Brasil

Com Viña e Ayrton Lucas, Tite terá o melhor dos dois mundos para a lateral esquerda do Flamengo

Viña chega com características diferentes de Ayrton Lucas, e Tite ganha um leque de opções para o setor do Flamengo

O Flamengo tem o seu sucessor para Filipe Luís em Matías Viña, que aguarda a assinatura das minutas do contrato para ser anunciado oficialmente pelo clube carioca. A contratação foi um pedido do técnico Tite e colocou a disputa na lateral-esquerda ainda mais em aberto, já que Ayrton Lucas dominou o setor em 2023. Agora com o uruguaio, o comandante terá o melhor dos dois mundos na posição.

Tite gosta muito de bater na tecla dos mini-jogos, aqueles poucos minutos em que as suas opções podem decidir resultados, ou não, a favor do Flamengo. Com Ayrton Lucas e Viña para o setor, o treinador poderá escolher entre ataque e defesa sem perder o nível, algo que o Rubro-Negro almeja a algum tempo. As expectativas para a lateral-esquerda são altas em 2024.

Ayrton Lucas fez o primeiro gol da Era Tite no Flamengo (Foto: Marcelo Cortes/CRF)

Viña e Ayrton Lucas se complementam

A contratação de Viña deixou o Flamengo muito mais confortável para a lateral-esquerda. O setor não foi o maior dos problemas em 2023, mas a baixa rotatividade de Filipe Luís, muito por conta da idade, deixou Ayrton Lucas sobrecarregado e, apesar de um excelente primeiro semestre, o ano não terminou muito bem. Com a aposentadoria de Filipe, a lacuna estava aberta, e o Rubro-Negro a preencheu com mais um uruguaio.

Ayrton Lucas é um lateral de muita velocidade, que ataca o espaço com muita precisão e, se tiver o corredor aberto, traz muitos problemas às defesas adversárias. Seu melhor momento no Flamengo foi justamente quando teve caminho livre e atuava como ala, sob a batuta de Vítor Pereira. Perdeu esse ímpeto com a chegada de Sampaoli, que fechou seu espaço, mas continuou em bom nível.

Não é como se Ayrton Lucas não tivesse características defensivas também. Ele consegue recompor muito rápido, por conta de sua velocidade e sabe usar bem o corpo. O maior problema é o senso de posicionamento na defesa, que custou caro para o Flamengo em 2023. No gol de Calleri na final da Copa do Brasil, por exemplo, o camisa 6 falhou no quesito.

A parte ofensiva, sem dúvida nenhuma, faz parte das valências de Ayrton Lucas no Flamengo (Foto: Arquivo/SofaScore)

Se Ayrton Lucas gosta de acelerar o jogo, Viña é um lateral de cadência muito maior. Não é como se ele não tivesse a velocidade, muito pelo contrário, é uma das suas principais valências, mas o lateral uruguaio prefere muito mais esperar o momento de utilizá-la e atacar os espaços. Isso tudo passa por um QI de jogo elevado, que vai agregar muito ao Flamengo.

A principal característica é mesmo a construção de jogo. O excelente passe, que já lhe rendeu três assistências em 16 jogos pelo Sassuolo nesta temporada, faz toda a diferença para Viña. É algo que certamente vai ser explorado pelo Flamengo, ainda mais pela qualidade dos seus meias, como Arrascaeta, Gerson, Pulgar e De La Cruz.

O mapa de calor de Viña é menos intenso e mais variações defensivas (Foto: Arquivo/Sofascore)

Os mini-jogos de Tite

Todas essas variações fazem parte de uma ideia bastante implementada por Tite, difundida durante as entrevistas coletivas. Aquilo que o comandante costuma chamar de “mini-jogos” será fundamental para o bom desempenho do Flamengo na lateral esquerda. Caberá ao treinador, a comissão técnica, claro, identificar qual é o melhor momento para utilizar as duas boas opções.

— Às vezes, a gente consegue o equilíbrio da equipe com dois jogadores de lado agressivos e com velocidade. Tem outros que a gente precisa de um articulador do lado. O jogo se apresenta nesses mini-jogos. Esses componentes que nos deu durante a semana e cabe ao atleta entender. Esses jogadores nos proporcionam essa condição — disse Tite, em entrevista coletiva após a vitória sobre o Bragantino, pelo Brasileirão 2023.

Terceira opção vinda da base?

Curiosamente, o Flamengo pode ficar sem suas duas opções no meio do ano, durante a disputa da Copa América. Matías Viña é titular absoluto na lateral esquerda do Uruguai, de Marcelo Bielsa, enquanto Ayrton Lucas chegou a ser convocado para a Seleção Brasileira em 2023 e, diante da promessa de Dorival Júnior de utilizar mais atletas que jogam no Brasil, tem chances de aparecer na lista. E agora?

Mesmo com essa possibilidade, o Flamengo não deve ir ao mercado em busca de uma terceira opção. Como Tite mesmo frisou, depois da vitória diante do Audax, na estreia da temporada, é melhor utilizar as categorias de base do que trazer um nome que não vai agregar. Dessa forma, alguns jogadores já aparecem nas conversas e um, inclusive, foi titular contra o Philadelphia Union.

O zagueiro Carbone, que também apresenta a possibilidade de atuar como lateral, foi titular na esquerda e mostrou bom repertório, incluindo um lançamento primoroso na origem da jogada que abriu o placar para o Flamengo. Zé Welinton, que iniciou a partida diante do Nova Iguaçu, é outro nome interessante para o setor, já que pode cobrar faltas e chega bem ao ataque. Opções não faltam no robusto elenco do Rubro-Negro.

Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

É repórter na cobertura do Flamengo há três anos, com passagens por Lance e Coluna do Fla. Fã de Charlie Brown Jr e enxadrista. Viver pra ser melhor também é um jeito de levar a vida!
Botão Voltar ao topo