Lado B de Brasil

Bragantino resistiu à pressão do Náutico e subiu para a segunda divisão

Em um 26 de agosto, o Bragantino conquistou seu principal título: o Campeonato Paulista de 1990. Também em um 26 de agosto, o clube do interior de São Paulo ganhou o direito de disputar a Série B novamente. Neste domingo, na Arena Pernambuco, a pressão do Náutico foi intensa, mas os paulistas conseguiram resistir a ela e, com a vitória no jogo de ida, conquistaram o acesso com o empate por 1 a 1.

O retorno foi rápido. O Bragantino foi rebaixado da segunda divisão em 2016, na vice-lanterna, depois de nove anos consecutivos disputando a competição. Na temporada anterior, havia caído também no Campeonato Paulista e conseguiu voltar à elite apenas ano passado. Comandado novamente por Marcelo Veiga, em sua sexta passagem, ficou em quarto lugar no Grupo B e encaminhou a vaga com a vitória por 3 a 1 no Nabi Abi Chedid.

O Náutico, rebaixado ano passado, tinha uma missão ingrata nas mãos e foi com tudo para cima do Bragantino. No entanto, falhou demais nas finalizações. A cabeçada de Camutanga passou perto. Josa pegou a sobra dentro da área, mas isolou. Aos 31 minutos, apareceu a melhor chance. Dudu cabeceou sozinho e estava acertando o canto esquerdo, quando Alex Alves pulou para fazer uma grande defesa. Um vacilo na defesa foi fatal. Em uma rara chegada, o Bragantino fez 1 a 0. Vitinho pegou o rebote de um chute de fora da área e cruzou para Matheus Peixoto marcar de cabeça.

No segundo tempo, o Timbu voltou a empilhar chances perdidas. Robinho mandou para fora, cara a cara com Alex Alves, que defendeu a tentativa de longe de Jobson. A chance de empatar surgiu aos 22 minutos, quando Adenilson tocou a bola com a mão dentro da área. Mas o goleirão do Bragantino estava em um dia iluminado e defendeu também o pênalti batido por Wallace Pernambucano. Ele se redimiu marcando o gol de empate, completando escanteio, e o Náutico continuou bravamente pressionando até o fim.

Mas era tarde demais. A decepção é grande para o Náutico. Depois de um ano passado muito ruim, o otimismo foi grande com a conquista do Campeonato Pernambucano e a melhor campanha do seu grupo na Série C, mas o desperdício nas finalizações foi castigado com mais uma temporada na terceira divisão.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo