Brasil

Quem é Mauro Marcelo, o auditor do STJD envolvido em polêmica com John Textor

Envolvido em polêmica com dono da SAF do Botafogo, Mauro Marcelo teve cargo no governo Lula, é palmeirense e está com os dias contados no Pleno do STJD

Dono da SAF do Botafogo, John Textor parece ter entrado em uma nova cruzada no futebol brasileiro. Agora, contra um auditor do STJD. No último domingo, o empresário americano publicou uma longa nota questionando o relatório feito por Mauro Marcelo de Lima e Silva no inquérito relacionado as acusações de manipulação de resultados no futebol brasileiro.

Mauro Marcelo de Lima e Silva foi o relator do inquérito no STJD e, além de chamar as provas apresentadas por John Textor de “imprestáveis”, sugeriu uma suspensão de 2.340 dias (seis anos) e uma multa de R$ 2 milhões ao dono da SAF do Botafogo — o que seria a maior punição da história do STJD para um dirigente da Série A do Campeonato Brasileiro.

John Textor, é claro, não gostou. Em nota publicada no seu site na noite de domingo (7), o empresário republicou fotos de Mauro Marcelo no Allianz Parque e citou a suposta relação do auditor com o Palmeiras. Além disso, também insinuou que ele está “agindo de acordo com a agenda de outra pessoa”.

Textor republicou fotos de auditor do STJD relacionadas com o Palmeiras (Foto: Reprodução/Site John Textor)
Textor republicou fotos de auditor do STJD relacionadas com o Palmeiras (Foto: Reprodução/Site John Textor)

Mas quem é Mauro Marcelo? A Trivela explica

Mauro Marcelo é delegado da Polícia Civil de São Paulo e trabalha na Academia de Polícia. Ainda nos anos 1990, ele se especializou em crimes de alta tecnologia e na internet. Tem diversos cursos na área, incluindo um no FBI, dos Estados Unidos, e outros com as polícias de cidades como Nova York, Paris e Tóquio. Mauro Marcelo costuma dar palestras sobre crimes na internet e de tecnologia.

O delegado entrou na Justiça Desportiva nos anos 2000. Mauro Marcelo foi auditor do Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo entre 2008 e 2016, quando também virou presidente do TJD/SP por dois mandatos.

Assim que saiu do TJD/SP, Mauro Marcelo assumiu a uma cadeira no Pleno do STJD, em 2016. Ele foi indicado para o cargo pela CBF – os auditores do STJD são indicados por Federações, atletas, clubes e OAB. Mauro Marcelo também é corregedor do STJD para a Região Sudeste.

Cargo no governo Lula e exposição nas redes sociais

Em 2004, no primeiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Mauro Marcelo foi diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin). Segundo matéria da revista Veja, ele e Lula eram próximos desde os anos 1990. Em 1994, Mauro Marcelo foi o responsável por liderar as investigações que resultaram na prisão dos sequestradores de um sobrinho de Roberto Teixeira, compadre de Lula.

Mas Mauro Marcelo ficou apenas cerca de um ano no cargo. Ele pediu exoneração da Abin em meio a uma polêmica que ocorreu durante a CPMI dos Correios. Um e-mail de Mauro Marcelo criticando os integrantes da CPMI vazou na rede da Abin e chegou aos deputados, que pediram a sua saída.

Em suas diversas fotos relacionadas ao Palmeiras, Mauro Marcelo mostra uma característica que já foi usada contra si: o gosto por aparecer publicamente. Ainda em coluna da revista Veja, em 2004, o então diretor da Abin foi descrito como um “um adepto fervoroso da visibilidade”, que gostava de estar em capas de revista e até distribuia fotos suas autografadas para funcionários.

Há pouco mais de um mês, no começo de junho, Mauro Marcelo já havia chamado a atenção ao publicar uma foto com ninguém menos que Oprah Winfrey, que estava em São Paulo para um evento sobre empreendedorismo e posou com um distintivo da Polícia Civil. Na legenda, ele disse que a apresentadora era uma “policial civil honorária”.

A assessoria da Polícia Civil teve que entrar em ação para dizer que o distintivo era falso e que a “homenagem” foi uma “brincadeira” de Mauro Marcelo. Mas rendeu ao delegado um espaço em coluna social de revista. Agora, com a polêmica com as fotos no Allianz Parque, o auditor do STJD excluiu o seu perfil no Instagram.

Auditor vai se despedir do Pleno do STJD

Na próxima quarta-feira (10), quando John Textor será mais uma vez julgado pelo STJD, Mauro Marcelo de Lima e Silva vai se despedir do Pleno do Tribunal. Esta será a última sessão com a atual composição do Pleno.

Como Mauro Marcelo está no seu segundo mandato como auditor do Pleno, ele não pode ser mais reconduzido ao cargo em sequência. No STJD desde 2016, Mauro Marcelo foi novamente indicado pela CBF em 2020.

Exatamente no último dia de Mauro Marcelo, o Pleno do STJD vai julgar os recursos da Procuradoria do STJD e de John Textor, referentes a uma punição sofrida em maio pelo dono da SAF do Botafogo. Na ocasião, depois de uma partida contra o Red Bull Bragantino, pela Copa Libertadores, Textor falou em corrupção no futebol brasileiro, citou supostos áudios de árbitros falando sobre propina, mas não entregou, na época, as provas solicitadas pelo STJD. O americano foi multado em R$ 60 mil, mas a punição, agora, pode ser maior.

Mauro Marcelo ironizou Textor e expôs acusados

Devido aos muitos pedidos de abertura de inquérito contra John Textor e após um pedido do próprio americano para a instauração de uma investigação, o Auditor Relator juntou todos os inquéritos em um só, apresentando o relatório nesta sexta-feira.

Com algumas ironias, o relatório questiona as provas apresentadas por John Textor de manipulação de resultados no Campeonato Brasileiro de 2023.

— O suposto método para detectar manipulação de resultados parece ter saído direto de um filme de ficção científica. Segundo o MATCHFIX® da “Good Game”, esse método seria a verdadeira bola de cristal moderna — diz um trecho do relatório.

No relatório divulgado na última sexta-feira, foi possível ver os nomes dos jogadores e árbitros que teriam sido acusados por Jhon Textor de manipulação de resultados. Apesar do inquérito, assinado por Mauro Marcelo, ter sido divulgado com um “bloco” censurando os nomes, era possível ver quais eram estes nomes ao copiar e colar o bloco em outro arquivo. Textor criticou o vazamento destes dados.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel RodriguesSetorista

Jornalista formado pela UFF e com passagens, como repórter e editor, pelo LANCE!, Esporte News Mundo e Jogada10. Já trabalhou na cobertura de duas finais de Libertadores in loco. Na Trivela, é setorista do Vasco e do Botafogo.
Botão Voltar ao topo