Copa do Brasil
Tendência

O Cascavel tirou a Ponte Preta da Copa do Brasil, mas o regulamento bisonho custou os sonhos de Lagarto e URT

Lagarto e URT empataram, respectivamente, com Figueirense e Avaí - mas o formulismo da CBF beneficiou os visitantes

Entra ano, sai ano, e a crítica sobre o regulamento da Copa do Brasil permanece a mesma: não dá para aceitar uma competição que classifique os times na primeira fase com um mero empate, sem prorrogação ou pênaltis. A bizarrice permanece, com os clubes de melhor ranking jogando pelo placar igual fora de casa. E isso deixaria o gosto amargo para algumas torcidas logo no primeiro dia da nova edição. Lagarto e URT empataram, respectivamente, com Figueirense e Avaí. Porém, os dois catarinenses passaram graças ao formulismo da CBF. Melhor sorte teve o Cascavel, que aproveitou o mando de campo e surpreendeu a Ponte Preta.

VEJA MAIS: Um mapa interativo com os 92 participantes da Copa do Brasil de 2022

O primeiro jogo aconteceu em Sergipe, onde o Lagarto recebeu o Figueirense. O empate por 0 a 0 beneficiou os visitantes, mas as duas equipes tiveram chances de sair com o resultado. O Figueira teve sua melhor oportunidade logo de cara, quando Oberdan acertou a trave. Porém, o Lagarto apresentou uma postura mais ofensiva e quase saiu com o triunfo no apagar das luzes. Aos 41 da segunda etapa, Daniel mandou uma bomba e carimbou o travessão. Ficou o alívio dos catarinenses. Os R$750 mil de prêmio são importantes, até pela situação de crise financeira no Orlando Scarpelli durante os últimos anos.

Quem também passou um aperto danado foi o Avaí, que começou o Campeonato Catarinense com risco de queda. O Leão viajou até Minas Gerais e empatou por 1 a 1 com a URT. Seria uma noite emocionante, repleta de chances de gol, mas com os mineiros mais perigosos. O goleiro Douglas Friedrich realizou boas defesas na primeira etapa, embora Muriqui tenha acertado a trave para os avaianos. Os catarinenses voltaram com mais atitude do intervalo, mas os anfitriões perderam chances inacreditáveis em sequência e também foram parados pela trave. Os gols sairiam mais para o fim. Muriqui deixou o Avaí na frente aos 25, até que a URT empatasse com Cebolinha aos 38. E quase saiu a virada do Trovão Azul nos acréscimos, mas Douglas operou outro milagre.

A festa dos clubes de menor ranking só aconteceu no Paraná, onde o Cascavel recebeu a Ponte Preta e venceu por 1 a 0. Os paranaenses dominaram o primeiro tempo e tiveram dois gols anulados, até marcarem pra valer nos acréscimos, com Diego Giaretta aproveitando a sequência de um escanteio para fazer de cabeça. Na segunda etapa, os aurinegros tiveram outro gol anulado, desta vez com erro na marcação do impedimento, assim como o empate pontepretano foi cancelado por conta de uma falta discutível. Vale lembrar que não há VAR nesta fase da Copa do Brasil. No fim, o árbitro mostrou um cartão vermelho para cada lado, a Fabrício e Echeverria. O resultado agrava a crise da Macaca, que tinha perdido por 3 a 0 o clássico contra o Guarani no final de semana e briga contra o descenso no Paulistão.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo