Brasil

Ídolo do Cruzeiro, Dirceu Lopes é homenageado e opina sobre a chegada de Cássio

Dirceu Lopes, um dos maiores ídolos da história celeste, esteve presente em treino aberto na Toca 2

O Cruzeiro realizou um treino aberto à imprensa e alguns sócios-torcedores na manhã desta sexta-feira (24), na Toca da Raposa 2. E as atividades contaram com uma presença ilustre: “o príncipe” Dirceu Lopes, considerado, ao lado de Tostão, o maior e melhor jogador da história do clube. Multicampeão na Raposa e hoje com 77 anos, o ex-camisa 10 esbanjou simpatia, posou para fotos, conversou com jornalistas e jogadores e foi homenageado.

— Voltar aqui é sempre uma emoção muito grande, relembra os bons tempos que tive aqui, a felicidade que eu tive por 15 anos de vestir de camisa, é muito de muita alegria. É traze bons fluídos, que o nosso time volte a ser grande dentro de campo, como sempre foi, porque fora é um espetáculo — afirmou Dirceu.

Perguntado sobre a expectativa para a gestão de Pedro Lourenço, o Pedrinho BH, no comando da SAF do Cruzeiro, Dirceu Lopes se mostrou muito esperançoso.

— Eu sou até suspeito para falar a minha expectativa. Tenho a certeza, porque convivi com o Pedro uma certa época, o conheci como pessoa, e não tenho dúvida nenhuma que o Cruzeiro vai voltar, dentro de campo, aos nossos melhores dias — afirmou.

Dirceu Lopes elogiou a iniciativa do Cruzeiro de abrir a Toca da Raposa 2 para torcedores e jornalistas e se mostrou confiante para um retorno do clube aos seus melhores dias.

— Sensacional! Adorei a ideia. O caminho é por aí. Tenho certeza que o Cruzeiro, dentro de campo, com essas estrutura fabulosa que tem, é certeza que vamos voltar aos nossos melhores dias. Infelizmente, por percalços da vida, o Cruzeiro saiu do top de linha, mas é um dos maiores clubes do mundo — opinou.

Dirceu Lopes elogia contratação de Cássio

O ex-camisa 10 do Cruzeiro também comentou sobre jogadores do atual elenco e se mostrou empolgado para conversar com Matheus Pereira, o atual 10 da Raposa, que “herdou” sua camisa. Além disso, elogiou a chegada do goleiro Cássio, contratação que movimentou os bastidores celestes.

— Gostaria (de falar com o Matheus Pereira). Vocês que armaram isso aí, mas eu gostaria de estar com ele, até porque ele teve problemas, e é um jogador que está aqui no Cruzeiro e está tendo a oportunidade de mostrar o seu futebol — disse o Príncipe do Futebol.

— Gostei muito da contratação do Cássio. É um goleiraço, não tenho dúvidas. Tenho certeza que é um novo caminho que ele veio reabrir no Cruzeiro — afirmou.

Dirceu Lopes recebe homenagens do Cruzeiro

O legado de nomes como o de Dirceu Lopes para o Cruzeiro jamais irá se apagar e isso se nota no carinho das novas gerações, que nasceram muito depois de sua aposentadoria dos gramados. E esse carinho pelo ícone rendeu homenagens da diretoria e jogadores da Raposa, após o final do treino desta sexta. O ex-camisa 10 foi cumprimentado efusivamente por Paulo Pelaipe, diretor de futebol do clube, que afirmou que o Príncipe foi “um dos maiores jogadores que ele viu jogar”.

— Um dos maiores do futebol brasileiro. Foi um crime que aconteceu você não ter ido para aquela Copa de 1970. Se você quiser vir aqui todos os dias, estamos à disposição. Vocês fizeram a história do Cruzeiro. Aqui no Brasil era Pelé, Garrincha e Dirceu Lopes, então para nós é um motivo de muito orgulho o Cruzeiro receber um ídolo aqui — exaltou Pelaipe.

Dirceu Lopes também foi afagado pelo diretor técnico, Edu Dracena. Pedro Lourenço não pôde comparecer ao treinamento, mas mandou seus cumprimentos ao craque e colocou o clube à disposição do lendário camisa 10. Posteriormente, Pedrinho fez uma chamada de vídeo com Dirceu.

O ex-jogador foi aplaudido por todo o elenco e presenteado com uma camisa retrô do Cruzeiro, edição especial, claro, de número 10 e ao receber o presente afirmou que hoje “essa camisa está muito bem representada”.

Foto de Maic Costa

Maic Costa

Maic Costa é mineiro, formado em Jornalismo na UFOP, em 2019. Passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas, antes de se tornar setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo