Brasil

Entenda a tática do Flamengo para estreitar relações com Boca e River

O Flamengo, na figura do seu vice-presidente de embaixadas e consulados, esteve em Buenos Aires para rodada de conversas com Boca Juniors e River Plate com foco, principalmente, em ampliação das relações e melhora da marca

O objetivo de internacionalizar a marca continua a todo o vapor no Flamengo. A viagem da vez foi até Buenos Aires, onde o Rubro-Negro, na figura de Maurício Gomes Mattos, vice-presidente de embaixadas e consulados, encontrou com representantes de Boca Juniors e River Plate. A ideia foi estreitar laços entre as diretorias e conversar sobre diversos fatores, como o programa de sócios.

O Flamengo nunca escondeu esse desejo de ver o clube nos mais diversos cantos do mundo e trabalha de maneira incessante para atingir esse objetivo. Os encontros com Boca e River foram considerados muito importantes internamente, segundo apurou a Trivela, por se tratarem de duas equipes cujas marcas também estão presentes ao redor do planeta.

Conversas com o Boca Juniors

A delegação do Flamengo desembarcou na última segunda-feira (04) em Buenos Aires. Maurício Gomes de Mattos foi diretamente para reunião com Ricardo Rosica, Secretário Geral do Boca Juniors. A gestão esportiva esteve em pauta, e assuntos como estratégia de marketing e o programa de sócios também foram abordados. A troca de experiências ajuda os dois clubes.

Maurício Gomes Mattos, vice-presidente de consulados do Flamengo, se encontrou com dirigentes do Boca Juniors no início de março (Foto: Divulgação)

Depois disso, Gomes de Mattos também se encontrou com Miguel Ángel Nicolás Dinopulos, presidente do departamento interior e exterior do Boca. O dirigente xeneize exerce função bastante semelhante com a de Maurício no Flamengo, ou seja, as conversas foram mais pelo lado das embaixadas. O estreitamento dos laços deixa ambos mais tranquilos, tanto em solo argentino quando no brasileiro. 

Departamento de memória do River Plate

A agenda de Maurício Gomes de Mattos também contemplou o arquirrival do Boca Juniors, o River Plate. O vice-presidente de embaixadas e consulados se reuniu com Juan Carlos e Rodrigo Daskal, responsáveis pelo Departamento Histórico e Museu do River, a fim de entender melhor como funciona a parte de memória do Millonario. Como reinaugurou seu museu recentemente, o Flamengo também pôde conceder dicas importantes aos dirigentes do clube argentino.

O intercâmbio saudável entre Flamengo e River Plate é curioso, mas não começou em 2024. As equipes tinham se enfrentado na final da Libertadores em 2019, mas só estreitaram laços no ano passado, quando membros do departamento de futebol se reuniram com dirigentes do clube argentino no CT de Ezeiza, que pertence ao Millonario.

O departamento de memória do River Plate recebeu muito bem o Flamengo em Buenos Aires (Foto: Divulgação)

Flamengo tem boa relação com argentinos

O Rubro-Negro tem levado ampla vantagem sobre os argentinos em campo. Em Copa Libertadores, por exemplo, a equipe carioca jamais perdeu diante dos seus domínios e não perde uma partida oficial desde 2017, quando foi derrotado pelo San Lorenzo. Recentemente, o Flamengo eliminou dois clubes hermanos no mata-mata, além de ter vencido a decisão de 2019, contra o River Plate.

Se em campo vale tudo, a relação entre Flamengo e equipes argentinas fora das quatro linhas é excelente. O Boca Juniors costuma abrir a portas para o Rubro-Negro treinar no CT da Bombonerita, quando está em Buenos Aires. Racing, Vélez Sarsfield e Talleres, rivais costumeiros dos últimos anos, também estreitaram laços com o clube carioca.

Para quem é considerado um gigante sul-americano, presente em três das últimas cinco finais de Libertadores, o Flamengo está seguindo bem a cartilha fora de campo. Estreitar relações com outros grandes clubes do continente só aumenta a grandeza e, de quebra, diversifica as opções para o Rubro-Negro em solo argentino.

Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

É repórter na cobertura do Flamengo há três anos, com passagens por Lance! e Coluna do Fla. Fã de Charlie Brown Jr e enxadrista. Viver pra ser melhor também é um jeito de levar a vida!
Botão Voltar ao topo