Brasil

James Rodríguez volta atrás, pede nova chance ao São Paulo e pode jogar Paulistão

Sem acordo na rescisão do contrato, a relação entre São Paulo e James Rodríguez pode não terminar

Há mais ou menos duas semanas, James Rodríguez, insatisfeito com os poucos minutos no São Paulo, pediu para sair do clube em uma decisão que não surpreendeu muita gente pela nebulosidade em relação à condição física do atleta. No entanto, nesta terça-feira (20), tudo mudou: o colombiano se reuniu com membros da diretoria e com o técnico Thiago Carpini e expressou seu desejo de ficar após não entrar em acordo na rescisão de contrato. O Tricolor Paulista concordou, e ele poderá voltar a vestir a camisa do time do Morumbi. A informação, publicada inicialmente pela Rádio Transamérica, foi confirmada pela Trivela.

— Alguma coisa boa está chegando — escreveu James no Instagram ao publicar uma imagem treinando no CT da Barra Funda.

Mesmo fora dos 26 inscritos para fase de grupos do Campeonato Paulista, James ainda pode ser inscrito nessa fase inicial. Isso porque o regulamento prevê a substituição de um jogador lesionado, e o São Paulo incluiu na lista Rodrigo Nestor, fora desde novembro do ano passado por uma lesão no menisco e no ligamento colateral medial.

O clube também pode optar por aguardar três semanas e inscrevê-lo apenas quando chegar ao mata-mata, porque ainda há a expectativa de Nestor se recuperar da lesão. Nesse caso, James teria até os dias 10, 11 ou 12 de março, quando serão disputadas as quartas de final, para entrar em forma.

Vale citar, no entanto, que hoje o clube não avançaria ao mata-mata do estadual. Com um jogo a menos a ser disputado contra a Inter de Limeira, no fim de fevereiro, o São Paulo é apenas o terceiro do grupo D, um ponto atrás da dupla São Bernardo e Novorizontino.

O início de 2024 de James no São Paulo foi controverso. Oficialmente, o clube alegava que o jogador fazia um controle de carga, mas o staff do colombiano dizia que ele estava em condições físicas para jogar. O estopim para saída (hoje, aparentemente revertida) foi, por opção do meia, não ter viajado com o elenco para a Supercopa do Brasil, conquistada em cima do rival Palmeiras no Mineirão.

Desde o início, ainda com Dorival Júnior, James Rodríguez não ficou satisfeito com os poucos minutos em campo – conquistou a Copa do Brasil sem ao menos entrar em campo. Com Carpini nem chegou a jogar, e o técnico explicou, após a Supercopa, o problema na panturrilha que o impediu de entrar em campo. Naquele momento, em 5 de fevereiro, assumiu que partiu do próprio o desejo de sair.

– O nosso período de convívio foi curto. Então, não tenho o que falar do atleta e do ser humano. Na verdade, o que atrapalhou um pouquinho não foi o controle de carga que nós fizemos na pré-temporada. Foi um incomodozinho, que ele teve na panturrilha durante a pré-temporada. Eu até falei de maneira equivocada, quando eu falo de uma situação crônica. Mas acho que foi recorrente porque ele teve esse tipo de lesão na panturrilha na seleção. Demos uma atenção especial para poder contar com ele da melhor forma. Mas, como agora isso não é da parte técnica e não é do clube, o interesse de não continuar é do próprio atleta. Isso passa a não ser um assunto meu.

Contratado com muitos holofotes em agosto do ano passado, James Rodríguez soma apenas 14 partidas pelo São Paulo, com um gol marcado e três assistências distribuídas. Ficou marcado pelo pênalti perdido contra a LDU que culminou na eliminação da Copa Sul-Americana e teve poucas atuações do nível que se esperava de um jogador que passou por Real Madrid e Bayern de Munique.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de eSports no The Clutch. Além disso, atuou como assessor de imprensa no setor público e privado.
Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Eduardo Deconto nasceu em Porto Alegre (RS) e se formou em Jornalismo na PUCRS. Antes de escrever para a Trivela, passou por ge.globo e RBS TV.
Botão Voltar ao topo