Brasil

Como foram os anos em que o Fluminense teve a faixa diagonal em sua camisa

O Fluminense usou a faixa diagonal pela primeira vez em 1907, e era uma faixa de campeão; Tricolor conquistou títulos e teve momentos importantes com o uniforme

O Fluminense lançou seu novo uniforme dois para 2024 com uma polêmica: as faixas diagonais. Pioneiro na utilização deste elemento em 1907, quando o rival Vasco da Gama ainda era apenas um clube de regatas, o Tricolor resgatou o design novamente depois de usar por outras duas vezes em sua história.

E como foram esses anos? A Trivela relembra nesta reportagem especial com a ajuda do Flu-Memória, o departamento do Fluminense Football Club que é responsável pela preservação da história do clube.

O design da camisa de 2024 remete ao primeiro uniforme branco da história do Fluminense, de 1907. Todos se surpreenderam quando o Tricolor entrou em campo pela primeira vez com camisa e calção inteiramente brancos.

A primeira camisa do Flu era cinza e branca, mas Oscar Cox e Mário Rocha encontraram dificuldades em comprar mais tecidos para novos uniformes. Mesmo viajando a Londres em busca disso, a dupla não conseguiu e decidiu sugerir as cores atuais: verde, branco e grená — ainda chamado de “encarnado” no Brasil por influência portuguesa. Assim nascia a camisa tricolor, em 1905.

O ano do primeiro tricampeonato do Fluminense

O problema é que as cores desbotavam facilmente. Entre 1905 e 1912, o Fluminense tinha dificuldade em se manter tricolor por falta de tecidos no país e os custos de importação. Veio a ideia de usar uniformes integralmente brancos — com um detalhe especial.

Fluminense foi tricampeão carioca em 1908 usando uma camisa branca com uma faixa tricolor, diagonal, por cima do uniforme - Foto: Flu-Memória
Fluminense foi tricampeão carioca em 1908 usando uma faixa diagonal tricolor por cima do uniforme branco – Foto: Flu-Memória

Bicampeão carioca em 1906 e 1907, o Fluminense vestiu faixas como as de campeão, nas três cores do clube, por cima do uniforme. Isso à época era permitido, e assim, pela primeira vez, o Tricolor vestiu uma camisa literalmente com uma faixa diagonal. Não era estampada ou costurada, mas vestida por cima do uniforme branco.

A estreia foi contra o extinto Internacional, da Tijuca, nas Laranjeiras. O clube fundado no Andaraí e na antiga freguesia do Engenho Velho. E não podia ser melhor: um sonoro 5 a 0, com gols de Osvaldo Gomes (2), Reidy, Félix Frias e João Leal.

O uniforme estreou pé-quente, e o Fluminense conquistou o Campeonato Carioca, em 1908, o primeiro tricampeonato de sua história. A camisa branca foi utilizada no jogo do título, um empate por 2 a 2 com o Botafogo no campo da Rua Voluntários da Pátria, onde os alvinegros mandavam seus jogos à época. O Tricolor não perdeu com este uniforme: foram sete vitórias e um empate.

Fluminense retomou faixa diagonal em 1966 com novidade

Em 1966, o Fluminense entrou em campo na estreia do Campeonato Carioca, contra o Olaria, e a torcida achava que o time vestia uma faixa de campeão da Taça Guanabara, naquele ano. À época, uma competição à parte do Estadual.

Fluminense derrotou o Olaria por 3 a 0 com uma camisa branca com faixa diagonal tricolor por cima - Foto: Reprodução/Acervo O Globo
Fluminense derrotou o Olaria por 3 a 0 com uma camisa branca com faixa diagonal tricolor por cima – Foto: Reprodução/Acervo O Globo

Mas era outra surpresa: o Fluminense voltou a usar a faixa diagonal em seu uniforme. Mas de maneira diferente. Se em 1907 e 1908 a direção era do ombro esquerdo até o lado direito, em 1966 a camisa ia dos ombros direitos para o lado esquerdo, como a resgatada agora, em 2024. O escudo ficava do outro lado. Colunista do jornal O Globo, o ilustre tricolor Nelson Rodrigues criticou.

E o aproveitamento também foi bom. Foram oito jogos, com cinco vitórias, um empate e apenas duas derrotas, para Palmeiras e Bangu — que acabaria campeão carioca naquele ano.

Em 2009, camisa ficou marcada por arrancada histórica do Fluminense

Mais de 100 anos da primeira vez haviam se passado quando o Fluminense decidiu resgatar a camisa em 2009. Desta vez, o Tricolor usou muitas vezes mais o uniforme, que ficou até o meio de 2010 como o número dois do clube.

Foram 23 jogos, com dez vitórias, seis empates e sete derrotas. Com a camisa branca no peito, o Flu viveu momentos importantes da arrancada histórica que livrou o clube do rebaixamento em 2009 e iniciou a campanha do tricampeonato brasileiro em 2010. Os jogos contra Palmeiras, Sport e Vitória, no Maracanã, que iniciaram a trajetória da idolatria eterna de Fred, ficam no imaginário dos tricolores vestindo o uniforme branco com faixa diagonal.

Além disso, naquele ano, o Fluminense também foi até a final da Copa Sul-Americana, mas acabou vice-campeão, perdendo a decisão, no placar agregado, para a LDU. A camisa chegou a ser usada no Campeonato Brasileiro de 2010, conquistado pelo clube após 26 anos.

Fluminense nunca perdeu para o Vasco usando faixa diagonal

A nova camisa do Fluminense para 2024 reacende uma antiga polêmica. Em 1908, quando usou a camisa com faixa diagonal pela primeira vez, o Vasco da Gama nem sequer tinha um departamento de futebol. O Tricolor, portanto, foi pioneiro ao usá-la no Rio de Janeiro e no futebol brasileiro — outros times como Ponte Preta, Tuna Luso, Fortaleza, Internacional e Atlético Goianiense usariam depois.

O clube de São Januário passou a usar o design em sua camisa apenas nos anos 1940. E o Fluminense, quando teve o elemento em seu uniforme, nunca perdeu para o rival.

Fluminense venceu o Vasco por 2 a 1 em 1966 em confronto de 'faixas diagonais' mesmo com jogador de linha no gol - Foto: Reprodução/Acervo O Globo
Fluminense venceu o Vasco por 2 a 1 em 1966 em confronto de ‘faixas diagonais' mesmo com jogador de linha no gol – Foto: Reprodução/Acervo O Globo

É que foram poucos jogos. Em 1966, o Fluminense venceu o Vasco por 2 a 1, pelo Campeonato Carioca, com gols de Amoroso e Lula. Neste jogo, com dois expulsos, Mário Tilico foi para o gol e garantiu a vitória tricolor.

Em 2009, o Cruz-Maltino disputava a Série B pela primeira vez após rebaixamento em 2008, e por isso, o único outro confronto foi em 2010: um 0 a 0 pelo Campeonato Brasileiro.

Foto de Caio Blois

Caio Blois

Caio Blois nasceu no Rio de Janeiro (RJ) e se formou em Jornalismo na UFRJ em 2017. É pós-graduado em Comunicação e cursa mestrado em Gestão do Desporto na Universidade de Lisboa. Antes de escrever para Trivela, passou por O Globo, UOL, O Estado de S. Paulo, GE, ESPN Brasil e TNT Sports.
Botão Voltar ao topo