Brasil

Magia: qual é o limite para Estêvão, e o que há por trás da escolha pelo Chelsea?

Atacante do Palmeiras conquista e se firma no mundo do futebol com velocidade e consistência surpreendentes

O golaço que empatou o jogo para o Palmeiras, contra o Grêmio, na noite de quinta-feira (4), foi só mais um ato na pequena, mas já marcante obra-prima que Estêvão chama de carreira profissional.

Abel Ferreira, que já havia afirmado, em um comportamento de exaltação fora de seu protocolo, jamais ter visto um atleta como Estêvão, não se conteve diante da partida dele contra o Tricolor, na quinta-feira (4).

— Já disse isso. Desfrutem do Estêvão enquanto está conosco. Ele tem a magia dentro dele. Espero que continue com esse espírito, de atacar e defender, de nos ajudar a ganhar jogos. Por isso pagaram o que pagaram nele — disse Abel, na entrevista coletiva, em Caxias do Sul.

Endrick? Neymar?

A comparação com Endrick, por mais inevitável que seja, já está ficando para trás. Nas redes sociais, por exemplo, já é comum ler que o atacante do Verdão é superior como jogador ao ex-colega de clube, jogador da seleção e futuro atacante do Real Madrid.

Poderia até ser mais um exemplo do oba-oba típico da internet. Mas, em coro com Abel Ferreira, João Paulo Sampaio, o diretor das categorias de base do Verdão, responsável por formar os dois atletas, não fica em cima do muro.

— Estêvão é o jogador mais talentoso que já vi — cravou ele, em entrevista à Rádio Bandeirantes na semana passada.

Na mesma entrevista, João Paulo também não fugiu de uma comparação com Neymar:

— Dá para afirmar (que ele vai ser superior a Neymar).

Gênio

Poucas vezes, em tão pouco tempo, um jogador se mostrou uma unanimidade tão facilmente reconhecível no futebol brasileiro. Houve lampejos, atletas que brilharam muito por algum tempo, como Alexandre Pato e Phelipe Coutinho.

Mas Estêvão vai rapidamente se colocando em um patamar mais elevado e tão obviamente consistente como só mesmo Neymar conseguiu. A comparação com o ex-astro do Barcelona, aliás, é corriqueira.

— Nós projetamos a base do Brasil até a Copa de 2030. Para mim, eu vi tantos. O Estêvão, para mim, com todo respeito a todos os outros, depois do Neymar, é o maior jogador que eu vi nascer no Brasil — afirmou o tetracampeão Branco, coordenador das categorias de base da CBF, ao canal Wamo.

— Respeito todos, são espetaculares, mas esse menino, o sarrafo dele é um pouco mais alto — completou o ex-jogador.

Se a projeção de Branco quanto ao futuro de Estêvão já é ousada, o ex-jogador Amoroso foi além. Na ESPN, o ex-jogador foi o primeiro analista da grande imprensa a trazer a comparação para o presente.

Já teria que ter levado para a Copa América, poderia suprir a ausência do Neymar, já que falam que é o jogador mais perto dele nos últimos anos. Muitos jogadores hoje não chutam. E o moleque não tem medo, vai para dentro e chuta da direita, da esquerda — disse.

Até mesmo Neymar já se rendeu ao jogador formado no Palmeiras:

— Acho que é um grande talento que vem surgindo hoje no futebol brasileiro. Acho que ele vai ser um gênio — afirmou Neymar, em evento nos Estados Unidos, no mês passado.

O Chelsea

Outro a comparar Estêvão com Neymar sem medo e com lastro é André Cury, agente de Estêvão. Em entrevista ao UOL, o megaempresário, que participou da venda de Neymar ao Barcelona, em 2013, foi mais a um a falar sobre o tema:

— Ele tem qualidade, talento, rapidez, mudança de direção, inteligência. Inclusive, se você puxar o Neymar para a idade dele, ele está acima do que era o Neymar. Com 17 anos, o Estêvão joga mais bola do que o Neymar jogava com 17 — disse.

Cury também explicou por que o jogador do Palmeiras optou pelo Chelsea, um clube que hoje já não tem o mesmo hype dos anos 2010 e que é colocado em patamares mais baixos que os de gigantes como Real Madrid, Barcelona e os dois clubes de Manchester.

— Todo o projeto foi trabalhado com o pai do jogador, que é um ex-atleta da Francana, um ex-goleiro. Ele conhece muito de futebol e a gente conversou com o jogador. O projeto do Chelsea é de ter um time novo, jovem, com organização e investimento. Eles também conseguem ver o Estêvão jogando de 10. Aqui ele joga de extremo, mas lá eles conseguem enxergar o Estêvão nessa função. É uma coisa importante — disse o agente.

Sobre o valor da venda, Cury voltou a afirmar tratar-se da maior negociação feita por um clube de fora do futebol europeu. E explicou que as metas para o Palmeiras receber os 16,5 milhões de euros em valores variáveis são bem simples:

— A venda tem 45 milhões fixos mais 16,5 milhões em metas. As metas são simples: se ele atingir 70 jogos nos (cinco) anos de contrato, o Palmeiras recebe todas as metas — garantiu.

— Não. Não depende de gol, nem de convocação. É muito mais clean e acessível. Vai atingir com certeza. Isso daí ele deve fazer em uma temporada e meia.

Foto de Diego Iwata Lima

Diego Iwata Lima

Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, Diego cursou também psicologia, além de extensões em cinema, economia e marketing. Iniciou sua carreira na Gazeta Mercantil, em 2000, depois passou a comandar parte do departamento de comunicação da Warner Bros, no Brasil, em 2003. Passou por Diário de S. Paulo, Folha de S. Paulo, ESPN, UOL e agências de comunicação. Cobriu as Copas de 2010, 2014 e 2018, além do Super Bowl 50. Está na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo