Brasil

Bruno Henrique iguala pior início pelo Flamengo e tenta volta por cima para justificar renovação

Ídolo do Flamengo, Bruno Henrique marcou apenas um gol em 2024 e quer mais oportunidades para dar a volta por cima

Bruno Henrique é um dos principais ídolos dessa geração multi-campeã pelo Flamengo, mas, até o momento, não conseguiu engrenar em 2024. O camisa 27 marcou apenas um gol em oito jogos oficiais, marca que iguala seu pior início de temporada pelo Rubro-Negro. É hora de dar a volta por cima, especialmente por conta do voto de confiança da diretoria ao renovar o contrato por mais três anos.

O Rei dos Clássicos não é a primeira opção de Tite para a esquerda, já que Cebolinha começou o ano como terminou o último — voando —, mas ele tem entrado em praticamente todas as partidas. É hora de transformar os minutos em frutos para o Flamengo.

Marca incômoda para começar o ano

O início de temporada de Bruno Henrique não é péssimo, mas está longe daquilo que a torcida esperava. Reserva justo, muito pela ascensão de Everton Cebolinha, o camisa 27 recebeu duas chances como titular e muitos minutos vindos do banco, mas transformou pouco em participações efetivas. O atacante marcou somente um gol em 2024, diante do Sampaio Corrêa, pelo Campeonato Carioca.

Foram dez jogos, sendo oito oficiais, válidos pelo Estadual e pela FC Series, torneio de pré-temporada nos Estados Unidos. O gol solitário em 2024 está bem distante dos primeiros anos de Bruno Henrique pelo Flamengo, quando ele conseguiu iniciar a temporada de maneira avassaladora. A marca negativa se iguala a 2022 e 2023, que terminou e começou, respectivamente, com um recuperação da grave lesão no joelho.

Veja os números de Bruno Henrique nos oito primeiros jogos de cada temporada com o Flamengo:

Ano Participações em gols Gols Assistências

2019

8

4

4

2020

7

5

2

2021

4

1

3

2022

1

1

0

2023

1

1

0

2024

1

1

0

A queda dos números, inclusive, pode indicar justamente uma questão de idade. Bruno Henrique vai completar 34 anos em 2024 e já não vive o mesmo momento físico. A lesão no joelho, citada anteriormente, também faz com que o condicionamento venha com maior dificuldade. É uma queda natural, mas que assusta, por tudo aquilo que o atacante apresentou com a camisa do Flamengo.

Voto de confiança da diretoria e de Tite

O departamento de futebol do Flamengo assumiu um grande risco ao renovar com Bruno Henrique. Ciente do retorno da lesão, fora a idade avançada, o clube atendeu todos os pedidos do estafe do atacante, incluindo os três anos de contrato. Dessa forma, quando o vínculo terminar, o camisa 27 estará com 36 anos e, para um atleta que confia na explosão em velocidade, isso pode ser um problema. Foi um grande voto de confiança. 

Tite também parece estar otimista com Bruno Henrique. Mesmo com a pouca quantidade de participações diretas em gol, o atacante tem sido uma peça importante para o esquema, tanto na marcação, quanto na amplitude do time. O comandante vê o Rei dos Clássicos, com quem também trabalhou na Seleção Brasileira, como uma peça importante, que pode fazer a diferença para o Flamengo a qualquer momento.

Tite e Bruno Henrique se cumprimentam no Ninho do Urubu, CT do Flamengo (Foto: Marcelo Cortes/CRF)

— Uma grande atuação na iniciação, no processo de construção média e alta. Eu digo (no intervalo) para transformar em gol, ter mais calma, precisão. Mas é início, o atleta vai tomando melhor ritmo. Os externos estão voando. Bruno Henrique, Luiz Araújo e Cebolinha são sacanagem. Vai criando. O time jogando assim tem que fazer mais gols. Mas verticalizou o tempo todo, buscou o gol, pressionou de forma leal, competiu forte — disse, depois da vitória sobre o Boavista, pelo Carioca.

Felicidade do ídolo é combustível para a torcida

Acima de qualquer coisa, a permanência de Bruno Henrique foi um prêmio por tudo aquilo que foi construído ao longo de cinco temporadas. O atacante foi campeão de praticamente tudo no Flamengo e, na maioria das vezes, como protagonista do time. Em entrevista coletiva concedida após a renovação, BH27 revelou que a escolha de ficar não foi difícil, mesmo com ofertas vantajosas, como do Palmeiras.

— Recebi sim (ofertas), fiz meu melhor para sempre ajudar o Flamengo. O mais importante foi a decisão da minha família, muito adaptada ao Rio, meus filhos flamenguistas, em qualquer canto do mundo com o Flamengo. A decisão foi fácil. Tinha total certeza que no momento certo. sabíamos que tinham outras prioridades, mas sempre deixaram claro pra mim e foi no momento certo que a renovação saiu — confessou.

Por isso a volta por cima do atacante é tão esperada, tanto internamente quanto por parte da torcida. O carinho mútuo entre a Nação e o Rei dos Clássicos é nítido e, quando ele vai bem, os rubro-negros não conseguem tirar um sorriso do rosto. Em um ano de tantas expectativas, uma delas é rever Bruno Henrique no lugar de onde ele nunca deveria ter saído: como protagonista do Flamengo.

Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

É repórter na cobertura do Flamengo há três anos, com passagens por Lance! e Coluna do Fla. Fã de Charlie Brown Jr e enxadrista. Viver pra ser melhor também é um jeito de levar a vida!
Botão Voltar ao topo