Brasil

Matías Rojas notifica Corinthians sobre pagamentos atrasados e expõe (ainda mais) mazelas da gestão Duílio em 2023

Paraguaio Matías Rojas chegou ao Corinthians cercado de alta expectativa, mas não entregou o bom futebol que a torcida esperava e tem seu futuro indefinido

Faltando menos de dez dias para a pré-temporada do Corinthians começar e um pouco mais para a estreia do time no Campeonato Paulista, Matias Rojas optou por acionar o clube na justiça. Segundo apuração do GE, o meia está cobrando do clube os direitos de imagem atrasados e até cogita ir à Fifa com pedido para romper o contrato com o clube. Essa possibilidade é plausível se existirem mais de dois meses com os valores em atraso.

Os salários do paraguaio estão em dia, e esses direitos de imagem que ele cobra compõem o restante do valor. Ainda segundo a reportagem, Rojas teria falado com a diretoria no início do mês e deixou acordado que o pagamento seria feito em duas parcelas. A primeira parcela deveria ter sido paga na semana passada, mas não o clube não teria honrado o acordo. A dívida do clube com o meia seria de aproximadamente R$ 5 milhões.

Obviamente Rojas tem todo o direito de cobrar judicialmente o que o clube lhe deve. Apesar disso, a ação pode não ser vista com bons olhos por parte da torcida. Por outro lado, a ação do paraguaio certamente joga luz sobre alguns problemas do Corinthians:

Para ter Matías Rojas o Corinthians precisou superar a concorrência de outros clubes que desejavam o paraguaio, como o Botafogo.  Por um contrato de três temporadas e por 80% dos direitos econômicos dele, o Timão pagou 1,8 milhão de dólares (cerca de R$ 8,6 milhões na cotação atual) entre luvas e comissões. O jogador estava em fim de contrato com o Racing, por isso nenhum valor precisou ser pago ao clube argentino. 

A estreia dele com a camisa alvinegra diante do América-MG pela Copa do Brasil empolgou a torcida e o clube. Com muita vontade, Rojas tomou para si as cobranças de bola parada e chamou a responsabilidade em seus primeiros minutos defendendo o Corinthians. Roger Guedes, companheiro do paraguaio à época, chegou a classificar o colega como “craque”.

— Vai ajudar, é um craque. Ele e o Renato juntos ainda, fora de série. Em qualquer momento eles podem me achar em campo. O Luxemburgo acertou mais uma vez na formação, no losango. Vai facilitar muito daqui para frente — disse o ex-camisa 10 do Corinthians.

Apesar do início animador, Rojas sofreu com uma sequência de lesões que prejudicou sua sequência em campo. Nas oportunidades que teve para repetir a boa atuação inicial, o paraguaio decepcionou em meio a um Corinthians que era uma bagunça generalizada.

O desempenho de Rojas foi tão inconsistente que ele terminou a temporada no banco de reservas de um Corinthians que brigou contra o rebaixamento até a penúltima rodada do Campeonato Brasileiro. Para piorar a situação, um dos maiores problemas da equipe sempre foi o setor criativo, área onde a influência do ex-jogador do Racing deveria ser primordial.

Para o treinador Mano Menezes, o maior problema do meia no Corinthians foi a dificuldade de adaptação ao esquema do time e ao caótico calendário do futebol brasileiro:

— É a malvada da expectativa. Quando é muito alta, logo você tem a exigência de que a curto prazo o jogador entre e resolva todos os problemas que a equipe estava tendo. É muito difícil que isso aconteça. São raros os jogadores que vêm de fora e logo num primeiro momento se encaixam bem na equipe. Geralmente vão fazer isso na segunda temporada – disse o técnico corintiano após a vitória diante do Athetico-PR em novembro.

Foto de Jade Gimenez

Jade Gimenez

Jornalista, fascinada por esporte desde a infância, paixão que se tornou profissão. Além do futebol me mantenho por dentro de outras modalidades desde Fórmula 1 até NFL. Trabalhei como repórter em TV e rádio cobrindo partidas de futebol, futsal e basquete.
Botão Voltar ao topo