Brasil

O Internacional despreza um dos principais motivos para seus insucessos recentes

Sem psicólogos na equipe profissional, Internacional acumulou mais uma eliminação no Beira-Rio, o que se tornou comum nos últimos anos

A derrota nos pênaltis para o Juventude, na última segunda-feira (26), após empate no tempo normal, culminou em mais uma eliminação traumática para o Internacional dentro do Beira-Rio. As quedas dentro de casa, muitas delas para equipes tecnicamente inferiores, se sucedem com frequência desde a perda do título da Copa do Brasil para o Athletico-PR, em 2019.

Desde que o presidente Alessandro Barcellos iniciou seu primeiro mandato em 2021, o Inter venceu apenas quatro dos 11 duelos eliminatórios decididos no Beira-Rio. Havia expectativa de que os demônios fossem exorcizados após o Colorado superar o River Plate, nos pênaltis, nas oitavas de final da Libertadores do ano passado. Mas, aparentemente, isso não aconteceu. Na própria competição continental, nova eliminação doída aconteceu, em casa, na semifinal, para o Fluminense.

Evidentemente, cada eliminação teve sua particularidade. E o Inter mudou de forma considerável sua fotografia de 2021 para cá. Ainda assim, o fator psicológico teve peso importante em quase todas elas. Muito por conta, justamente, desse retrospecto, e do jejum de títulos do Colorado, que não conquista nem o Campeonato Gaúcho desde 2016.

Barcellos não acha que o fator psicológico foi determinante para eliminação contra o Juventude

Contra o Juventude, o Inter sentiu muito o gol sofrido. A reta final do primeiro tempo foi marcada por nervosismo e ansiedade exacerbados. Na segunda etapa, também faltou controle emocional para Maurício, que, irritado após ser agarrado por Nenê, chutou o camisa 10 do Juventude no chão e foi expulso diretamente após o árbitro Anderson Daronco consultar o VAR.

Enquanto isso, o Inter segue fazendo parte da metade dos clubes da Série A do Campeonato Brasileiro que não possuem profissionais de psicologia em sua equipe. Sendo que essa foi, inclusive, uma promessa de campanha de Barcellos. O presidente colorado foi questionado sobre o tema após a eliminação para o Juventude.

— Não resolve só essa psicologia com profissional. Isso é fundamental, e a gente está trabalhando. Não encontramos alguém que tenha experiência ou minimamente possa já ter trabalhado nesse ambiente, e poder acrescentar. Eu não acho que hoje tenha sido o fator psicológico que tenha decidido a partida — disse Barcellos.

Para Barcellos, elenco com jogadores experientes e vencedores é suficiente para a mentalidade da equipe

O presidente do Inter entende que, por si só, o elenco montado para esta temporada tem mentalidade forte. Reflexo da chegada de jogadores experientes e vencedores como Fernando, Thiago Maia, Borré e Alario, que, no entanto, não atuaram diante do Juventude.

— O fato de você trazer jogadores que têm experiência, que já jogaram em grandes clubes, que já estiveram em momentos decisivos, como outros que aqui já estão, você acrescenta um fator importante mental na equipe. E acho que nesse sentido elevamos muito o nível da equipe. A questão é como trabalhar isso melhor, para termos mais proveito disso. […] Até porque nós temos uma comissão técnica experiente, temos vários jogadores, dentro de campo e no vestiário, até aqueles que estão fazendo parte do grupo e não puderam jogar hoje, com muita experiência. Isso é transmitido — garantiu.

Por fim, Barcellos disse que o clube seguirá em busca de alternativas para melhorar a parte psicológica do time. Mas reiterou que não acredita que a eliminação para o Juventude tenha passado decisivamente por esse aspecto.

— Não é fácil, a gente tem um departamento trabalhando e prospectando isso. Não vou aqui dar desculpa, ou mudar de ideia. Continuo achando que essa é uma função importante, e a gente vai continuar atrás para tentar acrescentar, mas não considero isso um fator determinante para essa eliminação que aconteceu agora — concluiu.

Eliminações do Internacional no Beira-Rio nas gestões Barcellos

  • Vitória (Copa do Brasil 2021)
  • Olímpia (Libertadores 2021)
  • Melgar (Copa Sul-Americana 2022)
  • Caxias (Campeonato Gaúcho 2023)
  • América-MG (Copa do Brasil 2023)
  • Fluminense (Libertadores 2023)
  • Juventude (Campeonato Gaúcho 2024)
Foto de Nícolas Wagner

Nícolas Wagner

Gaúcho e formado em Jornalismo pela PUC-RS, já passou pela Rádio Grenal e pela RDC TV. É, também, coordenador de conteúdo da Rádio Índio Capilé.
Botão Voltar ao topo