Brasil

Valores, capacidade e parceiros: o que falta para estádio do Flamengo sair do papel?

Conversas entre Flamengo e Caixa avançam em tom de proposta oficial, e clube começa a analisar projeto de construção do estádio próprio

O projeto de construção do estádio do Flamengo está avançando gradativamente. Rodolfo Landim já separou uma pasta e designou profissionais para tratarem do caso em específico e, nas últimas semanas, os resultados desse trabalho chegaram. O Rubro-Negro tem um planejamento de capacidade e valorização da área ao redor do terreno, mas ainda é preciso convencer a Caixa.

O Flamengo, na figura do seu presidente, já se encontrou com nomes fortes do banco estatal para formalizar uma proposta. Os valores não bateram, ainda que se aproximem a cada vez que os mandatários se encontram. O planejamento está na mesa.

Como o Flamengo pretende convencer a Caixa?

O terreno, localizado no antigo Gasômetro, pertence ao Fundo Imobiliário do Porto Maravilha, que está sob o poder da Caixa Econômica Federal. Nas primeiras reuniões, o Flamengo afirmou que gostaria de pagar o mesmo que a Prefeitura do Rio, quando desapropriou 40% do local para a construção do Terminal Gentileza, mas o banco pediu 40% a mais, segundo informou o UOL, e a Trivela confirmou.

A Caixa se apega em uma valorização recente do terreno, que custou 3,5 bilhões em 2011. A desvalorização do local, muito por conta da demolição do Gasômetro e da ausência de compradores, chegou a colocar o preço em R$ 730 milhões ao fim de 2023. Os valores, no entanto, subiram novamente, dessa vez na casa dos R$ 5 bilhões, algo muito fora de cogitação por parte do Flamengo. As negociações continuam.

O terreno do Gasômetro de uma imagem aérea (Foto: Reprodução)

O grande trunfo de Landim e companhia é a provável valorização dos arredores do terreno com a construção do estádio. Como a Caixa tem os outros locais na área, poderia receber novas cifras com a compra. Para exemplificar, o Flamengo apresentou cases de sucesso, como Wembley, em Londres.

Estádio não terá mais de 100 mil lugares

O planejamento do Flamengo não envolve apenas as conversas com a Caixa. O Rubro-Negro pensa lá na frente e já se prepara visando a construção. Pela análise dos envolvidos, no entanto, haverá uma queda de expectativa por parte da torcida: o estádio não terá capacidade de 100 mil torcedores. Nesse momento, o clube trabalha com números próximos aos do Maracanã, ou seja, entre 75 e 80 mil pessoas.

Isso não descarta, contudo, uma possível ampliação caso o percentual de lotação esteja sempre nas alturas. Nesse caso, as grandes inspirações para o Flamengo são o Monumental de Nuñez, que pertence ao River Plate, e o Signal Iduna Park, do Borussia Dortmund.

Flamengo ainda busca parceiros para viabilizar construção

Algo que também está sendo estudado, mas em fase distante, são possíveis parceiros para viabilizar a construção do estádio. Por mais que seja o clube mais rico do país, o Flamengo não conseguiria bancar tudo sozinho e, por isso, se espelha no modelo utilizado pelo Bayern de Munique. Dessa forma, o Rubro-Negro angariaria valores de empresas, em troca de ações do clube.

Foto: (IconSport) - O Flamengo enviou uma proposta à Caixa para levantar seu estádio na região do Gasômetro
Landim tem grandes planos para a construção do estádio do Flamengo (Foto: IconSport)

Sim, não é segredo para ninguém que o Flamengo deseja se tornar uma Sociedade Anônima do Futebol (SAF), mas a maneira será diferente de outros clubes. Vasco, Cruzeiro e Botafogo, por exemplo, venderam mais de 50% do clube para investidores, a fim de ter maior segurança financeira e zelar pelo fim das dívidas, mas, assim, também ficaram à mercê destes empresários.

O Flamengo almeja algo na casa dos 30%, sendo uma parcela igualitária para cada parceiro, mantendo 70% do clube para controle próprio. No caso do Bayern, os escolhidos foram Audi, Allianz e Adidas. Ainda falta bastante tempo para que o projeto seja viabilizado, mas o Rubro-Negro espera ter que desembolsar um aporte superior a R$ 2 bilhões, com as obras podendo durar até 2026. 

Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

É repórter na cobertura do Flamengo há três anos, com passagens por Lance! e Coluna do Fla. Fã de Charlie Brown Jr e enxadrista. Viver pra ser melhor também é um jeito de levar a vida!
Botão Voltar ao topo