Brasil

Diretor do Flamengo perde força após atrito com Marcos Braz

Cacau Cotta já não vinha viajando com a delegação e, agora, não exerce mais todas as funções de diretor de externas do Flamengo

O ano é de eleição, tanto para vereadores e prefeitos de todos os municípios do Brasil, quanto para o Flamengo. O clima nos bastidores do clube da Gávea já está esquentando e, nesta semana, uma movimentação importante aconteceu. Cacau Cotta, diretor de relações externas, perdeu força nos bastidores e não exerce mais todas as funções do cargo após atrito com Marcos Braz, vice-presidente de futebol.

A informação foi publicada primeiro pelo ge e confirmada pela reportagem da Trivela.

Como foi o distanciamento de Cacau Cotta?

  • Cacau Cotta já não vinha viajando com a delegação do Flamengo na presença de Braz;
  • A dupla se desentendeu por conta da candidatura de Cotta a vereador do Rio, cargo já ocupado por Braz;
  • As reclamações nos bastidores eram constantes, vindas dos dois lados;
  • No fim, Landim manteve o lado do seu vice-presidente de futebol, mais uma vez;
  • Diogo Lemos, membro do departamento de futebol, é o mais cotado para fazer as funções perdidas por Cotta.

Atitudes de Cacau Cotta pesaram para a decisão

A derrocada do diretor de relações externas pode ser exemplificada em dois atos, além do atrito com Braz, claro. Primeiro, Cotta publicou uma imagem nas redes sociais sobre uma reunião na Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que não constava nem nos planos do Flamengo, nem da entidade. Landim repreendeu a atitude nos bastidores, durante a viagem do clube para La Paz.

Depois, como mostrado acima, a troca de mensagens entre Cotta e Braz voltou a incomodar Landim. O diretor de relações externas explicou que reclamações sobre horários não teriam efeito e só seriam frutíferas durante a arbitral que definiu o calendário. O presidente era o único representante do Flamengo no local.

Cacau Cotta continuará no cargo, mas suas funções são cada vez menores. Se antes ele lidava com tudo relacionado às relações externas do Flamengo, atualmente as atribuições se dão apenas no campo operacional, como reuniões com FERJ e BEPE. Diogo Lemos, projetado por Landim, deve assumir os encargos que estão sem um profissional.

Braz cada vez mais forte nos bastidores

Para quem ainda duvidava da força de Marcos Braz nos bastidores do Flamengo, o afastamento de Cacau Cotta serve como um choque de realidade. Rodolfo Landim tem no seu vice-presidente de futebol um grande braço direito e dificilmente fica em lado contrário. Uma das únicas instâncias em que os dois divergem é na renovação de contrato de Gabigol.

Nome forte do departamento de futebol, Braz já teve outros atritos, como é o caso de Gabriel Skinner, ex-supervisor do clube. O dirigente ainda vem de um processo conturbado de agressão a um torcedor, em shopping na Barra da Tijuca. Ele não foi punido internamente e conseguiu acordo de indenização extrajudicial com a defesa da vítima.

O período de eleições está se aproximando no Flamengo, e os bastidores começam a ferver. Landim não pode se reeleger e ainda não apontou um sucessor, mesmo diante da oficialização da candidatura de Luiz Eduardo Baptista, o BAP, presidente do Conselho de Administração.

Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

É repórter na cobertura do Flamengo há três anos, com passagens por Lance! e Coluna do Fla. Fã de Charlie Brown Jr e enxadrista. Viver pra ser melhor também é um jeito de levar a vida!
Botão Voltar ao topo