Brasil

Maior artilheiro do Palmeiras em finais, meia mira recordes na Supercopa: Já se pode falar em uma ‘Era Raphael Veiga’?

Camisa 23 é cada vez mais o dono do time, decisivo em finais e maestro do Palmeiras de Abel Ferreira

Muitos chamam o atual momento ultra vencedor do Palmeiras de “Era Allianz Parque” ou “Era Crefisa”. E, num recorte mais recente, desde 2020, de “Era Abel Ferreira”.

São alcunhas justas por um lado, mas talvez injustas levando-se em conta tudo que Raphael Veiga, 28 fez com a camisa do Palmeiras desde que chegou ao clube. Já se pode falar em uma “Era Raphael Veiga”?

Veiga é referência absoluta do Palmeiras. Atualmente, é o único jogador insubstituível do time. Dono de quase todas as bolas paradas. Cobrador de pênalti e, acima de tudo, termômetro alviverde. Se Veiga, está bem, o Palmeiras está bem. E os números mostram que Veiga tem estado muito bem.

Mas mais até do que os números, há algo de diferente em Veiga. Sempre um líder técnico, o meia vem se tornando um líder também na questão comportamental.

Uma pessoa que não conheça nada do Palmeiras facilmente identificaria Raphael como o dono do time, depois de assistir a meros minutos de um jogo do Verdão. Todas as jogadas de frente passam por ele. Toda parte de inteligência de jogo do Verdão tem a marca de Veiga.

Recordista em muitos quesitos

Quando o Palmeiras entrar em campo neste domingo (4), pela Supercopa Rei, o camisa 23 vai ampliar um recorde que já é seu: com Weverton, Gómez e Rony, Veiga vai chegar a 13 finais com o Palmeiras – o maior número dentre todos os jogadores que já passarem pelo clube em 110 anos de história.

Se o Palmeiras ficar com troféu, junto novamente com Rony, além de Zé Rafael e Luan, Veiga chegará a 11 voltas olímpicas pelo clube para o qual torce desde que nasceu. O número fará dele o 8º palmeirense com mais conquistas vestindo as cores do Palestra Itália.

Veiga foi efetivo e determinante para cada uma dessas conquistas. O meio-campista é também o palmeirense com mais gols em finais na história do clube, com 11 em 11 decisões.

Dois desses gols aconteceram na conquista da Supercopa do ano passado, contra o Flamengo (4 a 3). Outros dois, na última decisão contra o São Paulo, no Paulista de 22 (4 a 0).

O meia balançou as redes em sete finais – Supercopa do Brasil 2021, Libertadores 2021, Mundial de Clubes 2021, Recopa Sul-Americana 2021, Recopa Sul-Americana 2022, três no Paulista 2022 e dois na Supercopa do Brasil 2023.

O camisa 23 é mesmo um jogador de jogos grandes. Com 15, ele é o palmeirense com mais gols em clássicos neste século. Um terço deles, cinco, foram contra o adversário deste domingo em Belo Horizonte. Que, ao lado de Dudu, fazem dele o palmeirense a mais vezes vazar o São Paulo dentre os atletas deste elenco.

Um 2024 brilhante

Depois de um de 2023 de bons números (artilheiro com 18), mas também de momentos ruins (pênalti perdido na semi da Libertadores), Raphael Veiga começou 2024 voando. Lidera em gols (4), assistências para finalização (10) e finalizações certas (8).

– Eu até me arrepio (ao falar de Raphael Veiga). Para mim, é o melhor 10 que já treinei e joguei alguma vez. De longe! – já disse Abel Ferreira sobre seu jogador.

– Ele é completo. Ataca, dá assistência, faz gols… E faz uma coisa que poucos 10 fazem: ele corre para trás par recuperar a bola – acrescentou o português.

E é justamente por entender a importância do jogador que Abel quer um reserva imediato para ele. Hoje, Jhon Jhon é quem tem a incumbência de armar o jogo quando Veiga precisa deixar o campo de jogo por qualquer motivo.

Nada contra o garoto, que ainda pode evoluir muito. Mas ainda é muito pouco, quando o referencial é Raphael Veiga.

Veiga em números

  • 4º maior artilheiro do Palmeiras em Brasileiro: 36 gols, ao lado de Ademir da Guia e atrás de Leivinha, com 40.
  • 2º maior artilheiro do Palmeiras na era dos pontos corridos do Brasileiro: 36 gols, atrás de Dudu, com 53.
  • Artilheiro do Palmeiras em duas edições do Brasileiro: 11 gols em 2020 e 10 em 2021. Em 2023, foi o vice-artilheiro com nove, atrás só de Endrick, com 11 Jogador com mais gols em finais na história do Palmeiras: 11 bolas na rede em 11 decisões, seguido por Evair, com seis. Veiga marcou em sete finais (Supercopa do Brasil 2021, Libertadores 2021, Mundial de Clubes 2021, Recopa Sul-Americana 2021, Recopa Sul-Americana 2022, três no Paulista 2022 e dois na Supercopa do Brasil 2023).
  • 2º jogador com mais gols de pênalti em tempo regulamentar desde 1990: 30, atrás apenas de Evair, com 33.
  • Perdeu apenas quatro de 34 pênaltis pelo Palmeiras no tempo regulamentar e dois em cinco cobranças em disputas eliminatórias.
  • Jogador que mais fez gols pelo Palmeiras em clássicos paulistas neste século: 15 (cinco contra o Corinthians, cinco contra o Santos e cinco contra o São Paulo), contra 12 de Dudu.
  • Artilheiro do Palmeiras na temporada 2023: 18 gols, seguido por Rony e Endrick, ambos com 14. Em 2024, já soma quatro bolas na rede.
  • Único jogador do Palmeiras a fazer gols em todas as competições disputadas em 2023: Paulista (3), Copa do Brasil (1), Supercopa do Brasil (2), Libertadores (3) e Brasileiro (9).
  • Líder do Palmeiras em assistências na temporada 2023 (18, seguido por Dudu, Mayke e Piquerez, todos com sete), em assistências para finalização (147, seguido por Dudu, com 68) e em finalizações certas (62, seguido por Dudu, com 48).
Foto de Diego Iwata Lima

Diego Iwata Lima

Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, cursou também psicologia, além de extensões em cinema, economia e marketing. Iniciou sua carreira na Gazeta Mercantil, em 2000, depois passou a comandar parte do departamento de comunicação da Warner Bros, no Brasil, em 2003. Passou por Diário de S. Paulo, Folha de S. Paulo, ESPN, UOL e agências de comunicação. Cobriu as Copas de 2010, 2014 e 2018, além do Super Bowl 50. Está na Trivela desde 2023
Botão Voltar ao topo