Brasil

Novo estádio do Flamengo: tudo o que se sabe até agora

O projeto, que já foi sonho, está se tornando realidade aos poucos, para a alegria dos rubro-negros que vivem no Rio de Janeiro

O sonho que parecia eterno está próximo de se concretizar. Assim que adquirir o terreno do Gasômetro, no processo de desapropriação da Prefeitura do Rio de Janeiro, o Flamengo poderá iniciar as obras do seu novo estádio. O momento é de festa nos bastidores. 

Apesar da euforia, ainda restam alguns detalhes a serem resolvidos antes do início das obras. A Trivela mergulhou no assunto e traz todas as questões que envolvem a construção do estádio do Flamengo.

Como vai ser o estádio?

O modelo apresentado pelo Flamengo em reuniões com a Prefeitura e a Caixa Econômica Federal, dona do terreno do Gasômetro, já aparenta algumas convicções de Landim e companhia. A diretoria rubro-negra se espelhou no Santiago Bernabéu, do Real Madrid, e no Signal Iduna Park, do Borussia Dortmund, estádios modernos, mas que continuam premiando o alento do seu torcedor.

A ideia é arrebatar os rubro-negros com arquibancadas verticais, sem cadeiras no setor popular, que costuma ser a Norte no Maracanã. A acústica também deve ser semelhante a do Mário Filho, com formato que facilita a audição ao redor do estádio.

O projeto de estádio do Flamengo já tomou forma (Foto: Divulgação)

É importante frisar, também, que o Flamengo deseja fazer um estacionamento ao lado do novo estádio. O terreno englobará 117 mil metros quadrados, ou seja, bastante espaço para revitalizar uma região conturbada do Centro do Rio de Janeiro.

Imagens da área externa do novo estádio do Flamengo (Foto: Divulgação)
O novo estádio do Flamengo é um projeto ambicioso (Foto: Divulgação)

Qual vai ser a capacidade?

A princípio, muitos acharam que o estádio do Flamengo poderia superar a marca de 100 mil torcedores, mas a expectativa foi quebrada rapidamente. Diante das limitações do terreno, o Rubro-Negro projeta um estádio para 80 mil presentes. O número foi considerado adequado para as demandas que o clube tem no Maracanã, por exemplo.

Quanto vai custar?

Com a desapropriação da Prefeitura do Rio, o Flamengo vai conseguir pagar menos do que o esperado pelo terreno do Gasômetro. Se a Caixa pedia R$ 400 milhões, os novos valores não devem ultrapassar a marca dos R$ 200 milhões em leilão. Mesmo assim, ainda há muito trabalho a ser feito.

O Flamengo projeta gastos entre R$ 1,5 bilhões e R$ 2 bilhões para finalizar a construção da sua nova casa. Além de alinhar os serviços de mão de obra e observações dentro da obra em si, o Rubro-Negro não poupa esforços para que tudo corra bem dentro do ambiente.

Qual será o nome do estádio do Flamengo?

Essa é a grande incógnita do momento. A torcida rubro-negra já iniciou as especulações nas redes sociais, com diversas brincadeiras curiosas, enquanto outros, mais sérios, procuraram nome de ídolos, como o de Arthur Antunes Coimbra, o Zico. A diretoria, contudo, adota cautela.

Após o anúncio da desapropriação, Rodolfo Landim concedeu entrevista e pediu para que os rubro-negros tivessem paciência com o nome do estádio. O objetivo, segundo ele, é vender o naming rights para angariar recursos.

— O nome do estádio é uma das coisas que vai poder trazer muita receita com a venda do naming rights. Então calma, essa é uma coisa importante para viabilizar a construção. Sei que vão acabar apelidando de alguma coisa, mas oficialmente tem que entender que é importante não sair chamando de nada, até porque vai ser importante fazer dinheiro com isso — analisou, em entrevista à FlaTV.

Será o maior do Brasil? E da América do Sul?

Se tiver capacidade para 80 mil torcedores, o novo estádio do Flamengo superará o Maracanã como o maior do Brasil. O histórico Mário Filho já abrigou mais de 150 mil pessoas nos seus anos áureos, mas, após a reforma para a Copa do Mundo de 2014, ficou com apenas 78.838 lugares.

Aumentando o prisma para o continente sul-americano, o estádio do Flamengo ficaria atrás de outros dois. O primeiro é um velho conhecido: o Monumental de Lima, onde Gabigol eternizou seu nome na história do clube com os dois gols da virada sobre o River Plate, na final da Libertadores. O outro é justamente o Monumental de Nuñez, que pertence ao Millonario, e tem capacidade para 84.567 torcedores após a reforma.

  • Monumental de Nuñez (do River Plate, em Buenos Aires) – 84.567 torcedores
  • Monumental de Lima (do Universitario, em Lima) – 80.093 torcedores
  • Maracanã (do Governo do Rio, no Rio de Janeiro) – 78.838 torcedores

Quando fica pronto?

Outra questão difícil de prever. O Flamengo trabalha com o início das obras para 2025, após licenciar as obras e entregar o projeto arquitetônico à empresa escolhida para tocar a construção. Por se tratar de uma obra no Brasil, e na caótica cidade do Rio de Janeiro, a previsão é de pelo menos dois anos.

Maracanã nunca mais?

De forma alguma. A história entre Flamengo e Maracanã é rica demais para terminar assim, de maneira abrupta. Ainda mais pelo fato de que o Rubro-Negro acabou de garantir a licitação de administração do estádio por mais 20 anos, ao lado do Fluminense.

Claro que o novo estádio será prioridade, mas o Flamengo ainda deve mandar clássicos e até algumas decisões no Maracanã, se apoiando na mística da sinergia entre torcida e cancha. É um pensamento lá para frente, quando o Rubro-Negro finalizar a construção no Gasômetro.

A equipe rubro-negra já disputou 2.244 jogos no Maracanã, acumulando 1.244 vitórias, 540 empates e 460 derrotas. Foram mais de quatro mil gols marcados, para 2.216 sofridos. Os números foram cedidos cordialmente pelo portal FlaEstatística.

Foto de Guilherme Xavier

Guilherme XavierSetorista

Jornalista formado pela PUC-Rio. Da final da Libertadores a Série A2 do Carioca. Copa do Mundo e Olimpíada na bagagem. Passou por Coluna do Fla e Lance antes de chegar à Trivela, onde apura e escreve sobre o Flamengo desde 2023.
Botão Voltar ao topo