Brasileirão Série B

Carille vê falta de intensidade e competitividade como motivos para derrota do Santos

Em entrevista coletiva após a derrota por 1 a 0 para o Amazonas, Carille cobrou os jogadores do Santos

A queda da invencibilidade do Santos na Série B do Campeonato Brasileiro, neste sábado (11), após a derrota por 1 a 0 para o Amazonas, na Arena da Amazônia, foi, na opinião do técnico Fábio Carille, consequência da falta de intensidade e competitividade dos seus jogadores. Em entrevista coletiva depois do confronto, o treinador alvinegro afirmou que o Peixe teve problemas para entender a proposta do adversário e colocar em prática aquilo que havia sido combinado durante os treinamentos.

O gol da derrota do Santos para o Amazonas foi marcado pelo atacante Ênio, ainda no primeiro tempo, em uma arrancada que começou no meio-campo e só terminou com uma finalização que morreu nas redes do goleiro João Paulo.

O que Carille achou da atitude dos jogadores do Santos?

Questionado sobre o desempenho do Santos na Arena da Amazônia, Carille deixou claro a sua insatisfação com o comportamento dos seus comandados ao longo dos 90 minutos.

— Vamos analisar tudo com calma. Mas, inicialmente, intensidade e competitividade foram muito abaixo. Não competimos como temos que competir na Série B. Tivemos dificuldades para entender o jogo e colocar em prática tudo que havíamos planejado para esse jogo. Levamos a derrota como aprendizado, mas a nossa atitude não pode ser essa, e nos resta começar a preparar a equipe para o duelo com a Ponte Preta — disse o treinador se referindo ao confronto que será disputado na quarta-feira (16), às 21h30, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas.

O que Carille tentou com as três mudanças no intervalo?

Em desvantagem no placar desde os 19 minutos do primeiro tempo, Carille aproveitou o intervalo para fazer logo três substituições na equipe. Na ocasião, deixaram a partida JP Chermont, João Schmidt e Otero para as entradas de Rodrigo Ferreira, Tomás Rincón e Patrick.

— Esse foi um jogo que fomos para o intervalo sabendo que podíamos fazer um monte de substituições. É um grupo que está na nossa mão há cinco meses e sabemos exatamente tudo aquilo que pode entregar. Eu poderia ter feito várias substituições no intervalo. O rendimento de vários jogadores estava muito abaixo e optei por aquelas três — explicou Carille.

O Santos se surpreendeu com o Amazonas?

Diante da passividade do Santos, Carille aproveitou para parabenizar e dar todos os méritos da vitória para o Amazonas, que, na opinião do técnico santista, soube ser eficiente com a mesma proposta apresentada na derrota por 1 a 0 para o Flamengo, pela Copa do Brasil.

— O Amazonas, sem a bola, repetiu aquilo que havia feito contra o Flamengo. E fez muito bem. O mérito é todo deles, mérito do Adilson Batista. Agora a gente, no nosso dia a dia, precisa começar a pensar na sequência da competição e passar para os atletas que não podemos ter mais atitudes como essa — completou Carille.

Foto de Bruno Lima

Bruno Lima

Bruno Lima nasceu em Santos (SP) e se formou em Jornalismo na Universidade Católica de Santos (UniSantos) em 2010. Antes de escrever para Trivela, passou por A Tribuna.
Botão Voltar ao topo