Brasil

Dorival prepara Seleção com alma de Premier League para estreia

Cinco dos sete meio-campistas à disposição de Dorival atuam no futebol inglês; setor deve ter Douglas Luiz, Bruno Guimarães e Lucas Paquetá

Já eram os primeiros minutos da madrugada da última segunda-feira (18), quando Dorival Júnior chegou ao hotel da Seleção nos arredores de Londres, na Inglaterra. E lá já estavam três dos sete jogadores convocados pelo treinador para os amistosos contra Inglaterra e Espanha que atuam na Premier League. Douglas Luiz (Aston Villa), Andreas Pereira (Fulham) e Lucas Paquetá (West Ham) anteciparam a apresentação à seleção brasileira e desembarcaram no hotel ainda na noite de domingo (17).

Não é coincidência que os três, além de defender clubes ingleses, são meio-campistas. A probabilidade de isso acontecer, aliás, era alta. Dos sete jogadores de meio-campo convocados por Dorival, cinco atuam no futebol inglês. O setor terá a alma da Premier League para a estreia do treinador no comando da Seleção. Logo contra os primeiros dois rivais que o Brasil enfrenta desde a eliminação para a Croácia na Copa do Mundo de 2026.

Os outros dois meio-campistas da primeira divisão inglesa desembarcaram já na segunda-feira pela manhã. Bruno Guimarães (Newcastle) e João Gomes (Wolverhampton) completam a lista que – acredite – até já foi maior. O capitão Casemiro, do Manchester United, foi cortado após uma lesão muscular. André (Fluminense) e Pablo Maia (São Paulo) são os outros dois jogadores do setor convocados por Dorival Júnior.

Os meio-campistas convocados por Dorival

Com uma dúvida, meio-campo terá ‘alma' de Premier League

Não é exagero dizer que o primeiro Brasil de Dorival terá um pouco da alma, ou do ritmo da Premier League. Isso, porque o meio-campo, tido por muitos como o principal setor de uma equipe, deve ser todo formado por jogadores da elite do futebol inglês. Bruno Guimarães deve ser um dos volantes, enquanto Paquetá será o meia (e provável camisa 10). Resta saber quem será o terceiro nome desta faixa do campo.

Sem Casemiro, a tendência é de que Douglas Luiz forme dupla com Guimarães como volantes. Além de já somar minutos em campo pela Seleção, o meio-campista vive uma temporada que o respalda para isso pelo Aston Villa. Ele marcou impressionantes dez gols e deu dez assistências em 42 jogos em 2022/23. Isso, que o brasileiro atuou bastante como “camisa 5” sob o comando de Unai Emery. Uma prova de que ele consegue correr de área a área com a intensidade esperada na principal liga do mundo.

André foi titular na ausência de Casemiro com Fernando Diniz, mas a tendência é de que isso não se repita com Dorival. João Gomes também deve ganhar minutos apenas no decorrer das partidas. O treinador gosta da dinâmica de uma dupla de volantes mais “intensa”, como fez no São Paulo com Alisson e Pablo Maia.

Com este meio-campo de Premier League, a expectativa da comissão técnica é de que o Brasil tenha jogadores que percorram o campo todo e participem de todas as fases da partida. E que ainda se complementam em suas características. Enquanto Douglas faz o “área a área”, Bruno Guimarães é um jogo que pode guardar mais posição e distribuir o jogo com a precisão em passes de média e longa distância.

A dupla encontra em Paquetá um meia diferente do camisa 10 clássico. Além da qualidade para encontrar passes que furem as linhas adversárias, ele também tem controle de bola para colocar velocidade ou cadenciar o jogo. Dorival prepara uma equipe que faça a bola chegar rápido aos dois extremas, Vini Jr e Rodrygo, e ao provável centroavante, Richarlison – outro jogador que atua no futebol inglês.

Dorival quer Seleção com intensidade de Premier League

Dorival não só quer que a Seleção tenha a intensidade de jogo da Premier League, como trabalha para isso. O técnico comanda seus primeiros trabalhos pela seleção brasileira sob privacidade quase total no CT do Arsenal. A imprensa tem acesso apenas aos 15 minutos iniciais das atividades, destinados aos exercícios de aquecimento. E mesmo com o acesso tão restrito, é possível pescar alguns sinais do que é isso que o treinador pretende para a Seleção.

Apegado aos mínimos detalhes, o técnico cobra os jogadores para dar “passes de jogo” até mesmo nos trabalhos que antecedem o treino, em si. As orientações são também para pressionar bastante os portadores da bola. Um primeiro sinal de que Dorival quer o Brasil jogando na intensidade da Premier League. Não é à toa, portanto, que o meio-campo deve ser formado por Douglas Luiz, Bruno Guimarães e Lucas Paquetá — um trio que atua na Inglaterra.

— Eu acho que o ritmo de jogo aqui é muito intenso, como vocês sabem e acompanham. A liga da Inglaterra pode ser uma das mais fortes, se não for a mais, por conta da intensidade. Não só os ingleses, são os jogadores estrangeiros que também trazem essa qualidade, tem muitos brasileiros jogando na Premier. Uma coisa que podemos adquirir na nossa forma de jogar é a intensidade da Premier — disse o meio-campista Andreas Pereira em entrevista coletiva.

Como fica a primeira lista de convocados de Dorival Júnior:

Goleiros

  • Bento (Athletico-PR)
  • Léo Jardim (Vasco)
  • Rafael (São Paulo)

Laterais

  • Ayrton Lucas (Flamengo)
  • Danilo (Juventus)
  • Yan Couto (Girona)
  • Wendell (Porto)

Zagueiros

  • Beraldo (PSG)
  • Fabrício Bruno (Flamengo)
  • Gabriel Magalhães (Arsenal)
  • Murilo (Palmeiras)

Meio-campistas

  • André (Fluminense)
  • Andreas Pereira (Fulham)
  • Bruno Guimarães (Newcastle)
  • Douglas Luiz (Aston Villa)
  • João Gomes (Wolverhampton)
  • Paquetá (West Ham)
  • Pablo Maia (São Paulo)

Atacantes

  • Endrick (Palmeiras)
  • Galeno (Porto)
  • Pepê (Porto)
  • Raphinha (Barcelona)
  • Richarlison (Tottenham)
  • Rodrygo (Real Madrid)
  • Savinho (Girona)
  • Vinicius Junior (Real Madrid)
Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Eduardo Deconto nasceu em Porto Alegre (RS) e se formou em Jornalismo na PUCRS. Antes de escrever para a Trivela, passou por ge.globo e RBS TV.
Botão Voltar ao topo