Copa do Brasil

Matheus Babi guardou mais um contra o Vasco, e Botafogo sai na frente na Copa do Brasil

O atacante Matheus Babi teve uma boa semana. E garantiu que a do Vasco não fosse perfeita. Nesta quinta-feira, anotou o seu terceiro gol contra o Cruz-Maltino em um intervalo de cinco dias e deu ao Botafogo a vitória por 1 a 0 no jogo de ida da quarta fase da Copa do Brasil.

Babi, 22 anos, virando rapidamente um dos favoritos da torcida do Botafogo, chegou do Macaé após se destacar com cinco gols no Campeonato Carioca, e havia marcado outros dois, no último domingo, da derrota para o mesmo Vasco, por 3 a 2, pelo Campeonato Brasileiro.

Germán Cano, em fase tão boa quanto a do garoto, teve a chance de abrir o placar, aos 14 minutos do primeiro tempo, bem ao seu estilo, mas Gatito defendeu o chute de primeira do argentino, da marca do pênalti, após mais um lindo passe de Benítez, uma das principais peças da engrenagem do Vasco.

O jogo pegou mais embalo depois do intervalo, e Fernando Miguel precisou se esticar com a mão esquerda para espalmar o chute cruzado de Bruno Nazário, que chegou batendo de primeira a bola rolada por Caio Alexandre.

O Vasco deu outro susto com um chute de muito longe de Marcos Júnior, aos 18. A finalização cheia de muito longe pegou tanta curva que Gatito nem se mexeu e respirou aliviado quando viu a bola pegar na trave esquerda da sua meta.

Aos 22, Nazário foi até a linha de fundo pela direita e cruzou bem alto, alto demais para a defesa do Vasco, não tão alto que Matheus Babi, com 1,91 metros, não pudesse alcançar e cabecear com força. Fernando Miguel chegou a tocar na bola, mas não evitou o gol do Botafogo.

No fim da partida, Babi puxou muito bem um contra-ataque perfeito para matar a partida, três contra, deu o passe para Honda, que deixou passar para Kalou. O atacante marfinense perdeu um pouco de ângulo no domínio e facilitou a defesa de Miguel.

Com a vitória por 1 a 0, o Botafogo pode até empatar o jogo de volta, na próxima quarta-feira, em São Januário. O Vasco precisa vencer por dois gols de diferença para passar. Se vencer por um, a disputa será nos pênaltis.

.

.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo