Brasil

Robinho é preso em Santos e vai cumprir pena no Complexo do Tremembé

Após decisão do STJ para homologar pena de Robinho na Itália, Justiça Federal expediu documento para exigir prisão do ex-atleta

Robinho foi preso na noite desta quinta-feira (21) a Justiça Federal de Santos expedir um mandado baseado na decisão da Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) de homologar a sentença de prisão de Robinho na Itália por estupro.

A defesa do ex-jogador chegou a buscar um acordo com a Polícia Federal de Santos para que ele se apresentasse em qualquer delegacia da Baixada Santista ou até mesmo diretamente no Fórum. No entanto, a ele foi detido pela Polícia Federal no prédio onde reside, no bairro Aparecida, em Santos.

A decisão da prisão

O mandado de prisão foi expedido pelo juiz Mateus Castelo Branco Firmino da Silva após receber um ofício da presidente do STJ, Maria Thereza de Assis Moura, durante a tarde desta quinta-feira.

Ofício enviado pelo STJ homologando a decisão da Justiça Italiana (Foto: Divulgação)

Habeas corpus é negado

A defesa de Robinho chegou a apresentar um pedido de habeas corpus ao Supremo Tribunal Federal (STF), mas foi negado pelo Ministro Luiz Fux, de acordo com a repórter Andrea Sadi, da TV Globo.

Onde Robinho ficará preso?

O destino de Robinho será o Complexo Prisional de Tremembé, popularmente conhecido como o “Presídio dos Famosos”, já que abrigou detentos como Suzane Richthofen, Elize Matsunaga, Roger Abdelmassih, e Edinho, filho de Pelé.

A Penitenciária 2 de Tremembé, onde ficam homens, e a Penitenciária 1 Feminina são unidades que recebem presos em crimes de maior repercussão para tentar evitar conflitos. Apesar disso, não há tratamento especial comparando a outros espaços.

Uma fonte consultada pela Trivela afirmou que o encaminhamento para o Tremembé é feito para “preservação da ordem” e tentar evitar “extorsões que acontecem em um convívio grande”.

A decisão será confirmada em audiência de custódia na Justiça Federal de Santos, onde será informado que o ex-jogador irá para a cidade do Vale do Paraíba ao invés de mantê-lo em uma cadeia da Baixada Santista.

Santos, onde o ex-atleta mora, tem apenas um presídio. De acordo com apuração da Trivela, a unidade tem capacidade apenas para 24 pessoas, e não pode receber mais detentos por causa de uma determinação judicial.

Outras opções ainda na Baixada eram o presídio do Guarujá, usado como próxima opção pela polícia de Santos, e a Penitenciária 1 de São Vicente, onde fica a unidade carcerária da Polícia Federal na região.

Entenda o caso

O crime pelo qual Robinho foi condenado, foi cometido em uma boate em Milão, em 2013, contra uma mulher albanesa. Na ocasião, o ex-jogador estava acompanhado dos amigos Rudney Gomes, Clayton Santos, Alexsandro da Silva, Fabio Galan e Ricardo Falcon, este último também condenado a prisão.

O restante do grupo também foi denunciado, mas não chegou a ser julgado pelas leis italianas porque deixou o país europeu durante as investigações e não foi notificado para a audiência preliminar, que aconteceu em março de 2016.

Apesar disso, a defesa da vítima ainda tem planos de mudar esse cenário e buscar a condenação de todos os envolvidos.

Conforme as investigações, o estupro coletivo ocorreu em um dos camarins da boate Sio Café, onde um dos amigos de Robinho fazia show com a sua banda de pagode.

Como parte das investigações do caso, a justiça italiana instalou um gravador no carro do ex-jogador e por meio deste recurso foi possível captar diversas conversas de Robinho com amigos e a mulher. Em alguns trechos o ex-atacante confessa a participação no crime, e isso contribuiu para a sua condenação.

Foto de Bruno Lima

Bruno Lima

Bruno Lima nasceu em Santos (SP) e se formou em Jornalismo na Universidade Católica de Santos (UniSantos) em 2010. Antes de escrever para Trivela, passou por A Tribuna.
Foto de Livia Camillo

Livia Camillo

Formada em jornalismo pelo Centro Universitário FIAM-FAAM, escreve sobre futebol há cinco anos e também fala sobre games e cultura pop por aí. Antes, passou por Terra, UOL, Riot Games Brasil e por agências de assessoria de imprensa e criação de conteúdo online.
Foto de Matheus Rocha

Matheus Rocha

Matheus Rocha é natural de Uberlândia (MG), onde se formou em Jornalismo no Centro Universitário do Triângulo (Unitri) em 2014. Começou a carreira no jornalismo escrevendo colunas na Trivela antes de passar por ExtraTime e Yahoo, participando da cobertura de três Copas do Mundo e cinco Olimpíadas.
Botão Voltar ao topo