Brasil

Punição pode estar acima do tom, mas maior parcela de culpa é do próprio Gabigol

Gabigol errou, abriu brecha e foi condenado por tentativa de fraude, cuja pena é de dois anos de suspensão

A notícia da condenação de Gabigol mexeu de vez com os bastidores do Flamengo. Ainda que não tenha testado positivo para nenhuma substância ilícita, o atacante foi suspenso por dois anos pela tentativa de fraudar um exame antidoping. É possível pleitear o tempo e o rigor da decisão, mas não os motivos que a causaram, todos criados pelo próprio camisa 10.

O caso ainda é passível de recurso, é verdade, mas a punição escancara algumas realidades para o Flamengo. O fim de contrato, a suspensão, a maneira com que tudo foi acertado é bastante nebulosa e deve tomar o noticiário nos próximos dias. Gabigol, por enquanto, não poderá frequentar nenhuma dependência que pertença ao Rubro-Negro.

Gabigol e defesa vão recorrer

Os advogados do centroavante já se movimentam para oficializar o recurso na Corte Arbitral do Esporte (CAS), restando apenas a oficialização da decisão do Tribunal Antidopagem, aqui no Brasil. O pedido englobará o efeito suspensivo, para que Gabigol possa retornar aos gramados enquanto aguarda o julgamento definitivo na Suíça, que pode absolvê-lo ou aumentar a pena para até quatro anos.

São duas situações diferentes, já que o efeito suspensivo pode sair em menos de um mês, a partir do momento em que o recurso se tornar oficial, enquanto o julgamento definitivo no CAS geralmente demora cerca de seis meses para ser marcado. O Flamengo já demonstrou apoio ao centroavante por meio de uma nota e se coloca à disposição, juridicamente, para ajudar no que for necessário.

“O Clube de Regatas do Flamengo, tomando conhecimento do resultado do julgamento do seu atleta Gabriel Barbosa, no sentido de aplicação de pena de suspensão de 2 anos, até abril de 2025, por 5 votos pela condenação e 4 pela absolvição, vem a público dizer que recebeu com surpresa a referida decisão e que auxiliará o atleta na apresentação de recurso à Corte Arbitral do Esporte (CAS), uma vez que entende que não houve qualquer tipo de fraude, nem mesmo tentativa, a justificar a punição aplicada.”

Internamente, como citado pelo ge, e confirmado pela Trivela, o Flamengo entende que a decisão foi extremamente rigorosa e que Gabigol foi punido apenas pelos atos de indisciplina. O atacante nunca foi pego no doping e, além disso, o julgamento no Brasil foi apertado, algo que corrobora à tese rubro-negra.

O clube ainda prepara mais um trunfo para ajudar na defesa: imagens das câmeras de segurança do Ninho do Urubu. Segundo relatos, citados enfaticamente pelo ex-jogador Caio Ribeiro, durante o programa Boleiragem, da TV Globo, Gabriel chegou antes da equipe responsável pelos exames e foi direto à academia. Dessa forma, não os ignorou, mas recebeu a orientação do departamento médico para aguardar duas horas e regularizar seu organismo.

E o contrato? Como fica?

Por enquanto, a decisão faz com que o vínculo entre Gabigol e Flamengo seja suspenso, ou seja, o clube não precisará pagar os vencimentos do atacante durante o período de punição. A movimentação é baseada na Lei nº 9.615, mais conhecida como “Lei Pelé”, que consta:

“A entidade de prática desportiva poderá suspender o contrato especial de trabalho desportivo do atleta profissional, ficando dispensada do pagamento da remuneração nesse período, quando o atleta for impedido de atuar, por prazo ininterrupto superior a 90 (noventa) dias, em decorrência de ato ou evento de sua exclusiva responsabilidade, desvinculado da atividade profissional, conforme previsto no referido contrato”

Qualquer movimentação relacionada à renovação de Gabigol também não é prioridade. O jogador tem contrato com o Rubro-Negro até o fim deste ano e, apesar dos rumores de possíveis saídas, tanto para Corinthians quanto para Palmeiras, o intuito da diretoria segue sendo a extensão. O assunto será tratado internamente e em outro momento, segundo ouviu a reportagem.

Zico oferece apoio ao ídolo

O assunto dividiu opiniões nas redes sociais, mas quem acabou defendendo Gabigol com veemência foi Zico, maior ídolo da história do Flamengo. O Galinho, inclusive, ofereceu o Centro de Futebol Zico para que o centroavante mantenha a rotina de treinos enquanto espera uma decisão da CAS.

— Acho que ele é um cara que deu muito e pode continuar dando ao Flamengo. O CFZ (Centro de Futebol Zico) se coloca à disposição para ele treinar — disse Zico, em entrevista à ESPN.

Apesar da gentileza de Zico, Gabigol já tem uma estrutura dentro de casa para prosseguir as atividades. Pela decisão do tribunal antidopagem, o centroavante não pode participar e nem se fazer presente em qualquer dependência que pertença ao Flamengo.

Comportamento precisa mudar

A decisão contra Gabigol é rigorosa, não tenha dúvida disso. Pela sua personalidade, o jogador já sofreu perseguições de rivais e até mesmo da arbitragem, mas acho que nem o próprio imaginaria que os problemas chegariam a tamanhos tão expressivos. Mesmo que consiga mudar a sentença na CAS, contudo, o atacante precisa tirar lições do ocorrido.

Gabriel Barbosa é ídolo máximo da segunda geração mais vitoriosa da história do clube mais popular do Brasil. O jeito irreverente sempre será bem-vindo para a torcida, dentro das quatro linhas, mas quando esse comportamento ganha tons mais radicais, como a irritação no dia 08 de abril de 2023, precedentes são abertos. Precedentes que podem prejudicar sua própria carreira.

Está na hora de Gabigol tomar decisões mais inteligentes (Foto: Thiago Ribeiro/AGIF/Sipa USA)

A essência pode ser lapidada, não necessariamente perdida. É possível que um Gabigol provoque dentro de campo e siga instruções básicas fora dele. É pelo bem do próprio, e da torcida do Flamengo, que tanto o idolatra e talvez não possa mais vê-lo com a camisa do clube.

Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

É repórter na cobertura do Flamengo há três anos, com passagens por Lance! e Coluna do Fla. Fã de Charlie Brown Jr e enxadrista. Viver pra ser melhor também é um jeito de levar a vida!
Botão Voltar ao topo