Brasil

Palmeiras enfim voltou a vencer, mas sabe que sua briga é pelo mínimo neste resto de ano

No Couto Pereira, Palmeiras vence o vice-lanterna Coritiba e reassume posto no G4, seu objetivo mais factível nesta reta final de temporada

A torcida do Palmeiras, tão acostumada com títulos e vitórias nas últimas temporadas, vive uma realidade completamente diferente em 2023. Após eliminações traumáticas na Copa do Brasil e Libertadores, o Alviverde se afundou numa crise sem precedentes dentro e fora das quatro linhas. Ao menos, neste domingo (22), voltou a vencer. Diante de um Coritiba entregue, a equipe de Abel Ferreira fez jogo sólido na defesa e soube aproveitar bem as oportunidades no ataque. No fim, um 2 a 0 justo e merecido.

Os palmeirenses comemoraram bastante o triunfo no Couto Pereira e respiraram aliviados, afinal, o time não vencia há seis jogos. O último triunfo havia sido contra o Goiás, em casa, por 1 a 0, no dia 15 de setembro. De lá para cá, dois empates (Boca Juniors ida e volta da semifinal da Libertadores) e quatro derrotas (Grêmio, Red Bull Bragantino, Santos e Atlético-MG).

Apesar da importante vitória em Curitiba, engana-se quem acha que tudo voltou a ficar bem no Palmeiras. O ambiente segue pesado e a temporada do clube já é considerada um fiasco. Apesar dos títulos do Campeonato Paulista e da Supercopa do Brasil no início do ano, o Porco deixou a desejar nos mata-matas e faz um Brasileirão irregular. Falando em Brasileirão, a competição de pontos corridos é o que restou para o Alviverde que, ao que tudo indica, terá de se contentar com uma ‘mera’ classificação para Libertadores. Isso se conseguir, já ainda que restam 10 rodadas.

Palmeiras e a briga pelo mínimo

Como citado acima, o Palmeiras atravessa momento complicado e sabe que o ano de 2023 não foi positivo. A missão de Abel Ferreira, campeão de tudo com o clube alviverde, é bastante peculiar neste restinho de temporada. Com o triunfo sobre o Coritiba, o Porco chegou aos 47 pontos, ultrapassou Grêmio e Athletico-PR e assumiu a quarta colocação do Campeonato Brasileiro. Líder do certame, o Botafogo tem 59. A distância é grande, e o Verdão tem ciência da dificuldade que seria alcançar o Glorioso e conquistar o bicampeonato nacional de maneira consecutiva.

Dito isso, Abel Ferreira e companhia focam naquilo que é concreto e factível diante do atual momento do Palmeiras. Isto é, uma vaga na Copa Libertadores de 2024. Ficar fora da competição continental seria um desastre tremendo para o clube e afetaria, inclusive, nas finanças da instituição. A missão é terminar o Brasileirão entre os quatro primeiros colocados e garantir a classificação direta à fase de grupos do torneio sul-americano.

Vale lembrar que os seis melhores colocados no Brasileirão se classificam para Libertadores 2024. Contudo, o quinto e sexto lugar terão de jogar a pré-Libertadores (dois mata-matas antes da fase de grupos). Caso os campeões da Copa do Brasil (São Paulo), da Libertadores (Fluminense na final) e da Sul-Americana (Fortaleza na final) terminarem o Brasileirão neste pelotão de cima, mais vagas serão abertas. Isso significa que o G6 pode virar G7, G8 ou até mesmo G9.

Torcida do Palmeiras no setor visitante do Couto Pereira (Foto: Icon Sport)

Auxiliar de Abel Ferreira parece não ter jogado a tolha pelo título

O Palmeiras não pôde contar com Abel Ferreira na beira do campo neste domingo (22). Suspenso, o treinador deu lugar ao auxiliar da comissão técnica, Vítor Castanheira. Após a partida no Couto Pereira, o português de 46 anos comentou sobre as chances de título para o Alviverde. Otimista, Castanheira pontuou que matematicamente é possível buscar o caneco e pregou foco nas 10 rodadas finais.

– Logicamente que os pontos que estão em disputa ainda são muitos. Matematicamente é possível? É. Difícil, claro que sim. Faltam 10 jogos. Sabemos o que ainda está em disputa e nesses 10 jogos só temos um pensamento claro que é lutar pela vitória em todos eles.

Na 29ª rodada, o Palmeiras terá um clássico pela frente. Na próxima quarta-feira (25), a partir das 20h (horário de Brasília), o time de Abel Ferreira enfrenta o São Paulo, no Allianz Parque. Depois, o Verdão ainda terá pela frente no Brasileirão: Bahia (casa), Botafogo (fora), Athletico-PR (casa), Flamengo (fora), Inter (casa), Fortaleza (fora), América-MG (casa), Fluminense (casa) e Cruzeiro (fora).

Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Jornalista pela UNESA, nascido e criado no Rio de Janeiro. Cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na Trivela, é redator e escreve sobre futebol brasileiro e internacional.
Botão Voltar ao topo