Brasil

Flamengo tem plano a curto e longo prazo para superar saída de Fabrício Bruno

Zagueiro recebeu proposta irrecusável do West Ham, da Inglaterra, e se despede do Rubro-Negro em breve

O Flamengo encaminhou a venda de Fabrício Bruno ao West Ham, da Inglaterra, por mais de R$ 80 milhões. A proposta foi considerada irrecusável internamente, e o Rubro-Negro já prepara uma despedida para o zagueiro campeão da Libertadores e da Copa do Brasil. Ainda que vá perder o seu melhor defensor, o clube trabalha com planejamento definido.

A Trivela apurou que o Flamengo já traçou seus objetivos para lidar com a iminente saída de Fabrício Bruno. O departamento de futebol está ciente do tamanho da perda, mas sabe que tem um substituto à altura no elenco. Pensando no longo prazo, a chegada de um defensor para compor o elenco se faz necessária.

O curto prazo

O Flamengo terá pouco tempo para substituir o zagueiro. A janela de transferências abre no dia 14 de junho, e o clube tem três jogos até lá, diante de Millonarios, Vasco da Gama e Grêmio. A tendência, contudo, é de que o defensor só participe da última rodada da fase de grupos da Libertadores, a fim de se despedir da torcida no Maracanã.

Para os outros dois jogos, o entendimento interno é de que o risco de lesão se mostra fator grande demais para ser ignorado. Fabrício Bruno está tão perto de realizar o sonho de jogar na Europa, ainda mais na Premier League, considerada a principal do Velho Continente. Dessa forma, Léo Ortiz deve assumir a vaga como titular já no Clássico dos Milhões, que será disputado no dia 02 de junho, no Maracanã.

Léo Ortiz será o substituto de Fabrício Bruno no time titular do Flamengo (Foto: Divulgação/CRF)

O ex-companheiro de Red Bull Bragantino, comprado pelo Flamengo em 2024, será a solução a curto prazo para a saída de Fabrício Bruno. É destro, ou seja, não atrapalha em nada o andamento da defesa com Léo Pereira, e apresentou bom nível nesta temporada, quando acionado. Tite gosta bastante do General, apelido carinhoso concedido pela torcida, e tem tudo para dar ainda mais confiança ao atleta.

O longo prazo

Pensando na janela de transferências, já não é segredo que o Flamengo precisará ir ao mercado para buscar uma peça de reposição. Com a promoção de Léo Ortiz ao time titular, Tite contará apenas com David Luiz no banco de reservas, algo que pode complicar lá na frente. O perfil traçado é de um atleta que chegue para compor o elenco e tenha bom nível para ser acionado quando necessário, sem a pressão de desembarcar como esperança.

Quando ainda negociava com Léo Ortiz, o Flamengo chegou a realizar sondagens por Domingos Duarte, zagueiro português do Getafe, nome que pode entrar em pauta novamente. É provável, contudo, que o departamento de futebol explore o mercado sul-americano pela peça de reposição, seja ela brasileira ou não. Até lá, o clube terá tempo para mapear nomes que agradam.

Garotos da base podem receber oportunidades?

Outra opção, mas chances mais remotas, é a utilização dos garotos da base que já foram testados nesta temporada. Tite fala bastante de Cleiton, apelidado de Bahia internamente, e Carbone, que viajou com o elenco para realizar a pré-temporada nos Estados Unidos e foi titular na estreia, contra o Philadelphia Union. Ainda que a moral exista, a situação pede outro caminho.

Diante de uma longa temporada, repleta de decisões, o Flamengo quer um zagueiro mais pronto para compor o elenco e ainda não vê isso nas suas promessas. O objetivo final é não minar a confiança dos jovens com responsabilidades grandes demais, como foi o caso do lateral-direito Wesley, e do atacante Lincoln.

O departamento de futebol cultiva excelente relação com Tite desde a chegada do comandante, em outubro, e vai ouvir o que o treinador tem a dizer, para entender as prioridades do elenco. O foco de momento, no entanto, é a partida diante do Millonarios, que deve servir como despedida para Fabrício Bruno e tem tudo para garantir uma vaga nas oitavas da Libertadores ao Flamengo. A bola rola na próxima terça-feira (28), às 21h (de Brasília).

Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

Jornalista formado pela PUC-Rio. Da final da Libertadores a Série A2 do Carioca. Copa do Mundo e Olimpíada na bagagem. Passou por Coluna do Fla e Lance antes de chegar à Trivela, onde apura e escreve sobre o Flamengo desde 2023.
Botão Voltar ao topo