Brasileirão Série A

É viável parar o Brasileirão por chuvas no RS? Clubes discutem nos bastidores

Parte dos clubes do Campeonato Brasileiro é a favor de paralisação temporária; CBF ainda não convocou reunião para discutir o tema

As chuvas que assolam o estado do Rio Grande do Sul comoveram todo o país, e no último fim de semana, fez com que Grêmio, Internacional e Juventude tivessem seus jogos do Campeonato Brasileiro adiados. As enchentes atingiram os estádios dos dois times de Porto Alegre, assim como o Aeroporto Salgado Filho, na capital gaúcha, que não está funcionando por tempo indeterminado.

A grave situação faz que os outros 17 clubes do principal campeonato do Brasil discutam, nos bastidores, a paralisação do torneio. Segundo apuração exclusiva da Trivela, os presidentes das instituições estão conversando entre si sobre o tema. Apesar de alguns serem contra a ideia, a maioria dos mandatários crê que seria a atitude correta a se fazer no momento.

Nesta terça-feira (7), um pedido a mais de paralisação foi oficializado. A Federação Gaúcha de Futebol pediu para a CBF adiar os jogos de times do Rio Grande do Sul por 20 dias, em busca da priorização de todos os envolvidos para ajudarem na tragédia natural que ocorre no estado. Os clubes, além de não jogar, sequer estão treinando, já que parte dos funcionários e atletas estão na linha de frente. O pedido foi acatado pela CBF.

Dos 20 clubes, 17 responderam a ESPN mais cedo de forma oficial. Atlético-MG, Botafogo, Criciúma, Cuiabá, além obviamente de Grêmio, Internacional e Juventude são a favor de uma paralisação e adiamento das partidas, enquanto o Fortaleza fala em analisar bem a situação dos clubes. Bahia, Corinthians, Vasco e Vitória não irão se manifestar publicamente, e Athletico Paranaense e Vitória se colocaram contra ao adiamento das partidas. Flamengo, Fluminense e Palmeiras não responderam aos contatos. O Cruzeiro disse que iria se posicionar com outros clubes da Liga Forte, enquanto o RB Bragantino aguarda um posicionamento da CBF. Por fim, o São Paulo desconversou de forma pública, dizendo que somente que está fazendo uma campanha de arrecadação para enviar mantimentos ao RS.

CBF se posicionou brandamente

Dificilmente o Campeonato Brasileiro será paralisado sem o OK da CBF. A entidade máxima do futebol nacional ainda não havia procurado os clubes consultados pela Trivela, sobre um possível adiamento do campeonato por conta de um fato grave, que assola dois dos mais tradicionais clubes do país, que estão com seus estádios Arena do Grêmio e Beira-Rio alagados pelas enchentes. Na tarde desta terça-feira (7), a CBF anunciou somente que os jogos envolvendo clubes gaúchos serão adiados.

Outras competições também foram afetadas por conta das chuvas. Ainda na semana passada, a CBF anunciou o adiamento de partidas da Copa do Brasil, Série C, Série D e do Brasileirão Feminino Série A-1. Todos os jogos tinham ao menos um clube gaúcho envolvido.

Futebol unido pelos gaúchos

Nas redes sociais, além de Grêmio e Internacional, todos os clubes do Brasileirão estão utilizando seus espaços em busca de arrecadação de fundos para ajudar as famílias afetadas pelas enchentes, via QR Codes para dinheiro, e também adquirindo roupas, alimentos não perecíveis e produtos de limpeza. Atletas e ex-atletas de ambos os clubes que moram em Porto Alegre estão ajudando da forma como podem a resgatar e distribuir comidas às famílias que mais vêm sofrendo com as chuvas no estado.

Tragédia climática no Rio Grande do Sul já deixou 90 mortos

Os temporais que iniciaram segunda-feira (29/04) no Rio Grande do Sul já deixaram pelo menos 90 mortos, 132 desaparecidos e 361 feridos, conforme o último levantamento da Defesa Civil, divulgado na manhã desta terça-feira (7). Há 203,8 mil pessoas fora de casa. Desse total, são 48,1 mil em abrigos e 155,7 mil desalojados (pessoas que estão nas casas de familiares ou amigos). 388 dos 497 municípios do estado registram algum tipo de transtorno.

Foto de Vanderson Pimentel

Vanderson Pimentel

Jornalista formado em 2013, e apaixonado por futebol desde a infância. Em redações, também passou por Estadão e UOL.
Foto de Caio Blois

Caio Blois

Caio Blois nasceu no Rio de Janeiro (RJ) e se formou em Jornalismo na UFRJ em 2017. É pós-graduado em Comunicação e cursa mestrado em Gestão do Desporto na Universidade de Lisboa. Antes de escrever para Trivela, passou por O Globo, UOL, O Estado de S. Paulo, GE, ESPN Brasil e TNT Sports.
Foto de Livia Camillo

Livia Camillo

Formada em jornalismo pelo Centro Universitário FIAM-FAAM, escreve sobre futebol há cinco anos e também fala sobre games e cultura pop por aí. Antes, passou por Terra, UOL, Riot Games Brasil e por agências de assessoria de imprensa e criação de conteúdo online.
Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Eduardo Deconto nasceu em Porto Alegre (RS) e se formou em Jornalismo na PUCRS. Antes de escrever para a Trivela, passou por ge.globo e RBS TV.
Botão Voltar ao topo