Brasil

‘Obrigação de venda’ pode render ao Santos negócio melhor que o imaginado por Marcos Leonardo

Santos recebeu uma proposta de 18 milhões de euros do Benfica para vender o atacante Marcos Leonardo e pode ver até mais de R$ 80 milhões

Com a proposta de 18 milhões de euros (R$ 96,4 milhões na cotação do dia) apresentada pelo Benfica para comprar o atacante Marcos Leonardo nas mãos desde a tarde desta terça-feira (2), o Santos analisa se sacramenta a transferência nas próximas horas ou tenta convencer os portugueses a aumentarem o valor. Representado pelo diretor esportivo Rui Pedro Braz, enviado ao Brasil para realizar a transação, o clube português sabe que o Peixe tem uma ‘obrigação de venda’ assinada com o atleta para negociá-lo nesta janela de transferências e não deve ir muito além dos valores apresentados.

Mas o que de fato consta nessa ‘obrigação de venda’, que foi acertada em agosto de 2023 pelo então presidente Andres Rueda e os representantes do atleta?

Segundo o apurado pela Trivela, além de aceitar negociar o jogador diante de uma proposta de 18 milhões de euros, está acertado entre Santos e Marcos Leonardo que o clube, dono de 70% dos direitos econômicos do Menino da Vila, manteria 10% desses direitos na Vila Belmiro para uma futura venda.

Mais R$ 12 milhões nos cofres do Santos?

Ainda conforme as informações obtidas pela reportagem, com a proposta de 18 milhões de euros oficializada, Marcos Leonardo, que é dono de 30% dos seus direitos econômicos, e teria direito a receber 5,3 milhões de euros (R$ 28,5 milhões) pela transferência, repassaria, conforme as condições estabelecidas na ‘obrigação de venda', 2,3 milhões de euros (R$ 12,4 milhões) para o Santos. Desta forma, o jogador embolsaria 3 milhões de euros (R$ 16,1 milhões).

Marcos Leonardo só ficaria com a quantia referente aos 30% dos direitos econômicos que lhe pertencem se o Santos recebesse uma proposta acima dos 18 milhões de euros.

Qual seria o valor total para o Santos?

Diante disso, se a oferta do Benfica respeitar todas as condições existentes na ‘obrigação de venda', o Peixe ficará com 10% dos direitos econômicos do centroavante para uma futura venda e receberá o total de 14,9 milhões de euros, que na conversão do dia representa R$ 80,3 milhões.

Vale salientar, no entanto, que as duas diretorias podem fechar o negócio com cláusulas distintas das existentes na tal ‘obrigação de venda’.

Detalhes da proposta seguem em sigilo

Enquanto Santos e Benfica conversam sobre o desfecho do negócio, os detalhes da oferta apresentada pelo clube português são mantidos em sigilo. Além do valor exato da proposta, a reportagem também trouxe em primeira mão que a intenção dos lusitanos é assinar um contrato de cinco anos com Marcos Leonardo.

Artilheiro do Santos na última temporada, com 21 gols marcados, e no Campeonato Brasileiro, com 13, o centroavante deseja se transferir para o futebol europeu já nesta janela de transferência.

No meio do ano passado, o jogador foi cobiçado pela Roma, da Itália, que também oficializou uma proposta ao Peixe. Na oportunidade, a oferta foi recusada e isso irritou Marcos Leonardo. Incomodado, o centroavante chegou a se ausentar dos treinamentos no CT Rei Pelé por uma semana.

Os problemas financeiros vividos pelo Peixe, que, por conta do rebaixamento no Campeonato Brasileiro e da antecipação das receitas do Campeonato Paulista, terá uma grande queda nas receitas, podem contribuir para que o Alvinegro aceite vender o seu camisa 9.

Foto de Bruno Lima

Bruno Lima

Bruno Lima nasceu em Santos (SP) e se formou em Jornalismo na Universidade Católica de Santos (UniSantos) em 2010. Antes de escrever para Trivela, passou por A Tribuna
Botão Voltar ao topo