Copa do Brasil

Com drama, confusão e pênaltis, Vasco passa pelo Água Santa e supera trauma na Copa do Brasil

Depois de duas eliminações nos pênaltis na segunda fase da Copa do Brasil, o Vasco passou pelo Água Santa depois de um emocionante empate em 3 a 3, em São Januário

Foi com drama, confusão e pênaltis, mas o Vasco conseguiu superar o trauma da segunda fase da Copa do Brasil. Depois de um jogo alucinante, com empate em 3 a 3 garantido nos acréscimos, na noite desta quinta-feira (7), em São o Cruz-Maltino venceu o Água Santa por 4 a 1 nas penalidades a garantiu a vaga na terceira fase da competição, depois de duas eliminações seguidas nos últimos anos nesta mesma fase – e ambas nos pênaltis.

O Vasco saiu na frente com Galdames e Vegetti, mas levou a virada do Água Santa com Neilton, Robles e Luan Dias. O terceiro gol do time paulista foi marcado aos 43′ do segundo tempo, mas Lucas Piton, aos 48′, garantiu o empate do Vasco e levou a decisão para os pênaltis.

Como foi a classificação do Vasco na Copa do Brasil

O Vasco começou a partida mostrando que queria tentar resolver logo a classificação para a próxima fase da Copa do Brasil. Logo aos 2′, em boa troca de passes, Galdames fez um bom lançamento pelo alto para Payet. Dentro da área, o francês cortou a marcação com um belo drible e finalizou. O goleiro Ygor Vinhas espalmou para o meio e Galdames apareceu de novo para mandar para as redes e abrir o placar.

Mas o jogo ficou aberto e, mesmo sendo superior, o Vasco não conseguiu se defender bem. Júnior Todinho e Bruno Xavier tiveram chances de empatar, mas não conseguiram ser efetivos. Mas o Cruz-Maltino teve paciência e seguiu tentando empurrar o Água Santa contra a própria área tocando a bola. E foi assim que o time conseguiu ampliar com um lindo gol coletivo. Foram 52 toques na bola e quase dois minutos ininterruptos de posse. O Vasco girou a bola procurando espaços até João Victor encontrar Paulo Henrique livre na direita. O lateral cruzou com perfeição para Vegetti ampliar de cabeça.

O golaço e a superioridade do Vasco davam a impressão de que o time da casa teria uma noite tranquila. Mas o que se viu no campo de São Januário foi outro cenário. O jogo ficou mais aberto e a defesa do Vasco, um dos pontos fortes do time, não vivia uma boa noite. Payet, duas vezes, e Galdames até tiveram chances para o Vasco, mas em um contra-ataque no último lance do primeiro tempo, o Água Santa pegou a zaga do Vasco desorganizada e Luan Dias deu um ótimo lançamento para Neilton. O atacante saiu na cara de Léo Jardim e finalizou a saída do goleiro, descontando o placar.

Na volta do intervalo, mesmo com a vantagem no placar, o clima em São Januário já era de nervosismo em campo e nas arquibancadas. O Água Santa soube jogar com isso, tocou bem a bola e passou a construir boas jogadas, levando perigo para o Vasco. Primeiro, Luan Dias obrigou Léo Jardim a fazer boa defesa em chute de fora da área. Depois, aos 13′, o goleiro do Vasco não teve como salvar. Em falta pela esquerda, Luan Dias levantou na área e Robles subiu mais alto que Medel para desviar de cabeça e marcar o gol de empate.

Apesar de boa parte de São Januário continuar apoiando e cantando pelo time, o clima de nervosismo praticamente tomou conta do estádio. A cada erro do Vasco, parte dos torcedores reclamava, criando um burburinho nas arquibancadas. O Água Santa também passou a controlar a partida, tocando a bola e envolvendo a zaga do Vasco. Foi assim que o time conseguiu virar a partida. Aos 43, Neilton recebeu no meio, girou sobre Lucas Piton e achou Luan Dias livre pelo lado direito. Ele avançou e finalizou na saída de Léo Jardim. A virada do Água Santa fez alguns torcedores deixarem São Januário. Mas eles foram embora cedo. Aos 48′, em falta pelo lado direito, Payet cruzou na área e Lucas Piton, que havia falhado no gol do Água Santa, empatou, de cabeça, para o Vasco.

Confusão e expulsões em São Januário

O gol de Lucas Piton gerou uma grande confusão em São Januário. O zagueiro João Victor comemorou na frente do banco do Água Santa, começando um grande empurra-empurra entre os bancos de reservas e os jogadores que estavam em campo. As comissões técnicas e outros funcionários dos clubes também se envolveram. A confusão durou muito tempo e terminou com João Victor e Zé Gabriel, do Vasco, e Neilton, do Água Santa, expulsos.

O jogo ainda teve 16 minutos de acréscimo, mas a bola pouco rolou. Com os ânimos aflorados e o clima tenso, os minutos finais tiveram muitas faltas e pouco futebol, levando a decisão para os pênaltis.

Como foram os pênaltis

  • Vasco: Payet, Lucas Piton, Sforza e Vegetti marcaram.
  • Água Santa: Robles perdeu, Alex Silva marcou, e Bruno Mezenga perdeu.

Próximos jogos do Vasco

  • Vasco x Nova Iguaçu – Campeonato Carioca – domingo, 10 de março de 2024, 18h30 (horário de Brasília);
  • Nova Iguaçu – Campeonato Carioca – domingo, 10 de março de 2024, horário a definir;
Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues é jornalista formado pela UFF e soma passagens como repórter e editor de Lance!, Esporte News Mundo e Jogada10.
Botão Voltar ao topo