Brasil

São Paulo bem que tenta, mas enfrenta dificuldades para atender pedido de Thiago Carpini por reforço

Treinador e diretoria diagnosticaram três setores carentes na equipe, mas clube passa trabalho em mercado com poucas opções

O São Paulo não só escolheu um alvo, como avança nas negociações por André Silva, centroavante e artilheiro do Vitória de Guimarães, para fazer sombra a Calleri no elenco. O mesmo não pode ser dito sobre o trabalho da diretoria para tentar atender a outro pedido do técnico Thiago Carpini para o elenco: um zagueiro canhoto para suprir a saída de Lucas Beraldo.

Conforme apurado pela Trivela, o Tricolor enfrenta dificuldades no mercado para encontrar um defensor que tenha o pés esquerdo como o mais forte. A avaliação interna é de que há poucos zagueiros canhotos disponíveis que se encaixem tanto em condições que possibilitem uma negociação, quanto no nível de atleta buscado pelo clube. Até porque o treinador busca um atleta que tenha qualidade para a saída de bola, quase um “zagueiro meia”. Inclusive, a diretoria entende que esta é uma carência não apenas do São Paulo, mas de outras equipes da Série A do Campeonato Brasileiro.

A busca por um zagueiro canhoto virou necessidade (mas sem urgência) desde a saída de Lucas Beraldo, vendido ao PSG. O jovem rendeu ao clube a maior venda de um atleta da posição na história do futebol brasileiro. A diretoria e o técnico Thiago Carpini entendem que o elenco está bem servido com os quatro defensores que tem à disposição. Mas o treinador tem, sim, um motivo para querer um atleta que tenha o pé esquerdo como preferencial.

São Paulo busca um zagueiro canhoto para suprir saída de Beraldo (A.Meunier/Divulgação PSG)

Por que Carpini quer tanto um zagueiro canhoto?

O técnico Thiago Carpini explicou com detalhes por que ele quer tanto um zagueiro canhoto em seu elenco na entrevista coletiva após o empate em 2 a 2 com o Red Bull Bragantino, no último sábado (17). Tudo tem a ver com a mecânica de saída de bola do São Paulo.

O treinador encheu os seus quatro zagueiros (Arboleda, Diego Costa, Alan Franco e Ferraresi) de elogios. Mas reconheceu que a equipe tem dificuldades para iniciar as jogadas porque todos eles são destros. De acordo com Carpini, um zagueiro canhoto para atuar pela esquerda torna a circulação da bola mais lenta e os passes verticais mais imprevisíveis para as equipes adversárias.

– E talvez a gente tenha encontrado também algumas dificuldades nessa iniciação do São Paulo, na saída de bola, porque nossos zagueiros são fantásticos. Arboleda, Diego Costa, Alan Franco e Ferraresi. Mas no ano passado, nós tínhamos um zagueiro meia canhoto, que é o que estou buscando para o nosso elenco. Querendo ou não, o destro quando joga do lado contrário, ele fica um pouco mais torto. A circulação fica mais lenta, e você acaba mostrando mais o passe quando vai arriscar o passe por dentro na amplitude. E o canhoto, não. E era o que o Beraldo fazia com excelência. Não porque ele é melhor ou pior do que os outros, pelo contrário. Eu não trabalhei com o Beraldo, mas com certeza ele é um excelente jogador, porque ele está no PSG. Mas os que tenho aqui estou contente. São grandes jogadores. O fato de jogar do lado esquerdo e dar essa amplitude é o que falta um pouquinho para a gente começar a encontrar esses espaços e ser um pouco mais agressivo – afirma Thiago Carpini.

São Paulo busca reforços para três posições, mas sem pressa

Além de um zagueiro canhoto e de um centroavante, o São Paulo ainda busca um reforço para a lateral esquerda para fechar o seu elenco para a temporada. Mas esses jogadores só serão chegarão ao MorumBIS dentro das condições impostas pelo próprio clube. Enquanto o técnico Thiago Carpini discute nomes e alternativas com a diretoria, não há pressa alguma para fechar contratações.

A avaliação do treinador é de que o elenco deu a resposta esperada nos primeiros compromissos da temporada e permite que o departamento de futebol trabalhe com calma ao vasculhar o mercado em busca de reforços. Diretoria e comissão técnica estão em sintonia sobre o tema, com o objetivo de reduzir ao mínimo as chances de erro. O São Paulo só avançará por novos nomes caso surja um negócio de ocasião, ou por um atleta que atenda totalmente as necessidades e condições do clube.

– Temos que valorizar esse contexto todo. Dentro disso, claro que começamos a criar alternativas para outros setores que entendemos que talvez precisemos buscar outra coisa. Mas não tem pressa. Não que não tenha necessidade. Hoje, para estar no nosso grupo a escolha tem de ser bem assertiva. Temos um grupo qualificado. Para suprir as perdas tem de ser algo bem pensado. Temos discutido, mas com calma, precavido, buscando o máximo de informações e tentando evitar o erro. Estando dentro das possibilidades podemos nos reforçar dentro desses setores – afirma o treinador.

Os próximos jogos do São Paulo:

  • 25/02/2024 – Guarani x São Paulo, às 18h (horário de Brasília), no Brinco de Ouro da Princesa;
  • 28/02/2024 – Inter de Limeira x São Paulo, às 21h35 (horário de Brasília), no Mané Garrincha;
  • 03/03/2024 – São Paulo x Palmeiras, às 20h (horário de Brasília), no MorumBIS.
Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Eduardo Deconto nasceu em Porto Alegre (RS) e se formou em Jornalismo na PUCRS. Antes de escrever para a Trivela, passou por ge.globo e RBS TV.
Botão Voltar ao topo