Brasil

‘Eu acredito muito no sistema defensivo’, diz Mário Jorge sobre o Flamengo na Copinha

Defesa do Flamengo para a Copinha reúne nomes que já passaram pelos profissionais e outros que ainda tentam se firmar no clube

A Copa São Paulo de Futebol Júnior começa em janeiro, e a Trivela não poderia ficar de fora da maior festa do futebol de base no Brasil. A reportagem preparou uma série de reportagens sobre como os maiores times do país entrarão em campo no torneio. Pelo lado do Flamengo, o terceiro e último setor a ser abordado será a defesa, que contará com grandes joias do futuro.

O Flamengo está no Grupo 19 da Copinha, que terá sede em Osasco, na grande São Paulo. Os adversários na primeira fase são: Audax, time “da casa”, São José e São Bento, ambos do Rio Grande do Sul. Esses são os defensores da meta do Flamengo na competição: Dyogo Alves, Caio Barone, João Vitor Cangane, Lucas Furtado, Diegão, Darlan, Carbone, Iago, João Victor Cunha, Daniel Sales, Lucyan, Felipe Brian, Zé Welinton e Germano. 

Mário Jorge elogia o sistema defensivo

Em entrevista recente à Trivela, Mário Jorge confirmou que a defesa é o ponto de equilíbrio para o Flamengo nessa Copinha. Ainda que tenha jogadores insinuantes do meio para frente, o Rubro-Negro pode se sagrar campeão apoiado na sua solidez defensiva. Esse é o caminho, segundo o treinador. 

— Eu acredito muito no nosso sistema defensivo. Eu acho que isso daí. É o que faz com que a gente vença bastante jogos. A gente ganha muito jogo a partir da nossa defesa. A gente está muito equilibrado para esse momento, para que a individualidade do nosso ataque possa parecer para decidir para a gente. Então, se tiver que pontuar um dos setores, aí eu acho que o setor defensivo é o que que chama mais atenção para esse começo de temporada e é onde a gente vai bater para tentar ter o equilíbrio mais rápido possível — confirmou.

Os atacantes do Flamengo na Copinha 2024

  • Dyogo Alves – 19 anos

Goleiro titular do Flamengo, Dyogo foi campeão brasileiro recentemente, defendendo uma das cobranças de pênalti na final, mas vem de um passado trágico. Ele é um dos sobreviventes da tragédia do Ninho do Urubu. Todos os títulos são dedicados aos amigos que perderam a vida naquele início de 2019. O ágil e decisivo goleiro só quer aumentar seu número de conquistas pelo Rubro-Negro.

— (A conquista) Me faz pensar por eles, porque todos eles queriam estar aqui e ter uma oportunidade dessa. Sei que eles estão num lugar melhor que a gente, não tenho dúvida disso. Deus não quis me levar naquela hora, queria me deixar para eu fazer história ou com a camisa do Mengão ou por outro clube — disse, logo depois de ter sido campeão brasileiro sub-20.

  • Caio Barone – 17 anos

É uma aposta para o futuro do gol do Flamengo. Natural de Taubaté, Caio assinou de maneira profissional no ano passado, depois de passar por período de adaptação ao ser negociado pelo Santos. A envergadura de um atleta de 1,96m ajuda bastante, mas ele impressiona mesmo é com a bola nos pés. Sua multa rescisória é de 50 milhões de euros, e ele também possui nacionalidade italiana.

  • João Vitor Cangane – 19 anos

Entre os goleiros, é o nome que tem o menor apelo para o torcedor. Funcionou como reserva imediato dos dois goleiros já citados em categorias inferiores e atuou muito pouco pelo Flamengo. Esteve no elenco da última Copinha, mas, quando teve a oportunidade, não correspondeu. É uma incógnita para o futuro.

  • Lucas Furtado – 18 anos

Outra aposta jovem do Flamengo. Natural do Espírito Santos, Lucas Furtado se firmou na base do Rubro-Negro ao longo dos últimos anos e, em 2023, recebeu mais oportunidades. Esteve com a delegação em viagens para a República Tcheca e Croácia, visando torneios internacionais. Os reflexos são a principal característica do diamante bruto.

  • Diegão – 20 anos

Talvez o principal zagueiro do Flamengo para a disputa da Copinha, Diegão é figurinha carimbada das categorias de base. Foi campeão brasileiro sub-17 e sub-20, além de outras conquistas importantes. Já esteve entre os profissionais e vive o clube desde os oito anos de idade. O apelido vem da força, que também contribui no jogo aéreo, mas o defensor já se mostrou muito técnico em outros momentos.

  • Darlan – 19 anos

Se Diegão é destaque, Darlan não fica muito atrás. O zagueiro foi titular no sub-17 e domina o setor no sub-20. Rápido e com bom passe, o defensor se diferencia dos outros pelo espírito de liderança, mesmo com a pouca idade. É canhoto e já teve passagens pelas Seleções Brasileiras de base. Mário Jorge, técnico do Flamengo na Copinha, é entusiasta do jogador.

— Para mim, o jogador mais regular chama-se Darlan. Uma grande liderança. Ele é maduro, equilibrado em todos os momentos, um jogador fora da curva, pelo papel que ele exerce dentro do campo, um capitão sem ter a faixa. O apelido dele é “Capita” — disse, em 2021.

  • João Carbone – 18 anos

É mais um zagueiro com excelente potencial. Neto do ex-jogador da Seleção Brasileira, José Luiz Carbone, ele teve boa passagem pelo Grêmio antes de chegar ao Flamengo. No Rio de Janeiro, foi capitão do sub-17 e se destacou tanto que atraiu sondagens da Europa e dos Estados Unidos, mesmo com apenas 17 anos. Canhoto de 1,87m, vai para sua segunda disputa de Copa São Paulo.

  • Iago – 18 anos

São poucas as informações sobre o quarto zagueiro relacionado pelo Flamengo. É alto (1,88m) e joga com a perna direita dominante, mas o pouco espectro de jogos faz com que a análise seja rasa demais. Vai para a Copinha para ganhar casca.

  • João Victor Cunha – 16 anos

A idade já entrega que é uma aposta do Flamengo. Vai para compor elenco e buscar seu espaço em futuras disputas de Copa São Paulo. É titular no sub-17 e peça importante, sem dúvida, mas falta experiência para competir no sub-20.

  • Daniel Sales – 17 anos

Joia do Ibrachina, Daniel Sales foi contratado em definitivo pelo Flamengo em 2022, depois de bom período de adaptação. Marca bem e tem boa batida no arsenal. Tem multa rescisória de 50 milhões de euros e vai para sua segunda disputa de Copa São Paulo.

  • Lucyan – 17 anos

Reserva imediato de Daniel Sales, Lucyan chegou ao Flamengo em 2021. O lateral mato-grossense foi contratado por produtividade, mas mostrou serviço e ficou. Faz bem as duas laterais e se destaca por parecer incansável em determinados momentos. Bom nome para o futuro.

  • Felipe Brian – 19 anos

Contratado junto ao Ska Brasil, equipe de Santana da Parnaíba, em São Paulo, Felipe Brian tem história curiosa. Ele começou como ponta pela direita, mas acabou convencido pelo treinador do seu clube, ainda em terras paulistas, a exercer uma função mais defensiva. Se destacou tanto que foi parar no Flamengo. É o mais velho e pode ser titular.

  • Zé Welinton – 19 anos

Mais um que vem da safra do Desportivo Brasil, Zé Welinton é destaque absoluto na lateral-esquerda. A canhota é afiada e funciona até mesmo na marcação. Apesar disso, suas principais valências estão no campo ofensivo. Segundo Mário Jorge, em entrevista recente à Trivela, a jovem promessa contribui bem nos cruzamentos e, em especial, nas cobranças de falta.

— Tem também o Zé Wellington, que tem se tornado 11 grande referencial pra gente, principalmente na parte ofensiva. O Zé tem uma condição de ser um batedor de falta também, que eu acho que é um recurso que a gente vai utilizar bastante, enfim, mas o nosso coletivo também é muito forte, então eu prefiro me atentar mais por esse lado de que a gente em 15 dias, 20 dias — analisou.

  • Germano – 17 anos

O reserva na lateral-esquerda é outro que começou no ataque, mas voltou para a defesa pelas características de fôlego na marcação. Natural de Cuiabá, o atleta é mais um que chegou em contrato de produtividade, foi bem e recebeu a oportunidade de ficar. Vai para sua primeira disputa de Copa São Paulo.

Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

Jornalista formado pela PUC-Rio. Da final da Libertadores a Série A2 do Carioca. Copa do Mundo e Olimpíada na bagagem. Passou por Coluna do Fla e Lance antes de chegar à Trivela, onde apura e escreve sobre o Flamengo desde 2023.
Botão Voltar ao topo