Brasil

A insana maratona do Bahia no início da temporada: 8 jogos, sete fora e mais de 14 mil km em 23 dias

No recorte dos últimos cinco jogos e próximos três, Bahia de Rogério Ceni terá verdadeira maratona

Pelos maiores investimentos do Grupo City, colocando o Bahia como um dos times que melhor se reforçaram para 2024, cria-se muita expectativa sobre como Rogério Ceni irá potencializar esse elenco nesta temporada. O grupo de jogadores tem nomes como Everton Ribeiro, Jean Lucas, Caio Alexandre, Cauly e mais, todos de muita qualidade técnica. No entanto, até que ponto o calendário maluco do futebol brasileiro e as altas distâncias percorridas, especialmente do futebol nordestino, pode impactar o rendimento desses atletas? Desde que passou a jogar com o time principal, o Tricolor não teve mais semanas livres para descansar, sempre com três jogos por semanas, e, nesse momento, vive uma verdadeira maratona.

Considerando os últimos cinco jogos do Bahia, desde a derrota para o Vitória por 3 a 2 em 18 de fevereiro, e as próximas três partidas, até a visita em 12 março para enfrentar o Caxias, pela segunda rodada da Copa do Brasil, o clube terá jogado apenas uma vez em casa e sete vezes como visitante, tendo percorrido 14.418 quilômetros em 23 dias.

A única partida na Arena Fonte Nova nesse recorte foi no último domingo (3), vitória por 2 a 0 em cima da Jacuipense. No restante, além do Vitória, visitou o Moto Clube pela Copa do Brasil (vitória por 4 a 0), em São Luiz, no Maranhão, a Juazeirense (2 a 1) pelo Baiano, em Juazeiro, e o CRB (1 a 0) pela Copa do Nordeste, em Maceió, Alagoas.

Os próximos três jogos são Ceará pelo Nordestão, em Fortaleza, nesta quarta-feira (6), Jequié pela semifinal do estadual, em cidade homônima, no sábado (9) e, encerrando a maratona, encara mais de 2,9 mil km de Salvador até Caxias do Sul para Copa do Brasil, a maior distância percorrida no período.

São impressionantes os números, principalmente porque a temporada não completou nem dois meses. O Campeonato Baiano iniciou em 17 de janeiro e, inicialmente, o grupo principal do Tricolor de Aço foi para Inglaterra para fazer a pré-temporada nas instalações do Manchester City. Foram duas partidas com a equipe B antes do elenco treinado por Ceni retornar sete dias depois do primeiro jogo.

A sequência de 14 mil km em 23 dias do Bahia

  • 18/02 – Vitória 3 x 2 Bahia, em Salvador;
  • 21/02 – Moto Club 0 x 4 Bahia, em São Luís (3160 km percorridos em ida e volta a Salvador);
  • 25/02 – Juazeirense 1 x 2 Bahia, em Juazeiro (1016);
  • 28/02 – CRB 0 x 1 Bahia, em Maceió (1188);
  • 03/03 – Bahia 2 x 0 Jacuipense, em Salvador;
  • 06/03 – Ceará x Bahia, em Fortaleza (2360);
  • 09/03 – Jequié x Bahia, em Jequié (734);
  • 12/03 – Caxias x Bahia, em Caxias do Sul (5960).

Bahia pode sonhar com título nacional na temporada?

Apesar dos reforços que mudaram o patamar do elenco do clube, ainda é muito prematuro apontar que esse time poderá ser campeão do Campeonato Brasileiro ou Copa do Brasil. Na temporada passada, a primeira com o Grupo City, tiveram muitos erros na montagem do grupo de jogadores e o time só se salvou do rebaixamento na última rodada, a partir de uma combinação de resultados.

Os pés no chão em relação aos possíveis títulos também é um discurso por Rogério Ceni. À TNT, o técnico projetou que o Bahia pode ser campeão do Brasileirão em 10 anos.

– A estrutura que está por trás do projeto me deixa animado. Lógico, sabemos que é um crescimento gradativo. Mas, conhecendo tudo que está por trás do Bahia, o clube tem tudo para ser campeão brasileiro daqui a uns anos. É muito difícil que aconteça esse ano, mas, daqui a 10 anos vamos nos encontrar e o Bahia vai ter mais um título de campeão brasileiro. Não sei se será comigo, mas terá. – projetou Ceni.

E nem o projeto do Grupo City deve prever o título nacional a essa altura. Eles entendem que a obrigação do Bahia no Brasileirão é buscar uma vaga na Copa Sul-Americana e nem chegar perto do rebaixamento para Série B – o que diminui arrecadação, investimento e, consequentemente, atrasa as ambições dos novos donos do clube.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de eSports no The Clutch. Além disso, atuou como assessor de imprensa no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo