Brasileirão Série B

Brasileirão: Acesso exigirá uma das maiores pontuações da história da Série B

Para subir para à Série A, times terão que fazer ao menos 69 pontos, número é o menor na história

Faltam dez rodadas para o término do Campeonato Brasileiro da Série B, e tudo caminha para que a competição deste ano tenha a 2ª maior “pontuação de corte” para o acesso da história. Desde 2006, a 2ª maior divisão de clubes do futebol brasileiro é disputada em pontos corridos. Seguindo uma projeção matemática feita pela Universidade Federal de Minas Gerais, serão necessários 69 pontos para que um time alcance a porcentagem de 99,99% de chance de subir para a Série A.

O número é sete pontos maior do que a média histórica de 62; e dez acima do necessário em 2022, quando o Vasco da Gama somou 59 pontos e conquistou a 4ª vaga para a Série A deste ano. O cálculo para definição desta pontuação se dá única e exclusivamente em relação ao aproveitamento dos times dentro do campeonato, e não considera os critérios de desempate como saldo de gols ou número de vitórias.

Para explicar melhor o que representa a “linha de corte”, vamos usar como exemplo o que aconteceu no ano de 2020, quando o Cuiabá foi o 4º colocado da Série B e subiu com 61 pontos. O clube poderia ter subido com 59, já que o 5º colocado da competição naquela ocasião foi o CSA, que somou 58 pontos.

Em que ano foi preciso somar mais pontos para garantir a vaga na Série A?

O Campeonato Brasileiro da Série B de 2012 é considerado um dos mais disputados da história da competição. Naquele ano, o Goiás foi o campeão, tendo somado 78 pontos, em uma campanha com 23 vitórias, nove empates e seis derrotas. O vice-campeão foi o Criciúma, que somou 73. Athletico Paranaense e Vitória completaram o G4 com 71 pontos.

O São Caetano, 5º colocado, também terminou com 71 pontos, e por conta disso, a pontuação necessária para o acesso naquele ano foi de 72, a maior de todas até o momento. A diferença no número de vitórias fez a equipe baiana subir para a Série A em 2013, deixando o Azulão para a disputa da Série B na temporada seguinte.

Naquela edição, o São Caetano conquistou 20 vitórias, 11 empates e perdeu apenas sete vezes, dois jogos a menos que o Vitória, que perdeu nove, empatou oito e venceu 21 partidas. A média de aproveitamento necessária para o acesso na Série B de 2012 ficou em 63,1%. Em contrapartida, a edição de 2007, a segunda disputada no sistema de pontos corridos, foi a que teve o ponto de corte mais baixo neste período.

O mesmo Vitória subiu para a Série A em 2007, tendo somado 59 pontos, mas poderia ter alcançado este mesmo objetivo caso tivesse feito 57, com 50% de aproveitamento, já que o Fortaleza, 5º colocado, somou 56. Em 2023, o mesmo rendimento é aplicado ao CRB, 9º colocado com 42 pontos, há seis do G4.

O que explica este equilíbrio na Série B em 2023?

Em 2022, a disputa pelo acesso a principal divisão do futebol brasileiro ficou limitada a praticamente seis clubes. O campeão Cruzeiro disparou e abriu nada mais nada menos do que 13 pontos de vantagem para o vice-campeão Grêmio, que brigou com Bahia, Vasco, Sampaio Corrêa e Ituano por três vagas à Série A em 2023.

Na edição deste ano a disputa é ainda mais interessante, já que a distância do Vitória, líder da competição, até o Ceará, que é o 10º é de 11 pontos. O equilíbrio é mais presente ainda se compararmos a distância do Vila Nova, 7º colocado para o Rubro-Negro baiano, que é de apenas seis pontos.

A tabela da Série B está dividida em três blocos bem definidos: aqueles que ainda brigam pelo acesso, os que tentam somente para se manter na competição, e aqueles que lutam contra o rebaixamento. Entre os que figuram no meio do caminho estão Botafogo-SP, com 38 pontos na 12ª colocação, a 11 pontos do Z4, e dez do G4; e o Sampaio Corrêa, em 13º, com 34 pontos.

Do Ituano, que aparece em 14º, até a Chapecoense, que abre a zona de rebaixamento, todos lutam para fugir da queda e alcançar os 49 pontos, mínimo necessário para escapar da Série C. Londrina, em 19ª com 21 pontos, e ABC de Natal, na lanterna com 16, tem a maior chances de serem rebaixados.

O time paranaense tem 97,9% de chance de cair, enquanto o Elefante da Frasqueira tem 99,92% de probabilidade de rebaixamento. O outro time no Z4 é o Tombense, na 18ª colocação, com 25 pontos, e 82,1% de chance de disputar a 3ª divisão nacional em 2024.

Quais são as chances de acesso após a 28ª rodada da Série B?

O Vitória tem 84,4% de chance de subir para a Série A do Brasileirão, seguido pelo Guarani, com 71,4%. O Sport Recife aparece com 64,5%, e fechando o G4, o Novorizontino tem 50,6% de chance de conquistar o acesso para a principal divisão do futebol brasileiro em 2024.

Segundo os números da Universidade Federal de Minas Gerais, até o 11º colocado, que é o Mirassol, todos podem chegar a elite do Campeonato Brasileiro na próxima temporada.

  • 5º colocado: Juventude – 47 pontos – 45,6%;
  • 6º colocado: Criciúma – 48 pontos – 41,5%;
  • 7º colocado: Vila Nova – 46 pontos – 13,1%;
  • 8º colocado: Atlético-GO – 44 pontos – 12,4%;
  • 9º colocado: CRB – 42 pontos – 7,9%;
  • 10º colocado: Ceará – 41 pontos – 5,9%;
  • 11º colocado: Mirassol – 40 pontos – 2,3%.

Com relação ao título, o favoritismo maior permanece com o Vitória, com 39,3% de chances. O Guarani aparece com 20%, o Sport tem 14,4% e o Novorizontino tem 9,9%. Serão mais dez rodadas e 30 pontos em disputa para definir quem será o campeão, e quem ficará com as três vagas restantes para formar o grupo dos quatro times que estarão na Série A em 2024.

 

Foto de Lucas de Souza

Lucas de Souza

Lucas de Souza é jornalista formado pela Universidade São Judas em São Paulo. Possui especialização em Marketing Digital pela Digital House, e passagens pelos sites Futebol na Veia e Futebol Interior.
Botão Voltar ao topo