenhamos, o comandante não foi bem. Ainda deu tempo de Matheus Bachi, que acompanhou o pai na entrevista, elogiar o bom momento de Varela no time.

O que Tite (e Matheus Bachi) disse durante a coletiva?

  • A busca incessante por um time equilibrado
  • Uma resposta no mínimo duvidosa sobre Daniel Alves
  • Explicações sobre a rivalidade “Carioca x Paulista”
  • Elogios ao gramado do Maracanã

A resposta sobre Daniel Alves

— Eu entendo a tua pergunta. Eu não posso fazer julgamento sem ter todos os fatos e as informações verdadeiras a respeito. Posso falar conceitualmente. Conceitualmente, todo erro deve ser punido. Mas não sou julgador e não tenho todos os fatos. Fora que há uma etapa de um profissional que trabalhou comigo e existem outras etapas profissionais e pessoais que ele também exerce. Essas eu não conheço e não posso julgar, tenho que ter muito cuidado.

— Vou dizer mais: quando fui numa coletiva que houve um problema com Neymar, foram 24 perguntas, tive que responder 18 a respeito de um suposto (estupro). E eu disse a mesma coisa, que eu não tinha conhecimento aprofundado. Mas quem erra deve ser punido. Foi assim que eu fui educado. Primeiro te ensino, segundo tu é punido para que aprenda.

Saindo da polêmica, Tite valorizou a atuação e a entrega do Flamengo diante do Fluminense, no último clássico da Taça Guanabara. Na opinião do treinador, o Rubro-Negro está se aproximando cada vez mais daquele equilíbrio que se fala desde o ano passado. 

— Na vida, no esporte, em tudo, as pessoas acham que equilíbrio é fácil. Mas é muito difícil. Tem diferentes jogos dentro do jogo. O primeiro tempo foi equilibrado. Mas no segundo tempo tivemos uma supremacia muito grande e nos fizemos merecedores do placar. Quando falo de equilíbrio falo de uma equipe que fez mais de dois gols por jogo e é consistente defensivamente. Ela não é boa porque defende, ela não é boa porque ataca. Ela é boa porque é equilibrada — disse.

Tite e Matheus Bachi durante a coletiva deste domingo (25), pós Fla-Flu (Foto: Reprodução/Twitter)

Matheus Bachi elogia a ascensão de Varela

Como a Trivela havia publicado, Guillermo Varela é um dos jogadores que mais ganharam confiança neste início de temporada. Titular em praticamente todos os jogos, o uruguaio tem se tornado peça importante no lado direito, cada vez mais seguro, especialmente na defesa. O camisa 2 recebeu elogios de Matheus Bachi, filho e auxiliar de Tite, na coletiva pós jogos.

— Varela é um grande jogador, Wesley é um grande jogador. A gente trabalha com grandes jogadores. A gente tem um conhecimento do que o adversário faz. Não queremos expor os atletas, mas sempre colocamos funções que acreditamos que eles podem fazer. Hoje ele foi muito sólido defensivamente. Mesmo com superioridade do lado dele, nosso comportamento fez com que a gente não sofresse mais. A gente entender esses processos, entender também o tamanho da camisa do Flamengo. Com um pouquinho de paciência, tenho certeza que quem a gente tem vai dar conta do recado. Já está dando — exaltou.

Pedro: papai e artilheiro

Melhor do Flamengo na partida, Pedro falou com a imprensa depois da partida. O atacante voltou a reafirmar que as vaias, ouvidas durante o jogo contra o Boavista, não o afetam. O foco sempre será dentro de campo, e o Flamengo só tem a ganhar com isso.

— Como eu disse no último jogo, nada vai me abalar. Tanto elogio quanto vaias, vou sempre ser o mesmo, procurando evoluir, focado dentro de campo para dar o melhor pelo Flamengo. Fico feliz por mais um gol, mais uma vitória — confessou.

O artilheiro do Flamengo em 2024 também revelou que vai ser papai e, assim como na partida deste domingo, em dose dupla. Pedro e sua esposa estão esperando gêmeos, e a comemoração com a bola na barriga, já tradicional, foi bastante simbólica.

— Tenho que agradecer a Deus pelas bênçãos que ele me deu agora, e à minha esposa. Estamos esperando gêmeos. Reservei esse jogo especial para fazer essa homenagem aos meus filhos e minha esposa. Ainda não sabemos o sexo deles, Tenho certeza que já são uma bênção nas nossas vidas. Estamos muito felizes com isso — concluiu.

Pedro comemora seu gol contra o Nova Iguaçu, o nono em 2023 pelo Flamengo (Foto: Gilvan de Souza/CRF)

O Flamengo volta a campo no fim de semana, mais especificamente no próximo domingo (03), para dar seu último passo na Taça Guanabara. O Rubro-Negro encara o Madureira, sem horário definido pela federação carioca, no Maracanã. A equipe de Tite acumula 24 pontos e só perde o título da primeira fase do Carioca com um desastre, já que leva vantagem de três pontos e mais 11 gols no saldo para Fluminense e Nova Iguaçu.

Veja outros pontos abordados na coletiva

Sobre o Fla-Flu

— Acho que no primeiro tempo a gente conseguiu manter uma pressão alta por um tempo muito grande. Mesmo quando eles conseguiam romper a pressão, eles não conseguiam ter a profundidade. A gente conseguiu fazer o controle e baixar a linha. Fizemos com que eles não gerassem tantas situações. Eles tem o costume de fazer assim. Eles trocaram quatro jogadores, mas colocaram jogadores de qualidade. A gente sabia dos problemas que eles poderiam causar. Acredito que encontrar o timing de fazer a pressão e conseguir organizar o processo ofensivo fez a gente gerar superioridade. (Matheus Bachi)

— Flamengo e Fluminense têm duas ideias muito parecidas. As duas equipes gostam da bola, gostam do jogo. Por vezes uma alterna para ser vertical, daqui a pouco a outra atrai para o lado para procurar o gol pelo outro. Mas são duas equipes que gostam de jogar futebol. Esse lance segue o princípio do basquete. Muitas vezes você roda a bola de um lado, do outro. Nisso, você mexe a marcação do adversário e as coberturas. É o primeiro movimento, segundo movimento, terceiro… Essa coordenação de sequência de movimentos é difícil de fazer. Daqui a pouco você encontra espaço de infiltração, você não faz isso a esmo, faz com objetivo para infiltrar. Nossa equipe é aguda, tem velocistas, tem Arrasca, De La Cruz, Igor… (Tite)

— Tem que comemorar, trabalhar. Tem que saber porque ganha, saber por que chegou aqui. Ganhar, comemorar e depois querer ganhar de novo. (Matheus Bachi)

E o Léo Ortiz?

— Não só zagueiro, mas tem outras funções. Existe uma série de jogadores selecionados. O Flamengo tem que ter a responsabilidade de antecipar as situações porque temos que ter jogadores de qualidade. Esse é o ônus de uma equipe como o Flamengo.

Comparações entre Carioca e Paulistão

— Eu me expressei mal e tomei pau pra caramba. Justo. Quando quis falar que o Carioca era mais difícil era do momento dos quatro grandes em relação a São Paulo, não no contexto todo. Eu não me expressei bem. Mas Flamengo tem um grande poderia, Botafogo que esteve na iminência do título, Fluminense campeão da Libertadores e Vasco em ascensão. E no comparativo ao momento dos grandes de São Paulo, é mais difícil. Mas também, há algum tempo atrás, quando Nova Iguaçu começou a fazer uma série de pontos, fizemos uma roda: “Atenção, temos que pontuar, crescer na tabela porque tem uma equipe botando pressão. Daqui a pouco algum grande vai sobrar”. Sobrou. Fica o reconhecimento ao Nova Iguaçu pelo trabalho.

Jogadores do Flamengo convocados para a Seleção Brasileira

— Todos os atletas do Flamengo estão disponíveis para a Seleção Brasileira. Não tenho direito nenhum como técnico de restringir. Sabe por quê? Porque é uma forma de ascensão profissional, de valorização, de objetivos, de crescimento. Não tenho esse direito. Que façam a escolha de maneira mais justa. Me permitam a confidência. Quando o Juan falou que estava saindo, ele falou: “Vou estar com alguns de vocês”. Eu falei: “Leva todo mundo”. E falei de coração, isso é reconhecimento profissional. E o Flamengo nos dá condições de ter peças de reposição, é garoto que está surgindo, contratações. É a lei do jogo

Gramado do Maracanã

— O gramado hoje estava muito bom. A gente teve uma reunião com a empresa que cuida do gramado e eles estão fazendo um trabalho importante para a gente, para a sequência da temporada.

Muito calor no Maracanã

— Com esse calor, eu particularmente queria jogar à noite, te confesso. Eu, isoladamente, contra toda comissão técnica. Sabe por quê? Porque tu mais à noite, cansa menos. A marcação pressão alta fica mais fácil para fazer. Nós estabelecemos: acelera a pressão. Esse sol derrete o cara, então tem que haver uma alternância de movimento de pressão. Fizemos uma marcação média. Então tem que saber jogar nessas três pressões. Assim como a gente joga em contra-ataque. Quem vem fazer bloco alto, nós temos velocistas. Temos jogadas de aproximação, como foi no gol. Então procuramos ter essa alternância de movimentos.

Elogios a Igor Jesus

— Ele pode fazer tanto o primeiro quanto o segundo. Ele já havia feito isso no Flamengo no ano passado e também na seleção pré-olímpica. É o reflexo do trabalho no dia a dia dele. A gente fica feliz de ele entrar numa função um pouquinho diferente que fez nos outros jogos. (Matheus Bachi)

— Fora que o Erick estava com cartão. Ficamos numa situação exposta, e o Nico jogou muito, o motor da equipe, rodando pra caramba. Então isso serve para equilibrar a equipe e dar a consistência quando necessário for. (Tite)

Matheus Gonçalves ganhará mais chances?

— Não dá para comparar o Cebolinha com ele, são características diferentes. Um é articulador, meio-campista, e o outro é atacante de lado. Pode comparar, sim, o Matheus ao Victor Hugo. Porém, existem prateleiras. O Victor vinha sendo utilizado pra caramba antes da minha chegada e exercendo essa função. Então tem que ter calma para moldar o atleta. Tem o processo evolutivo dele também. Quanto tempo o Victor demorou? E hoje entrou bem, esteve na iminência de fazer o gol duas vezes. Então ele vai ter a oportunidade.

Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

É repórter na cobertura do Flamengo há três anos, com passagens por Lance! e Coluna do Fla. Fã de Charlie Brown Jr e enxadrista. Viver pra ser melhor também é um jeito de levar a vida!
Botão Voltar ao topo