Copa do Brasil

O ABC infligiu uma nova decepção ao Botafogo, eliminando os cariocas da Copa do Brasil nos pênaltis

Potiguares tomaram o empate aos 52 do segundo tempo, mas foram bem mais precisos nos penais

O Botafogo adiciona mais uma decepção à sua longa lista de penúrias nos últimos meses. Os alvinegros foram eliminados na segunda fase da Copa do Brasil. Os botafoguenses encaravam um adversário tradicional, o ABC, que figura na Série D do Brasileirão e acabou eliminado na primeira fase da Copa do Nordeste. Dentro do Frasqueirão, contudo, os potiguares mostraram quem mandava. Foram melhores ao longo dos 90 minutos, mesmo cedendo o empate por 1 a 1 aos 57 do segundo tempo. Mas a sobrevida dos cariocas não adiantou muito, já que o ABC se impôs nos pênaltis e venceu por 4 a 1.

O ABC precisou de dez minutos para abrir o placar. Maycon Douglas anotou o gol ao ganhar a dividida e mandar um chute de fora da área, acertando o canto do goleiro Douglas Borges. Ainda que o Botafogo tenha tomado a iniciativa depois disso, os potiguares conseguiram controlar o jogo e não sofreram muito diante da desorganização dos adversários. O segundo tempo viu o drama botafoguense se ampliar. Em meio à insistência dos cariocas, Wellington mantinha a segurança na meta do ABC. O jogo sofreria uma longa paralisação após um choque de cabeça sofrido por Matheus Frizzo, que precisou ser levado ao hospital. Isso explica os longos acréscimos e o empate dos visitantes no abafa. Aos 57, Gilvan subiu sozinho depois da cobrança de escanteio e adiou a eliminação do Botafogo – mas não por muito tempo.

Nos pênaltis, o ABC converteu todas as suas cobranças. Já o Botafogo perdeu duas das três batidas que teve. Depois de Ricardinho marcar na primeira, Cesinha mandou para fora a segunda e Wellington pegou o tiro de Marcinho na terceira. A vitória por 4 a 1 garantiu a festa dos potiguares e a classificação para a fase seguinte, com direito ao gordo prêmio de R$1,7 milhão na conta. Já os botafoguenses, que fazem uma campanha de meio de tabela no Carioca e só venceram dois jogos no estadual, perdem uma oportunidade de pelo menos aliviar o caixa do clube.

O ABC repete a campanha de 2019 na Copa do Brasil, na última ocasião em que havia passado à terceira fase. Naquela edição, o Santa Cruz eliminou os potiguares. Já o melhor desempenho dos alvinegros aconteceu em 2014, quando despacharam o Vasco e só pararam no Cruzeiro nas quartas de final. A caminhada é dura, mas só a oportunidade de injetar milhões nos cofres já em bem-vinda, considerando a realidade do clube na Série D, depois de não conseguir o acesso imediato após cair da terceirona em 2019. Além da vitória e das boas perspectivas, o ABC ainda comemorou nesta quarta a eliminação do rival América.

Não muito longe dali, na Arena das Dunas, o Cruzeiro cumpriu sua parte e eliminou o América de Natal – mas com certo aperto. A vitória por 1 a 0 foi definida apenas no segundo tempo. A primeira etapa seria morna, e o Dragão chegou a assustar a meta de Fábio algumas vezes. Já na etapa complementar, o Cruzeiro passou a dominar mais as ações, ainda que Fábio tenha sido novamente exigido. Mas, com a pressão no fim, o gol da Raposa saiu. Rômulo acertou a trave e, pouco depois, em uma boa trama pela esquerda, Matheus Barbosa completou o cruzamento rasteiro às redes com 38 minutos. No fim, os celestes conseguiram administrar a vantagem e assegurar a classificação, além do dinheiro.

Mais cedo, o América Mineiro também se classificou. Porém, contou com um erro crasso da arbitragem para vencer o Ferroviário nos pênaltis. Durante os 90 minutos, prevaleceu o empate por 1 a 1. O Coelho era melhor e abriu o placar no primeiro tempo com Felipe Azevedo. O Ferrão melhorou na segunda etapa e, depois de uma bola na trave, conseguiu arrancar a igualdade nos acréscimos com Augusto. A definição, então, ficaria para os pênaltis. No primeiro tiro cearense, o chute de Adilson Bahia bateu no travessão e a bola claramente entrou ao tocar o chão. Mesmo posicionado ao lado da trave, o assistente não viu e não validou o lance. Cada time perdeu duas cobranças até a última série, quando Matheus Cavichioli fez sua segunda defesa contra Diego Viana e garantiu a classificação dos mineiros, se redimindo da falha no gol de empate. Vale lembrar que os confrontos da terceira fase serão definidos por sorteio.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo