Brasil

Nova polêmica de Braz é acima do tom, mas não estremece bastidores do Flamengo

Entendimento é que denúncia de corrupção não está dentro do prisma do clube, embora alguns reclamem do dano à imagem

O vice-presidente de futebol do Flamengo está envolvido em polêmicas mais uma vez. Marcos Braz foi denunciado por delação premiada sobre um suposto envolvimento em esquema de corrupção, quando ainda era membro da Secretaria de Esportes do Rio de Janeiro. O problema é bem acima do tom para o dirigente, que já esteve nos jornais por outros motivos, mas não deve reverberar dentro do clube.

Braz é uma figura muito forte nos bastidores, fechado com o presidente Rodolfo Landim. Dessa forma, a Trivela apurou — em complemento com o que foi publicado primeiro pelo UOL — que o Flamengo não deve tomar partido no assunto, ainda mais por não se tratar de um problema criado durante a função no clube. Isso não significa, contudo, que tal denúncia foi bem vista.

Os moldes da denúncia

  • Romário e Marcos Braz foram denunciados por meio de um inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF), com indícios de corrupção e lavagem de dinheiro;
  • A investigação se dá graças à delação premiada do empresário Marcus Vinicius Azevedo Silva, acusado de desviar verbas de incentivo ao esporte no Rio;
  • Segundo a delação, Braz pegava dinheiro desviado no Centro Brasileiro de Ações Sociais para Cidadania (Cebrac), uma ONG que recebia dinheiro da Secretaria de Esportes do Rio;
  • Marcos Braz teria supervalorizado os contratos junto à ONG para favorecer Romário.
Marcos Braz, vice-presidente de futebol do Flamengo (Foto: Icon Sport)

Romário se manifesta, Braz não

Procurados pela reportagem, Braz e Romário tiveram reações diferentes com relação à denúncia. Enquanto o baixinho, que é presidente do América, além de senador pelo Rio de Janeiro, publicou uma nota por meio de sua assessoria, o vice de futebol do Flamengo preferiu não se manifestar.

Veja a nota publicada pela assessoria de Romário:

“O senador Romário não responde pelas ações do secretário [Braz] no exercício de suas funções. Ele reafirma sua confiança na Justiça e no inquestionável arquivamento da investigação”, escreveu a assessoria de Romário.

Muda alguma coisa no Flamengo?

Nesse momento, não. O Flamengo costuma tratar esses casos mais delicados com cautela e deve aguardar um posicionamento oficial da Justiça para, aí, sim, analisar a situação do vice-presidente de futebol. O caso nem teve a força de outros anteriores, que movimentaram muito mais os bastidores do Rubro-Negro. E a espera até faz sentido.

As acusações contra o dirigente são graves e podem acarretar prisão de dois a 12 anos. Como os supostos atos ilícitos não foram realizados como funcionário do clube, o Flamengo não se vê pressionado para tomar uma decisão. Por enquanto, Braz segue como vice de futebol.

A torcida e alguns membros dos bastidores, contudo, fizeram coro contra Marcos Braz nas redes sociais. Muitos entendem que a imagem do Flamengo está sendo prejudicada pelas ações do seu vice-presidente de futebol.

Braz já esteve envolvido em outras polêmicas

O vice de futebol do Flamengo tem uma vida agitada, seja dentro do clube ou não. Ele também esteve nas páginas dos jornais, e da Polícia, no ano passado, quando agrediu e mordeu um torcedor em um shopping da Barra da Tijuca. O caso ganhou grande repercussão, mas terminou sem punição para Marcos Braz, que pagou indenização extrajudicial ao entregador Leandro Conceição e foi absolvido pelo clube.

Os problemas mais recentes vieram da relação estremecida com Cacau Cotta. Braz não gostou nem um pouco da candidatura do dirigente à Câmara dos Vereadores, local de trabalho do vice de futebol, por conta de um conflito de interesses com os votos da torcida do Flamengo. Aos poucos, Marcos minou o adversário nos bastidores e, atualmente, Cotta não exerce mais sua função no clube.

Trata-se de uma figura muito poderosa nos bastidores, ainda mais em um ano de eleição no Flamengo. O pleito acontecerá em dezembro, e Marcos Braz deve apoiar o indicado por Rodolfo Landim, que, nesse momento, parece ser Rodrigo Dunshee de Abranches, vice jurídico do clube.

Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

É repórter na cobertura do Flamengo há três anos, com passagens por Lance! e Coluna do Fla. Fã de Charlie Brown Jr e enxadrista. Viver pra ser melhor também é um jeito de levar a vida!
Botão Voltar ao topo