Brasil

Lelê marca de novo, Fluminense vence o Madureira e encaminha classificação no Carioca

Em último jogo antes da Recopa, Fluminense usa reservas, tem dificuldades mas conta com Lelê para garantir vitória sobre o Madureira e se aproximar de vaga nas semifinais do Carioca

O Fluminense mais uma vez teve dificuldades, mas voltou a vencer no Campeonato Carioca. A vitória magra por 1 a 0 sobre o Madureira, com gol de Lelê, encaminhou a classificação para as semifinais do estadual e recolocou o Tricolor na liderança do Estadual ao menos até terça (20), quando o arquirrival Flamengo enfrenta o Boavista.

O jogo do meio de semana é importante para o Flu, que chegou aos 21 pontos: se o Fla vencer, o Tricolor garante a classificação para as semifinais. Em caso de tropeço do rival, o Fluminense mantém a liderança. Essa foi a última partida da equipe antes da final da Recopa Sul-Americana, contra a LDU, grande foco do clube no começo de temporada.

Fluminense usa esquema diferente, mas repete mesmos erros

Parece roteiro de filme repetido, mas o Fluminense mais uma vez começou mal e sonolento no jogo contra o Madureira. O calor no Rio de Janeiro serve até de abono já que o gramado do Maracanã recebia forte sol, mas o ritmo lento do Tricolor parece ter virado a condição normal de temperatura e pressão da equipe.

Gabriel Pires alternou entre zaga e meio campo, mas tentativa do Fluminense não deu certo contra o Madureira - Foto: MARCELO GONÇALVES / FLUMINENSE FC
Gabriel Pires alternou entre zaga e meio campo, mas tentativa do Fluminense não deu certo contra o Madureira – Foto: MARCELO GONÇALVES / FLUMINENSE FC

Bagunçado em campo em função de mudanças táticas, o Flu segurou a bola em quase toda a primeira etapa, mas agrediu pouquíssimo o gol de Mota, dono da meta do Tricolor Suburbano. Para piorar, nas duas vezes em que o fez, com Lelê e Lima, não foi com uma jogada construída.

Com Gabriel Pires entre os zagueiros em alguns momentos e Diogo Barbosa recuado pela esquerda, o Fluminense não tinha construção de jogo pelas pontas e dependia exclusivamente de Alexsander para criar por dentro. O Madura logo percebeu e passou a marcar o camisa 5 de perto, quebrando completamente a equipe comandada à beira do campo por Eduardo Barros — Fernando Diniz, suspenso pela expulsão contra o Vasco, acompanhou o jogo das cabines.

Sistema não funciona, e Fluminense faz jogo confuso

Principalmente durante os primeiros 45 minutos, a falta de entrosamento do Fluminense ficou muito clara. Com uma escalação que nunca jogou junto, o Tricolor esteve muito confuso. Em diversos momentos, a equipe literalmente bateu cabeça: Terans e Lima não se entendenram pela esquerda, nem Lelê e John Kennedy por dentro.

Desorganizado, Fluminense fez primeiro tempo confuso contra o Madureira - Foto: MARCELO GONÇALVES / FLUMINENSE FC
Desorganizado, Fluminense fez primeiro tempo confuso contra o Madureira – Foto: MARCELO GONÇALVES / FLUMINENSE FC

No segundo tempo, com Arias na vaga de Gabriel Pires, o Flu ficou mais organizado, mas também mais exposto. O Madureira encontrou mais espaços principalmente pela esquerda da defesa tricolor, mas não aproveitou.

Fluminense coloca titulares e Lelê abre o placar

Para corrigir a bagunça, o auxiliar Eduardo Barros começou com Arias, mas depois, colocou Ganso e André nas vagas de Terans e Felipe Andrade. E bastaram dois minutos com um time mais organizado para o Fluminense tirar o zero do placar.

Ainda que tivesse o canhoto Alexsander cumprindo a função de lateral-direito, o Flu passou a circular melhor a bola com André e Antonio Carlos na zaga e Diogo Barbosa como um verdadeiro lateral-esquerdo.

Não à toa, dois minutos depois, aos 15, eles decidiram. Ganso se encontrou com Arias pelo meio e o colombiano tabelou com Diogo Barbosa, que recebeu na linha de fundo e deu grande passe para achar Lelê abrir o placar. O camisa 18 só teve o trabalho de cumprimentar para as redes para marcar seu quinto gol em 2024.

Marquinhos estreia e Fluminense toma sustos no fim

Quando o relógio marcava 30 minutos, Eduardo Barros decidiu promover uma estreia no Fluminense. Douglas Costa, cansado, deixou o campo, e Marquinhos entrou na ponta-esquerda. Com a camisa 77 nas costas, o ponta teve sua primeira oportunidades com a camisa tricolor.

Emprestado pelo Arsenal, o jovem de 20 anos mostrou pouco. O Flu, por outro lado, pareceu cansar, mesmo que do meio para a frente apenas o centroavante Lelê tenha atuado por 90 minutos. Erros de passe na armação de jogadas no ataque se transformaram em contra-ataques do organizado Madureira, e o Fluminense levou seus sustos no fim do jogo.

Os últimos dez minutos foram de bolas na área, tentativas pelas duas pontas e ocupação do campo de ataque pelo Tricolor Suburbano. Desorganizado, o Flu contou com erros do adversário no último passe, mas cedeu muito mais espaço do que deveria.

Próximos jogos do Fluminense

  • LDU x Fluminense – Recopa Sul-Americana – quinta, 22 de fevereiro – 21h30 (de Brasília)
  • Flamengo x Fluminense – Campeonato Carioca – domingo, 25 de fevereiro – 16h (de Brasília)
  • Fluminense x LDU – Recopa Sul-Americana – quinta, 29 de fevereiro – 21h30 (de Brasília)
Foto de Caio Blois

Caio Blois

Caio Blois nasceu no Rio de Janeiro (RJ) e se formou em Jornalismo na UFRJ em 2017. É pós-graduado em Comunicação e cursa mestrado em Gestão do Desporto na Universidade de Lisboa. Antes de escrever para Trivela, passou por O Globo, UOL, O Estado de S. Paulo, GE, ESPN Brasil e TNT Sports.
Botão Voltar ao topo