Brasil

Hulk doa R$ 100 mil às vítimas no Sul e se diz a favor da paralisação do futebol

Atacante do Atlético-MG, Hulk fez doação para ajudar as vítimas no Rio Grande do Sul e não se opôs a uma paralisação do futebol no Brasil

Um dos principais jogadores do futebol brasileiro, o atacante Hulk, junto a sua família, doou R$ 100 mil reais para as vítimas da tragédia climática no Rio Grande do Sul. O anúncio foi feito durante o treino aberto que o Atlético-MG realizou também em solidariedade a essas vítimas. Além disso, o atacante, que é capitão do Galo, mostrou mais uma vez seu lado humano e é a favor da paralisação do futebol brasileiro.

Durante o treino aberto na Arena MRV, o Atlético recebeu mais de 36 mil torcedores e arrecadou mais de R$ 666 mil reais de renda, que será toda doada às vítimas das tragédias no Sul do país. Além disso, foi anunciado já no fim do jogo que o atacante Hulk doou mais R$ 100 mil. Após o treino, o atacante deu os créditos para a esposa pela doação e exaltou a atitude do clube Alvinegro.

Companheiro de Hulk no ataque, Paulinho também citou o quão importante foi a ação do Atlético, e que no momento é válida qualquer ajuda para tentar fazer a vida dos afetados voltarem ao normal mais rápido.

— É um momento muito triste do nosso país. Muitos jogadores têm familiares e amigos no Sul e estão com dificuldade. Temos que tentar ajudar de alguma forma eles se reerguerem, terem as casas de volta, uma boa alimentação e higiene. É importante não só para eles, mas todo o nosso país. Hoje foi um evento muito marcante para ajudar e também para a gente receber uma energia e um carinho do torcedor — destacou o camisa 10

Hulk é a favor da paralisação do futebol brasileiro

Capitão do Atlético, Hulk foi questionado sobre uma possível paralisação do futebol, algo bastante debatido desde que as tragédias começaram no sul. Ele afirmou que ama jogar futebol, mas o mais importante agora são as vidas das pessoas e, se for o melhor para todos, ele é a favor de parar.

O mais importante são as vidas das pessoas que estão passando por essa situação delicada. A gente sabe que não está sendo fácil para todos no Sul. Eu amo jogar futebol e dou a minha vida por isso, mas hoje o mais importante são as pessoas. Se for para o bem de todos paralisar, eu estou de acordo — Hulk

Há uma semana, o presidente do Atlético, Sérgio Coelho, falou publicamente sobre ser a favor da paralisação do futebol nacional. Ele demonstrou solidariedade aos times gaúchos, que pleiteam essa ideia.

A questão da paralisação tem muitos detalhes. Os times do Rio Grande do Sul já estão parados, já que não tem como treinar e jogar, pois os locais para isso estão alagados. Além disso, muitos jogadores estão ajudando as vítimas, ou seja, não é “só” eles jogarem em outros lugares.

O ponto principal é que, quando eles puderam voltar a jogar, terão um calendário extremamente danificado e apertado. O futebol brasileiro já tem por conta própria um calendário ajustado, e os gaúchos teriam dificuldades. Só eles passarem por isso enquanto os outros times jogam e treinam normalmente, ou seja, falta de isonomia, é o que move a ideia da paralisação.

Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick se formou em Jornalismo na PUC Minas em 2021. Antes da Trivela, passou por Esporte News Mundo, EstrelaBet e Hoje em Dia.
Botão Voltar ao topo