Copa do Brasil

Zebra com orgulho, a Portuguesa-RJ elimina o Sampaio Corrêa e aumenta a lista de surpresas da Copa do Brasil

A Portuguesa da Ilha construiu o resultado no segundo tempo e tirou o segundo time da Série B na competição nacional

A Copa do Brasil repleta de surpresas registrou mais um grande feito de um estreante na competição. A Portuguesa da Ilha já tinha despachado na primeira fase o CRB, sensação da edição passada. Já nesta terça-feira, a ótima campanha dos cariocas se ampliou diante de outro time de Série B, agora o Sampaio Corrêa. Dentro do Estádio Luso Brasileiro, os rubro-verdes emplacaram a vitória por 2 a 0 sobre os maranhenses e alcançaram a terceira fase do torneio nacional. Além do feito esportivo, a passagem rende um gordo prêmio de R$1,9 milhão aos cofres do clube.

Com o apoio do bom público presente nas arquibancadas, a Portuguesa ensaiou a surpresa já no primeiro tempo. Teve as principais chances, mesmo sem tanto sucesso na hora de converter. O segundo tempo ficou mais aberto, com boas chegadas de ambos os lados. O ritmo seria quebrado pela paralisação da partida, diante de um problema na iluminação. Já na retomada, num momento em que os maranhenses incomodavam mais, os cariocas foram mais precisos e abriram o placar. Aos 34, depois de um escanteio, o rodado Leandro Amaro apareceu livre para resolver num chute no canto. A Bolívia Querida pressionou pelo empate e desperdiçou alguns lances, até que Patrick concluísse um grande contra-ataque dos rubro-verdes e desse números finais nos acréscimos. Festa imensa dos novatos, que aguardarão o sorteio para conhecer o próximo oponente.

O Vila Nova também alcançou um feito considerável ao tirar o Guarani dentro do Brinco de Ouro. Num jogo cheio de emoção, o Tigre virou e depois cedeu o empate por 2 a 2 no fim, mas venceu por 5 a 4 nos pênaltis. O Bugre marcou o primeiro com Giovanni Augusto acertando uma pancada, até que Renato Silveira empatasse aos goianos na sequência do primeiro tempo, de cabeça. A virada na segunda etapa seria graças a um pênalti convertido por Arthur Rezende, mas os campineiros sobreviveram de novo com Giovanni Augusto, num chute de longe aos 44. A disputa de pênaltis iria até as alternadas, quando Georgemy parou Ronaldo Alves e Pablo Dyego determinou a passagem do Vila.

Dentre os favoritos, o Ceará conseguiu uma margem razoável com os 2 a 0 para cima da Tuna Luso no Castelão, em placar que ficou até barato pelo bombardeio. Durante o primeiro tempo, o Vozão seria bem mais agressivo e veria dois gols serem anulados – o primeiro deles em marcação bastante equivocada da arbitragem, sem auxílio do VAR. O domínio dos alvinegros seguiu no segundo tempo. Vina abriu o placar de cabeça aos 25 e Cléber, depois de ter outro tento anulado, definiu o placar em testada aos 43.

Já o Atlético Goianiense passaria um pouco mais de aperto para derrotar o Nova Venécia por 2 a 1, em Goiânia. Os capixabas partiram ao ataque de início, mas os goianos equilibraram o duelo e saíram em vantagem numa rebatida de Shaylon. O empate dos visitantes saiu num pênalti convertido por Carlos Vitor. Antes do intervalo, porém, Shaylon faria o segundo do Dragão da entrada da área. Na etapa final, coube aos rubro-negros administrarem a vantagem num campo pesado pela chuva e selarem a classificação.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo