Copa do Brasil

Mirassol protagoniza um épico e tira Grêmio da Copa do Brasil, em terça que Moto Club e Pouso Alegre também aprontaram

Mirassol fez grande partida contra o Grêmio, em noite de duas viradas no placar, e se segurou no fim mesmo com um homem a menos

O Mirassol não costuma ver peso de camisa à sua frente e há tempos registra vitórias marcantes contra os chamados “grandes” no Campeonato Paulista. E nesta terça o Leão faria história na Copa do Brasil, ao eliminar o Grêmio logo na primeira fase. O Tricolor vinha de uma semana delicada, após o ataque ao seu ônibus antes do Gre-Nal. Não evitou o revés na visita ao interior paulista, mesmo com a vantagem do empate e com uma expulsão do outro lado no início do segundo tempo. Depois de uma primeira etapa movimentadíssima, com dois gols para cada lado, o Mirassol revirou o placar com um golaço e determinou o triunfo por 3 a 2 na etapa complementar, se segurando com um a menos no fim. O ótimo trabalho de Eduardo Baptista ganha novo reconhecimento, agora rendendo também R$750 mil de prêmio.

O Mirassol começou a partida apresentando suas credenciais e partindo para cima do Grêmio. Tanto que o primeiro gol demorou cinco minutos para vir. Fabrício Daniel arriscou de fora, Brenno rebateu mal e o veterano Camilo aproveitou o rebote de cabeça. Rildo tentou a resposta para o Tricolor, mas parou no goleiro Darley, assim como Fabrício Bruno foi frustrado por Brenno do outro lado. O jogo era aberto e o Mirassol queria mais. Porém, a reação gremista também não tardou, graças às bolas paradas. Aos 20, Nicolas cobrou escanteio e Diego Souza empatou de cabeça. Três minutos depois, seria a vez de Bruno Alves aproveitar uma cobrança de falta na intermediária para mandar para dentro no segundo pau e consumar a virada.

O primeiro tempo frenético se seguiu e permitiu que o Mirassol empatasse aos 30. Rodrigo Ferreira cruzou e Fabrício Daniel marcou o segundo dos paulistas, numa cabeçada colocada no cantinho. A trocação se seguiu antes do intervalo, e o Grêmio ficou mais próximo do terceiro na base dos contragolpes, com uma pancada de Janderson que o goleiro Darley desviou. Nos acréscimos, Darley ainda salvou um lance contra Gabriel Silva quando já parecia batido. O empate, de qualquer forma, ia beneficiando os gaúchos.

O Mirassol voltou para o segundo tempo mais ligado e conseguiu a reviravolta no placar aos dez minutos. Camilo serviu Fabinho, que driblou dois adversários e concluiu a pintura com uma finalização tranquila diante de Brenno. Belo gol que animava o time da casa. Só que a situação se complicou cinco minutos depois, quando Camilo deu uma solada em Bruno Alves e foi expulso. Os paulistas precisariam segurar o resultado com um homem a menos.

Quase o empate do Grêmio surgiu na sequência, mas Janderson acertou uma cabeçada no travessão. O Tricolor partia para cima, mas tinha dificuldades para acertar o alvo, com muitas finalizações para fora. Do outro lado, o Mirassol também não deixava de ameaçar em chutes de longe, mesmo em situação desfavorável. Na reta final, o Grêmio foi para o abafa. Elias carimbou o travessão quando saía de frente para o gol e, nos acréscimos, Darley salvou um foguete de Campaz. O goleiro faria a diferença para a façanha dos paulistas.

O Mirassol participa da Copa do Brasil apenas pela segunda vez. Esta é a primeira classificação do Leão na competição. Já o Grêmio experimenta sua pior campanha na história da Copa do Brasil, com uma eliminação inédita na primeira fase. O torneio tão importante para a história tricolor agora também faz parte do pesadelo recente. Joga pressão sobre o trabalho recém-iniciado por Roger Machado.

O Grêmio não foi o único time rebaixado na Série A que patinou na Copa do Brasil. A Chapecoense também seria eliminada no Maranhão, em noite emocionante para o Moto Club. O Papão arrancou a virada por 3 a 2 nos acréscimos do segundo tempo. O Moto anotou o primeiro gol logo aos 11 minutos, numa pancada de Dagson. A reação da Chape aconteceu antes do intervalo, com o empate de Tiago Real e a virada de Perotti – que, pouco antes, tinha perdido um pênalti diante do goleiro João Paulo. O segundo tempo ganhou contornos de drama no Castelão quando, aos 13, Sousa marcou um gol contra que deixou tudo igual. Os catarinenses ainda iam para cima e paravam em João Paulo. Assim, os maranhenses conseguiram o resultado aos 52 do segundo tempo. Num pênalti muito contestado, Ryan caiu na área e permitiu que Dagson fizesse na marca da cal. Os motenses nunca passaram da segunda fase na Copa do Brasil e terão a chance do feito inédito contra o Tombense.

Outro time que se meteu num buraco maior foi o Paraná Clube. Não bastasse o rebaixamento no Campeonato Paranaense, o Tricolor não fez frente ao Pouso Alegre, estreante na competição nacional. O Dragão venceu por 2 a 0 no Estádio Manduzão, com amplo domínio. Pressionando desde o primeiro tempo, os mineiros abriram o placar com o nigeriano Eberê, curiosamente ex-jogador paranista. Na segunda etapa, Denner aumentou o drama dos visitantes, que passaram longe de conseguir o necessário empate. Durante a próxima fase, o Pouso Alegre desafiará o Coritiba.

As outras partidas da terça-feira na Copa do Brasil teriam classificações dos visitantes. O Tombense se valeu do 0 a 0 contra o Icasa no Ceará, enquanto o Goiás voltou da Paraíba com o 1 a 1 diante do Sousa. A única vitória das equipes de melhor ranking foi registrada pelo Guarani, que emplacou o triunfo por 1 a 0 sobre o Maricá. Lucão do Break balançou as redes, já na reta final do duelo.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo