Brasil

Novas imagens mostram detalhes de agressão de Marcos Braz em torcedor do Flamengo

Vídeos mostram que Marcos Braz correu atrás de torcedor do Flamengo antes de agredi-lo

Novos vídeos de câmeras de segurança de um shopping no Rio de Janeiro mostram detalhes da briga entre Marcos Braz, vice-presidente de futebol do Flamengo e vereador da cidade, e o entregador de aplicativo Leandro Campos, ocorrida em 19 de setembro do ano passado. As imagens, reveladas nesta terça-feira (30) pela GloboNews, contradizem a versão dada pelo dirigente em entrevista coletiva. Na ocasião, o executivo disse que partiu para cima do torcedor porque a filha havia sido xingada, além de ter sido ameaçado de morte.

O relógio das câmeras marcava 17h, quando Braz estava em uma joalheria. Três minutos depois, aparecem dois homens (nenhum deles era Leandro) na porta da loja, supostamente cobrando e gesticulando contra o dirigente pela crise vivida no Flamengo naquele momento. Carlos André Simões da Silva, amigo que estava com VP do clube carioca, conversou com os dois torcedores e eles se afastaram do estabelecimento. Às 17h07, a filha de Braz e amigas aparecem na joalheria, saindo três minutos depois. Leandro Campos chega pouco depois, com as adolescentes já longe da loja, e fala algo para Braz em apenas 10 segundos, tempo suficiente para o dirigente correr atrás do jovem.

– Eu o vi dentro da loja, peguei e falei: ‘Marcos Braz, sai do Flamengo'. Virei as costas e saí andando em diagonal no shopping. Em nenhum momento eu ameacei ele ou a filha dele. Quando percebi que ele estava vindo atrás de mim. [Percebi] porque a lojista gritou – disse Leandro, em entrevista coletiva no ano passado.

Braz se enrosca com o jovem e cai por cima dele, momento que teria mordido a coxa do entregador de aplicativo, próximo à virilha, fato comprovado pelo exame de corpo de delito. Na sequência, Braz levanta e agride Leandro com três chutes e um tapa na cabeça.

– Eu virei, ele estava vindo com o punho cerrado. Virei de frente para ele, dei passos para trás, ele desequilibrou e caiu. Puxou minhas pernas, foi quando eu caí também. Ele caiu sobre a minha virilha, me mordeu, enquanto veio um amigo dele, do meu lado, e começou a efetuar chutes na minha cabeça – completou o jovem na época.

Inicialmente, um delegado da Polícia Civil considerou que Leandro e Braz deveriam responder por lesão corporal, mas, com as imagens, o Ministério Público concluiu que apenas dirigente e o amigo que agrediram. O MP também entende que os vídeos comprovam que a versão do vereador está errada.

– O Ministério Público requer a retificação da autuação do presente processo, devendo constar Marcos Teixeira Braz e Carlos André Simões da Silva como autores do delito de lesão corporal, previsto no art. 129 do Código Penal e vítima Leandro Gonçalves Junior, ressaltando que há representação da vítima em face dos autores – diz o documento do MP, escrito pelo promotor Márcio Almeida Ribeiro da Silva, conforme revelou a ESPN.

O caso está no Juizado Especial Criminal, que marcou a primeira audiência para o fim de novembro do ano passado, mas depois foi adiada para 27 de fevereiro de 2024.

Ainda nesta semana, a defesa de Leandro Campos entrará com novo processo contra Braz solicitando indenização por danos morais, segundo a GloboNews.

A versão de Marcos Braz desmentida pelas imagens

Apenas dois dias depois do episódio, Braz concedeu uma entrevista coletiva para justificar o que aconteceu. Foi um longo relato, no qual parece ter entendido que Leandro o tinha cobrado pela primeira vez, fato desmentido pelas imagens, que mostram que outros dois homens o abordaram antes da chegada do entregador de aplicativo. Também citou que sua filha estaria no local no momento das cobranças – não estava, conforme as câmeras mostraram.

– Minha filha estava ao lado [da loja], eu falei para o cara: ‘Minha filha está aqui, vocês estão me ameaçando'. Mas ele ficou falando, falando, falando… Falei: ‘Rapaz, minha filha está aqui'. Nisso, a loja era muito estreita e eu perdi o raio de visão dela. Aquilo já estava me incomodando, porque eu tenho uma filha de 14 anos vendo o pai sendo xingado e ameaçado de morte, poderia falar alguma coisa [para o torcedor] e isso começou a me tirar do sério. Fui falando com ele, indo na direção dele, e falei sistematicamente várias vezes que minha filha estava ali. Peço desculpas, mas vou ter que falar essa frase, pois foi a última frase dele: ‘F***-se a sua filha'. O final vocês viram – disse Braz, em 21 de setembro de 2023.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de eSports no The Clutch. Além disso, atuou como assessor de imprensa no setor público e privado.
Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

É repórter na cobertura do Flamengo há três anos, com passagens por Lance! e Coluna do Fla. Fã de Charlie Brown Jr e enxadrista. Viver pra ser melhor também é um jeito de levar a vida!
Botão Voltar ao topo