Brasil

O dilema Zé Ivaldo: zagueiro consegue ser destaque e, ainda assim, passar insegurança

Reforço do Cruzeiro para 2024, o zagueiro Zé Ivaldo divide belas atuações com cartões bobos que irritam Nicolás Larcamón

Não restam dúvidas que o zagueiro Zé Ivaldo, de 27 anos, é um dos grandes, senão o maior destaque do Cruzeiro em 2024. De volta ao clube celeste, onde foi campeão da Série B de 2022, após jogar a temporada passada pelo Athletico-PR, o camisa 5 tem sido decisivo em diversas partidas e acumula dois gols no ano, inclusive o que abriu caminho para vitória sobre o rival Atlético-MG no clássico disputado no dia 3 de fevereiro, pela terceira rodada do Campeonato Mineiro.

Além da presença ofensiva, que não se resume só aos gols, já que Zé Ivaldo costuma aparecer bem no jogo aéreo e com seus chutes de longa distância, que são uma arma difícil de ser contida por seus adversários, o zagueiro também avança com a bola nos pés, a lá zagueiro Lúcio, icônico defensor brasileiros dos anos 2000, conhecido por se aventurar com arrancadas rumo ao campo de ataque. Ainda que não contabilize como assistência, o jogador foi o responsável pela jogada que culminou no gol contra de Jamerson, do Uberlândia, na oitava rodada do Campeonato Mineiro. O camisa 5 ainda foi o autor de jogadas desperdiçadas por seus companheiros noutras ocasiões.

Bem, mas nem só de atacar vive o zagueiro Zé Ivaldo. O defensor tem apresentado bom desempenho defendendo, com chegadas precisas, velocidade e alta qualidade com a bola nos pés, começando boas jogadas, seja com passes mais curtos ou com belos lançamentos, nos quais tem ótima precisão, conseguindo acionar, frequentemente, companheiros bem colocados.

Mas apesar de todos esses elogios, acredite, este é um texto crítico ao, hoje, principal zagueiro do elenco do Cruzeiro.

Zé Ivaldo consegue ser, ao mesmo tempo, destaque e problema do Cruzeiro

Mesmo que venha tendo ótimas atuações do ponto de vista técnico, Zé Ivaldo vai mal como nunca no quesito disciplinar. O zagueiro, que tem problemas com o excesso de cartões recebidos já de outros carnavais, parece não ter aprendido e evoluído neste aspecto, o que vai na contramão de seu desenvolvimento como atleta, visto que tem melhorado significativamente com o passar do tempo.

Entradas desmedidas e pouco inteligentes são padrões nas atuações de Zé Ivaldo e as pequenas repreensões recebidas até aqui, durante a temporada, não surtiram efeito e o jogador seguiu acumulando cartões, muitos deles bestas, em situações desnecessárias.

Até o momento, Zé Ivaldo disputou oito jogos na temporada e recebeu sete cartões, seis amarelos e um vermelho, tendo ficado suspenso em uma partida. Foram apenas dois confrontos em 2024 sem que ele recebesse algum cartão. No empate contra o Tombense, em 0 a 0, nesse domingo (10), o zagueiro foi expulso com um vermelho direto aos 33 minutos do primeiro tempo, quando já havia sido advertido com um amarelo.

Em 2023, pelo Athletico-PR, foram oito cartões amarelos e um vermelho em 35 jogos. Ainda estamos no início de março e ele já se aproxima de superar essa marca.

Indisciplina prejudica o Cruzeiro e ameaça titularidade do jogador

A expulsão prejudicou o Cruzeiro na partida. O time celeste dominava o jogo e já tinha carimbado a trave duas vezes, inclusive com o próprio Zé Ivaldo em ambas as ocasiões. Com um a menos tendo passado um terço do jogo apenas, os jogadores da Raposa precisaram segurar o ímpeto e, apesar de não passarem por sustos, não puderam atacar como antes, sendo a expulsão do jogador um condicionante de grande relevância para o placar final, um 0 a 0 com gostinho de derrota, já que o time celeste vinha demonstrando capacidade de vencer confortavelmente.

— As expulsões são algo que a gente tem que melhorar imediatamente. Não pode acontecer o que aconteceu. Sei que vão falar do árbitro, mas eu não gosto. O mesmo árbitro que foi contra o Athletic… também duas expulsões. Não quero falar, porque tenho que trabalhar com meus jogadores. A gente tem que entender que o que vai acontecer podia colocar em risco todo o trabalho dos últimos dois meses. O Cruzeiro tem que ter um excelente desempenho em diferentes aspectos e um dos principais é o emocional. Foi uma situação que não pode voltar a acontecer — avaliou Nico Larcamón, durante a coletiva de pós-jogo.

O primeiro cartão de Zé Ivaldo, amarelo, surgiu após ele bloquear um chute de fora da área do Tombense com o braço. Foi uma pancada e, apesar da posição antinatural, seria difícil evitar uma bola tão forte. Já o vermelho saiu após uma entrada desnecessária, numa zona de pouco perigo do seu campo de defesa, por cima da bola, que terminou com as travas da chuteira do camisa 5 no tornozelo do adversário. O árbitro Paulo Cesar Zanovelli nada marcou num primeiro momento, mas após intervenção do VAR, expulsou o defensor celeste.

Agora Zé Ivaldo se torna desfalque para o segundo jogo da semifinal contra o Tombense, que será disputado no sábado (16), às 16h30, no Mineirão. Neris e Lucas Villalba estão entre os cotados para jogarem no seu lugar no de Marlon, também expulso, esse de forma mais polêmica. Ainda que seja um destaque da temporada, o camisa 5 passa pouca segurança e todos temem que ele possa deixar o Cruzeiro na mão em momentos ainda mais importantes da temporada.

Com João Marcelo fazendo grande início de ano, Villalba sedento por uma vaga entre os titulares e Neris tendo a confiança de Nico Larcamón, Zé Ivaldo precisa ficar atento, pois ainda que importante para o Cruzeiro, pode perder a posição por momentos de destempero e, dada a qualidade dos seus concorrentes, não recuperá-la de forma automática, o que seria uma situação incomum, mas não injusta.

O jogador parece ter entendido isso e, em postagem em seu Instagram, se desculpou com os torcedores e prometeu melhorar.

— Fala, Nação Azul! Estou aqui pra me desculpar pela expulsão no jogo de ontem. Errei, prejudiquei nosso time, mas fiquei feliz com a entrega de todos os meus companheiros e vamos juntos buscar a vaga na final do estadual. Voltei ao Cruzeiro pra entrar na história deste gigante e vou melhorar neste quesito. Vocês podem confiar. Agradeço o carinho de todos comigo, com minha família e sei que o melhor está por vir — escreveu o zagueiro na postagem.

Foto de Maic Costa

Maic Costa

Maic Costa nasceu em Ipatinga, mas se radicou na Região dos Inconfidentes mineiros. Formado em Jornalismo na UFOP, em 2019, passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas. Atualmente, é setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo