Brasil

John Textor tem vitória com CPI sobre manipulação, mas precisa apresentar suas provas

Ainda que sem provas, acusações de John Textor ajudaram a pressionar senadores por abertura de CPI, mas ele ainda será cobrado para apresentar suas supostas provas

Em meio a muitas polêmicas e acusações sem provas, John Textor, dono da SAF do Botafogo, teve uma vitória importante nos bastidores do futebol brasileiro. Nesta terça-feira (2), o senador Jorge Kajuru (PSD-GO) anunciou que a CPI Manipulação dos Jogos de Futebol vai começar ainda em abril. Mas, agora, também vai precisar apresentar as evidências que ele insiste ter e nunca mostrou.

Sem confiar na competência do STJD para investigar, analisar provas e julgar os casos que ele diz ter em mãos,Textor apostava em dois caminhos para tentar fazer com que as suas supostas provas fossem analisadas: o Ministério Público e autoridades políticas.

Enquanto diz já ter entregado evidências das suas acusações a um promotor do Ministério Público, Textor usou da sua proximidade com o ex-jogador e atual senador Romário (PL-RJ) para avançar com a questão no Senado Federal. Nos últimos meses, desde as primeiras acusações do dono do Botafogo, Romário e outros senadores pressionavam pela abertura de uma CPI para investigar a manipulação de resultados no futebol brasileiro.

No começo de março, após requerimento de Romário, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD/MG), anunciou a abertura da CPI para investigar possíveis manipulações de resultados no futebol. Agora, nesta semana, foi confirmado que Romário será o relator da CPI, enquanto Jorge Kajuru (PSD-GO) será o presidente. E Kajuru já confirmou que os trabalhos devem começar ainda em abril.

Textor será convidado para depor na CPI

Nesta terça-feira, em entrevista à TV Senado, Jorge Kajuru falou sobre a CPI e confirmou que John Textor será convidado para falar. Além disso, também será pedido que o dono do Botafogo, enfim, apresente publicamente as provas que ele diz ter sobre manipulação de resultados.

– Aquele diretor do Botafogo, que comprou a SAF, Textor, fez uma denúncia gravíssima de um árbitro cobrando a propina prometida em uma partida em que houve manipulação. Só que ele não quer apresentar o áudio. Agora ele foi convocado pelo STJD e ele vai ser condenado, vai tomar suspensao no mínimo de 120 dias, se não apresentar o que tem. Cadê? “Eu vou apresentar ao Ministério Público”. Vai quando? Ele vai ser convocado na nossa primeira reunião. Ele apresentar aqui antes do MP seria ouro – afirmou Kajuru.

Por mais que essa convocação e essa “cobrança” de Kajuru pelas provas possam parecer uma situação negativa, elas simbolizam, em parte, uma vitória para John Textor. O empresário seguirá pautando o assunto da manipulação de resultados no Brasil, além de seguir colocando sob suspeita, ainda sem provas, os dois últimos Campeonatos Brasileiros, vencidos pelo Palmeiras.

Por outro lado, Textor terá que apresentar suas provas. Depois das graves acusações feitas sobre o Palmeiras e, depois, sobre o São Paulo — inclusive citando que cinco jogadores estavam envolvidos –, qualquer evidência apresentadas que não seja algo muito claro sobre manipulação poderá acabar atrapalhando ainda mais a imagem do empresário americano no Brasil, já desgastada por suas acusações sem provas.

Partidas sob suspeita na CPI não são as mesma de Textor

A CPI já tem em mãos um relatório com 109 partidas que estão sob suspeita de manipulação de resultados. Mas nenhum desses jogos chegou ao Senado pelas acusações de John Textor. No requerimento para a abertura da CPI, os senadores utilizaram os dados da Sportradar, empresa parceira da CBF e que faz a análise em tempo real de movimentações suspeitas em sites de apostas.

A Sportradar indicou que 109 partidas do futebol brasileiro tiveram essas movimentações estranhas em site de apostas durante 2023. O relatório em si não prova nada, mas é um começo para maiores investigações.

O que John Textor falou sobre manipulação de resultados?

Desde o fim de 2023, ainda durante o Campeonato Brasileiro e queda brusca do Botafogo na briga pelo título, John Textor vem acusando supostos casos de corrupção e manipulação de resultados no Brasil. Em março deste ano, o empresário americano passou a fazer acusações mais graves, de que jogos do Palmeiras estavam sob suspeita de manipulação. E, nos últimos dias, Textor foi ainda mais longe e afirmou, sem provas, que o Palmeiras foi beneficiado nos últimos dois anos. Além disso, também afirmou, novamente sem provas, que cinco jogadores do São Paulo estariam envolvidos em manipulação de resultados na goleada sofrida por 5 a 0 para o Palmeiras. Textor será processado por São Paulo e Palmeiras.

Para as suas acusações, Textor tem como base um grupo de especialistas, que não tiveram seus nomes divulgados, e os relatórios da empresa GoodGame, que usa inteligência artificial nas suas análises para apontar possíveis erros anormais de jogadores durante as partidas. Esta é a mesma empresa que foi contratada pelo empresário e que apontou que o Botafogo deveria ter 21 pontos a mais que o Palmeiras no último Brasileiro.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues é jornalista formado pela UFF e soma passagens como repórter e editor de Lance!, Esporte News Mundo e Jogada10.
Botão Voltar ao topo